terça-feira, 26 de abril de 2022

Após série de furtos, cemitério de Assis vai ter câmeras de segurança

O Cemitério Municipal de Assis, em reunião com a prefeitura, determinou a instalação de câmeras de segurança, postes de luz e reforço na vigilância após o aumento nos furtos.
Ao g1, o administrador do cemitério, Fabiano Cavalcante, disse que, no primeiro trimestre deste ano, já foram registrados dois furtos. O valor representa aumento de 100%, se comparado à 2021, quando apenas um furto foi registrado no cemitério.
Porém, já em fevereiro deste ano, foram furtadas 418 placas de bronze. No segundo, registrado em março deste ano, foram furtadas 200 placas e mais duas estátuas sacras de bronze. Juntos, os crimes somam um prejuízo de mais de 600 placas.
Segundo Fabiano, os primeiros criminosos estouraram o cadeado do portão principal do cemitério. No segundo furto, arrancaram mais de 20 metros do alambrado que cerca o local. O administrador confirma que foi feito o conserto no mesmo dia.
Pensando em reforçar a segurança do local e evitar os furtos, Fabiano explica que a prefeitura foi acionada e firmou um acordo de melhorias, como a instalação das câmeras e postes de luz.
"A polícia de Assis já tem o paradeiro de alguns dos criminosos que efetuaram os furtos. Em relação à vigilância, a prefeitura tem convênio com a Polícia Militar e já aumentou as rondas, sendo que elas não eram feitas antes porque não tínhamos registros de roubo. A prefeitura também já determinou que fosse feita a instalação dos postes de luz", explicou.
Questionada, a assessoria da prefeitura confirmou as informações passadas pelo administrador. Não há prazo para a conclusão das melhorias.
Uma estátua de grande porte representando Jesus Cristo foi furtada de cima de um túmulo no Cemitério Municipal. O furto ocorreu na noite do dia 31 de março e um boletim de ocorrência foi registrado.
Segundo informou o tenente da Polícia Militar, Walmir Dionizio, o jazigo de onde a obra sacra foi retirada pertence há décadas a uma família, que foi avisada do furto por um funcionário da limpeza. A estátua é de bronze, com cerca de 1,60 metros.
Com exceção da entrada principal, o sargento informou que no cemitério não existem câmeras de segurança, nem guardas para o período noturno, o que tem facilitado a ação criminosa. A orientação do tenente é que as vítimas procurem a Justiça em função dos danos materiais.
"Atos de depredação, e subtração de imagens, placas, entre outros objetos têm sido constantes em nossa cidade. Há anos tem sido um problema recorrente, com queixas constantes de familiares que ficam entristecidos ao verem as sepulturas dos seus entes queridos destruídas, profanadas, furtadas", explicou o tenente.

Fonte: g1


Nenhum comentário:

Postar um comentário