quarta-feira, 1 de dezembro de 2021

Possível tornado devasta haras e deixa homem e animais feridos em Duartina

Um possível tornado ocorrido em Duartina devastou um haras e deixou um idoso de 71 anos ferido, além de animais mortos e também feridos. O fato aconteceu durante uma tempestade na última sexta, 26. O Centro de Pesquisas Meteorológicas da Unesp de Bauru (IPMet) avalia o fenômeno como um possível tornado, que não é incomum no Brasil e pode ocorrer especialmente nesta época do ano.
O rastro de destruição deixado pelo tornado inclui três casas destelhadas na propriedade, dois barracões totalmente devastados e até quatro carros danificados com vidros quebrados, além de um trailer de transporte de equinos tombado. Dos 150 cavalos existentes no Haras Ysabruje, 18 ficaram feridos com cortes provocados por tábuas e telhas que voaram e precisam de suporte veterinário no local. Galinhas-d'angola que eram criadas na propriedade também apareceram mortas pelas imediações após o temporal. O haras fica localizado na altura do quilômetro 380 da rodovia Comandante João Ribeiro de Barros (SP-294), a Bauru- Marília. Com a ventania, galinhas mortas e pedaços de madeira, inclusive, foram localizados até na rodovia, que fica a aproximadamente 150 metros do haras. Veículos que trafegavam pelo local, na ocasião, foram atingidos por objetos.
Segundo a prefeitura, um condutor de 71 anos de uma caminhonete, com placas de Marília, que seguia pela SP-294 e foi danificada pelos destroços, na ocasião, precisou ser hospitalizado. Ele desceu do veículo, mas acabou atingido por pedaços de madeira na região do abdômen. Socorrido por uma ambulância da concessionária Eixo, ele foi internado, inicialmente, no Hospital Santa Luzia de Duartina, mas, em razão da complexidade da perfuração que teve na barriga, houve necessidade de transferi-lo para o Hospital de Base de Bauru. Segundo o JC apurou, ele não corre risco de morte.
Gerente do haras, Carlos Leandro Simões, de 38 anos, conta que 12 pessoas, sendo 7 crianças, estavam na propriedade no momento em que o fenômeno ocorreu. "A sorte é que todo mundo se abrigou. Eu estava guardando um garanhão e fiquei escorado em uma coluna de concreto no barracão. Teve um grupo de pessoas que se protegeu sob uma pia de mármore em um dos imóveis. As crianças estavam nas casas e se trancaram nos quartos", conta Leandro. "Foi desesperador ver aquele furacão passando e levantando tudo, até carros. Ele chegou rodando e foi destruindo o que tinha pela frente em menos de 3 minutos. Dá para ver certinho o rastro de destruição pelas imediações aqui. Os animais estão assustados ate agora", completa o trabalhador rural.
Os prejuízos ainda não foram contabilizados. Leandro reforça o pedido de ajuda ao haras. "As casas dos moradores receberam telhas novamente, mas estamos sem fonte de água e energia elétrica. Situação difícil", comenta.
A Prefeitura de Duartina informou ter prestado auxílio à propriedade, com a cessão de um tanque de água, no sábado (27), já que o haras ficou sem energia e, portanto, sem ter como retirar água de poços para abastecer as famílias e os animais. O município diz que uma pá carregadeira está à disposição para ajudar no recolhimento de destroços.

Fonte: Jornal da Cidade de Bauru



Nenhum comentário:

Postar um comentário