terça-feira, 21 de dezembro de 2021

Noroeste de Bauru vai se tornar sociedade anônima de futebol

O Noroeste viveu, nesta segunda-feira, 20, um dia histórico em seus 111 anos de existência. O Conselho Deliberativo autorizou a transição do atual modelo de associação sem fins lucrativos para clube-empresa e o Noroeste Sociedade Anônima de Futebol (SAF) deve ser sacramentado no início do próximo mês. 
A mudança estatutária foi aprovada por unanimidade em assembleia na sede do clube. A proposta, a princípio, é que a SAF alvirrubra será gerida por Reinaldo Mandaliti, que levantou a possibilidade de obter investimento para o clube e assumiria 99% das ações do clube-empresa. 
Após a aprovação do conselho para a transição noroestina, foi nomeada uma comissão de conselheiros para dar encaminhamento à minuta da SAF. São eles o presidente do Conselho do Noroeste, Toninho Rodrigues, Reinaldo Mandaliti, Leandro Palma, atual presidente do clube, Estevan Pegoraro e Rodrigo Gomes.
Diversas outras reuniões devem ser realizadas para alinhar como será a gestão da SAF, suas diretrizes, minuta de contrato e obrigações, tudo respaldado por lei federal. Estiveram presentes na assembleia e puderam acompanhar membros da torcida organizada Sangue Rubro e profissionais da imprensa.
Ao longo da reunião, houve questionamento por parte de conselheiros sobre garantias da permanência do clube em Bauru e de manutenção de símbolos do time. O que foi garantido por Toninho Rodrigues e Reinaldo Mandaliti. "Isso constará no novo estatuto e na minuta da SAF", comentou Rodrigues.
Também foi explicado que o investidor vai expor um plano de gerenciamento do clube, que prevê projeção sobre sustentabilidade, crescimento e quitação da dívida alvirrubra, que gira em torno de R$ 8 milhões atualmente, entre impostos e ações trabalhistas.
"As pessoas não podem confundir com o que houve no Cruzeiro, a compra do time pelo Ronaldo Fenômeno (R$ 400 milhões). São coisas completamente distintas. O Noroeste não foi vendido. A partir de janeiro, com a SAF, o empresário Reinaldo Mandaliti, um abnegado torcedor do clube, cujo pai (Valdomir) já foi nosso presidente, será o responsável por dar prosseguimento na SAF daqui em diante, principalmente trazendo investidores para o clube. Assim, o Noroeste terá possibilidade de respirar e se reestruturar economicamente, a começar que toda a receita que vier a partir de agora terá 20% destinado para quitação de dívidas do clube", explica Toninho Rodrigues pela assessoria de imprensa do Noroeste.
Rodrigues destaca ainda que a Lei de n.º 14.193/2021 oferece condições dos clubes se tornarem SAF, podendo receber recursos financeiros de pessoas físicas, jurídicas e fundos de investimento. Um novo estatuto deve ser criado, no entanto, continuará havendo eleições do Conselho Deliberativo e da diretoria executiva. 
Ao longo da reunião do Conselho Deliberativo desta segunda-feira (20), foi colocada em pauta a aprovação, oficializando o nome de Cláudio Amantini, ex-presidente noroestino, para o ginásio Panela de Pressão. No entanto, surgiu nova proposta feita por Estevan Pegoraro, que será estudada por conselheiros, de homenagear Amantini com o nome do estádio noroestino. 
A alteração tem apelo junto a torcedores do time por causa da representatividade que Amantini tem para o Noroeste. Assim, se aprovada a proposta em próximas reuniões, o Estádio Alfredo de Castilho passaria a se chamar Estádio Cláudio Amantini. O ex-presidente é um dos nomes mais marcantes na história do clube bauruense e foi personagem central na aquisição do local onde se situa o complexo alvirrubro. 

Fonte: Jornal da Cidade de Bauru



Nenhum comentário:

Postar um comentário