segunda-feira, 20 de junho de 2022

Inverno deste ano no Sudeste deve ser de dias secos e ensolarados

O inverno de 2022 no Hemisfério Sul tem início às 6h14 do dia 21 de junho, e se estende até às 22h04 do dia 22 de setembro, pelo horário de Brasília.
O La Niña é caracterizado pela situação de temperatura abaixo do normal na porção central e leste do oceano Pacífico Equatorial, ao largo da costa do Peru e do Equador. Impactos do fenômeno La Niña no inverno de 2022: redução do volume e da frequência de chuva na Região Sul do Brasil; aumento da chuva no extremo norte do país, afetando o nível dos rios da bacia amazônica; aumenta a frequência da  passagem das frentes frias pelo centro sul do Brasil, mas a maioria das frentes frias são oceânicas e poucas conseguem ter influência relevante no interior do país.
 O oceano Atlântico, na costa norte e na costa leste do Nordeste do Brasil está mais quente do que o normal.  Esta situação persiste durante todo o inverno e estimula a formação de Distúrbios Ondulatórios de Leste e de nuvens carregadas sobre o oceano, que eventualmente avançam para o continente.
O contraste térmico da água do mar entre a costa sul/sudeste do Brasil  e a costa do Uruguai e da Argentina está desfavorável para a permanência prolongada das frentes frias na costa da Região Sul ou do Sudeste.
Ao longo do inverno de 2022, muitas frentes frias vão avançar pela costa do Sul e Sudeste do Brasil. Algumas poderão alcançar até mesmo o litoral leste do Nordeste. Mas apenas algumas destas frentes frias trarão massas de ar frio de origem polar, fortes e duradouras, que serão caracterizadas como ondas de frio.
A previsão da Climatempo é de que uma onda de frio passe pelo país na virada entre os meses de junho e julho. Outras duas ondas de frio devem avançar sobre o país ao longo do mês de julho: a primeira ainda dentro da primeira quinzena de julho e a segunda no final do mês.
Durante o mês de agosto, ainda há expectativa de pelo menos uma massa de ar frio de origem polar com forte intensidade, suficiente para provocar condições para geada na Região Sul e até em áreas do Sudeste.
A chance de ondas de frio em setembro é muito baixa, mas algumas massas de ar frio de origem polar ainda poderão provocar temperaturas baixas para formação de geada em pequenas áreas da Região Sul do Brasil.
O destaque para setembro será a rápida elevação de temperatura com previsão de onda de calor na segunda quinzena do mês.
Os meteorologistas Josélia Pegorim e Vinícius Lucyriom da empresa Climatempo, comentam os principais aspectos do inverno de 2022 na região Sudeste do Brasil, de acordo com a previsão elaborada pela enpresa. O fenômeno La Niña vai influenciar o clima durante toda a estação.
Uma das principais características do inverno na região Sudeste do Brasil é o predomínio de dias secos e ensolarados. As médias de precipitação são baixas ao longo da estação em toda a região. Os maiores volumes médios de chuva variam de 80 a 100 mm, apenas em setembro, em algumas áreas dos estados de São Paulo e do Rio De Janeiro .
O inverno de 2022 deve ser marcado por poucas precipitações sobre a Região Sudeste do Brasil. A maioria das frentes frias vai conseguir espalhar ar úmido só sobre regiões e  estados próximos ao mar. 
A previsão da Climatempo é de que os volumes de chuva fiquem dentro da normalidade, na maioria das áreas da região, nos meses de julho e agosto. 
Em julho, algumas áreas no Triângulo Mineiro, no norte e no leste do estado de São Paulo podem receber um pouco mais de chuva do que a média normal. 
Em agosto, o litoral norte do Rio de Janeiro, o litoral do Espírito Santo, e a região do vale do Jequitinhonha, em Minas Gerais, também podem ter um pouco mais de chuva do que a média.
Para setembro, a previsão é de chuva a dentro abaixo do normal em Minas Gerais, no estado do Rio de Janeiro e no Espírito Santo. Algumas áreas no centro-oeste e norte do estado de São Paulo podem terminar o mês com um pouco mais de chuva do que a média. No leste de São Paulo, a previsão é de que chova menos do que o normal.
Durante o mês de julho, a temperatura deve ficar dentro a um pouco abaixo do normal na maioria das áreas de Minas Gerais, do Espírito Santo e do Rio de Janeiro. O norte de Minas tende a ter temperaturas dentro a um pouco acima do normal. 
No estado de São Paulo, a maioria das áreas deve terminar julho com temperatura dentro da normalidade, mas em algumas áreas no oeste e no extremo norte do estado, a temperatura pode ficar ligeiramente abaixo da média.
Já para os meses de agosto e setembro, a previsão é de que as temperaturas fiquem dentro a um pouco acima da média na maioria das áreas do Sudeste. 
Em agosto, pequenas porções no Espírito Santo, no vale do Rio Doce e do Jequitinhonha podem ter temperatura ligeiramente abaixo da média.
O maior risco de geada na região Sudeste do Brasil é durante o mês de julho. O fenômeno poderá ser observado em várias áreas do estado de São Paulo e também no Sul de Minas.
Em julho ,não se descarta um novo episódio de geada em áreas do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba. A região serrana do Rio de Janeiro também poderá registrar algumas geada em julho.
No mês de agosto, embora a possibilidade de geada já seja bem menor do que em julho, há possibilidade de ocorrência em áreas do Sul de Minas e na divisa de São Paulo com o Paraná. A chance de geada em setembro é remota.

Fonte: Climatempo



Nenhum comentário:

Postar um comentário