sexta-feira, 22 de abril de 2022

Marília: programa capacita desempregados brasileiros e refugiados

Pessoas desempregadas ou em situação de vulnerabilidade social, além de refugiados, participaram de um programa de capacitação da Entrevias Concessionária de Rodovias. Os contemplados vão compor um banco de talentos no quadro de colaboradores da empresa. Trata-se do Qualificar, que foi lançado neste mês, no Senac de Marília.
O programa foi criado pela Entrevias e conta com a parceria do Senac e da Prefeitura de Marília. Os 40 selecionados para o programa aprenderam técnicas de atendimento ao cliente, etiqueta no mercado de trabalho, desenvolvimento sustentável e política organizacional da concessionária.
A novidade é que de forma pioneira a Entrevias oferece oportunidades a brasileiros e refugiados. "Queremos oferecer ferramentas a essas pessoas para que elas consigam se recolocar no mercado de trabalho e, quem sabe, possam vir trabalhar conosco na Entrevias. Esta iniciativa está inserida na nossa matriz ESG [governança ambiental, social e corporativa, em livre tradução], políticas vinculadas às boas práticas empresariais, como o treinamento que engloba inclusão, capacitação e direitos fundamentais à vida", afirma Cláudia Figueiredo, Relações Institucionais da Entrevias.
A iniciativa também vai ao encontro a dois importantes pilares de desenvolvimento sustentável estipulados pela ONU, como a redução da desigualdade social e a oferta de emprego digno; e crescimento econômico, destaca a concessionária.
Uma das selecionadas para o curso Qualificar é a venezuelana Sahir del Carmen Barreto Rodriguez, que está no Brasil há quatro anos. Nesse tempo Sahir trabalhou com faxina e vendendo produtos em semáforos. Agora busca uma oportunidade de renda fixa, com carteira assinada. "Queremos ser parte da sociedade, com direitos e deveres como qualquer cidadão, ter um trabalho e conseguir qualidade de vida para nossa família", completa.
Para o secretário municipal de Direitos Humanos de Marília, o delegado Wilson Damasceno, o programa deve prosperar e trazer nova perspectiva de recolocação profissional aos moradores da cidade. "Percebemos a relevância que esse projeto tem, por isso ele foi pensado para atender imigrantes, refugiados e pessoas que busquem uma recolocação", conclui a gerente do Senac Marília, Andréia Peretti Sangaletti.

Fonte: Jornal da Cidade de Bauru



Nenhum comentário:

Postar um comentário