segunda-feira, 18 de julho de 2022

Índice de Governança Municipal do CFA: Garça fica em posição intermediária


Garça ocupou uma posição intermediária no mais recente levantamento do IGM (Índice de Governança Municipal), desenvolvido pelo CFA (Conselho Federal de Administração). O levantamento relativo ao ano de 2022 mostrou Garça na posição 101 em seu grupo, formado por 560 municípios brasileiros que contam com população entre 20 e 50 mil habitantes e com Produto Interno Bruto superior a R$ 16.710.
No levantamento, Garça obteve uma pontuação total de 6,94, numa escala de zero a dez. No grupo em que a cidade está inserida o primeiro lugar ficou com Salto de Pirapora, com 8,05 pontos, seguida de Santa Rita de Passa Quatro, com 8,00 e Cravinhos, com 7,99. Os três municípios estão localizados no Estado de São Paulo.
Para a elaboração do ranking, o Conselho levou em conta diversos indicadores federais reunidos em três tópicos: Finanças, Gestão e Desempenho. Para a obtenção das notas nos três tópicos, o Conselho Federal utiliza dados secundários e considera áreas como saúde, educação, gestão fiscal, habitação, recursos humanos, transparência, violência, dentre outros.
No tópico Finanças, Garça obteve uma média de 6,32 pontos. No aspecto fiscal, a nota de 2022 foi de 8,08, contra 7,83 de 2021 e 7,84 de 2020. O investimento per cápita neste ano teve nota 5,17, contra 5,93 e 6,46 do ano passado e retrasado, respectivamente. O equilíbrio previdenciário avaliado pelo CFA despencou neste ano, atingindo apenas 2,04 pontos. Em 2021 ele era de expressivos 9,09 e em 2020 de 6,42. Já o custo Legislativo recebeu nota dez neste ano, a mesma aferida nos dois anos passados.
No aspecto Gestão, a nota média de Garça foi de 7,50. No que se refere a colaboradores, a cidade atingiu a média de 7,67 pontos, contra 7,43 do ano passado e 8,02 de 2020. Em planejamento, a nota aferida ficou em 6,30, sendo que em 2021 chegou a 8,49 e em 2020 a 8,48. Já em transparência, em 2022 a pontuação ficou em 8,70, contra 8,19 e 9,57 de 2021 e 2020, respectivamente.
No âmbito de Desempenho, a média garcense foi de 6,94. Em educação, a média ficou em 8,40 pontos, contra 8,06 de 2021 e 8,01 de 2020. Já em saúde a média foi de 6,68, contra 6,64 do ano passado e 7,38 de 2020. Em saneamento e meio ambiente o município teve a nota 8,20 para o ano de 2022, contra 8,23 de 2021 e 8,64 do ano retrasado. No aspecto de vulnerabilidade social Garça teve nota 5,52, contra 5,62 de 2021 e 6,05. Por fim, em segurança, a nota para este ano foi de 5,91, contra 10 do ano passado e 9,15 de 2020.
Entre os municípios da região, Gália ficou na posição 417 do ranking (6,37 pontos) de cidades de até 20 mil habitantes e PIB acima de R$ 17.137. Tal ranking conta com um total de 1.885 municípios. Já Fernão, também nesse mesmo universo de cidades, ficou na posição 979, com 5,68 pontos.

Auxílio — Para o presidente do CFA, Mauro Kreuz, o IGM é uma contribuição do sistema para a governança brasileira. "Ele é uma ferramenta que foi feita concebida e aperfeiçoada e que está aí para ajudar a melhorar as entregas para todos. Um país só vai dar certo, o estado só vai dar certo se o seu município der certo, pois é no município que as pessoas moram. É no município que elas se desenvolvem", declarou. 
Para ele, o Índice visa basicamente auxiliar gestores municipais a visualizar as necessidades e/ou boas práticas de sua região, priorizar políticas públicas, além de promover o debate sobre a importância da gestão municipal profissional.

Fonte: Jornal Debate

Nenhum comentário:

Postar um comentário