segunda-feira, 13 de dezembro de 2021

CDHU oferece acordos especiais para 42,3 mil mutuários endividados pela pandemia

A CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano), empresa pública vinculada à Secretaria de Estado da Habitação, está lançando uma campanha de final de ano para regularizar a dívida contraída por 42.395 mutuários a partir de janeiro de 2020 em razão da perda de emprego ou renda por causa das medidas restritivas impostas durante a pandemia. A companhia oferece condições para que os mutuários possam quitar suas dívidas sem juros, multa ou entrada.
“Queremos incentivar os nossos mutuários a regularizar suas dívidas e assim começar o ano com mais tranquilidade. Por isso estamos oferecendo condições muito especiais para as famílias aderirem a esse acordo”, explicou o secretário de Estado da Habitação, Flavio Amary.
“A maioria dos nossos mutuários está em dia com suas mensalidades, mas uma parcela foi afetada pela pandemia e acabou atrasando os seus pagamentos mensais. Essa campanha de final de ano é direcionada justamente para ajudar esse grupo a manter seus imóveis”, completou o presidente da CDHU, Silvio Vasconcellos.
Os acordos são direcionados para dois grupos de mutuários que estão com parcelas atrasadas a partir de janeiro de 2020 por causa da pandemia. No primeiro grupo, estão incluídos 15.714 contratos inadimplentes que não tinham realizado nenhum acordo anterior com a CDHU. O segundo grupo é formado por 26.681 mutuários que já tem algum tipo de acordo administrativo ou judicial com a CDHU. Em ambos os casos, a CDHU oferece pagamento à vista ou parcelamento do débito sem cobrança de juros, multa e entrada. E a parcela mínima é de R$ 55,00.
A diferença é que no primeiro grupo o parcelamento da dívida – sem juro, mora, multa e entrada, é feito ao longo da vigência do contrato de financiamento e a primeira prestação pode ser paga em até 60 dias. No segundo grupo, a negociação prevê a suspensão das prestações em atraso do acordo vigente para serem pagas ao final do contrato, sendo
que a retomada dos pagamentos deve ocorrer em até 30 dias.
Para os mutuários com dívidas anteriores a 2020, num total de 8.003, a CDHU também oferece a oportunidade de efetivação de acordo administrativo com o pagamento de entrada de apenas uma prestação.
Além de assegurar a manutenção dos imóveis dos mutuários endividados, essa campanha também irá propiciar o aumento da arrecadação, cujos valores serão reinvestidos na produção de novas moradias, beneficiando mais famílias. No total, a dívida dos mutuários contemplados pelo acordo atinge R$ 113,1 milhões.
Para aderir ao acordo administrativo, sem entrada, o mutuário com dívidas a partir de janeiro de 2020 deverá acessar o site da CDHU (www.cdhu.sp.gov.br/acordoespecial). Já o mutuário que tem um acordo e ficou em atraso a partir de janeiro de 2020 deverá ingressar no site www.cdhu.sp.gov.br/suspensao. Em ambos os casos, o mutuário também pode obter informações no Alô CDHU pelo número 0800 000 2348 ou agendando atendimento presencial nas gerencias regionais da companhia

Redação do Garca.Jor

Nenhum comentário:

Postar um comentário