sexta-feira, 9 de setembro de 2022

Garça registra aumento de 47 postos de trabalho no mês de julho

O Ministério da Economia divulgou, ao longo desta semana, que o mês de julho teve ampliação no que se refere à geração de empregos em Garça. Dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) indicaram que o volume de contratações e de demissões no município teve saldo positivo de 47 postos. No total, 356 trabalhadores foram admitidos, entretanto, 309 outros perderam o emprego.
O segmento que mais contratou no sétimo mês do ano foi o de serviços, que registrou a admissão de 108 trabalhadores, ao passo que os desligamentos foram de 97 profissionais, gerando um saldo positivo de 11.
Por sua vez, o setor comercial também teve um saldo azul, de 20 postos. Ele teve 103 admissões em julho, contra 83 demissões. A indústria registrou comportamento positivo. Foram 76 admissões no total, contra 60 demissões (+16). 
Já o segmento agropecuário teve um sétimo mês de 2022 com estabilidade, com 50 admissões e 50 demissões. A construção civil também teve o mesmo comportamento, com 19 admitidos e 19 desligados. 
Em 2022 (janeiro a julho), Garça acumula um saldo positivo de 278 postos de empregos criados com carteira assinada. Nos sete primeiros meses do ano, a cidade acumula 2.585 admissões, contra 2.307 demissões.
Em termos de segmentos, o setor de serviços acumula saldo de 146 postos de trabalho entre janeiro e o final de julho, com 855 contratados e 709 pessoas desligadas. O setor agrícola, no referido período, teve aumento de 151 postos, com 427 admissões e 276 demissões. Já a construção civil teve saldo positivo de 12 postos, com 156 contratados e 144 desligados. A indústria teve retração de 34 postos, com 472 e 506 admitidos e desligados, respectivamente.
Ao longo do mês de julho, a cidade de Gália teve o registro negativo de oito postos de trabalho, com 46 admitidos e 54 demitidos. Já Fernão contou com a assinatura de 26 carteiras de trabalho e com a demissão de três trabalhadores, com saldo positivo de 23 postos.
O Brasil gerou 218.902 vagas de empregos com carteira assinada no mês de julho. No acumulado de 2022, foram gerados 1.560.896 empregos formais.
De 1992 até dezembro de 2019, os dados sobre o mercado de trabalho formal tinham como base somente o Caged, que monitorava admissões e demissões no regime da CLT. A partir de janeiro de 2020, a divulgação trouxe informações de três sistemas: Caged, eSocial e Empregador Web, no qual se registram os pedidos de seguro-desemprego. Essa fusão de dados complementares foi batizada de Novo Caged.

Fonte: Jornal Debate



Nenhum comentário:

Postar um comentário