segunda-feira, 20 de dezembro de 2021

Aos 100 anos, Armando Andrecioli lança livro de memórias

Armando Andrecioli, reconhecido em Garça por sua estreita ligação com o café, completou na sexta-feira, 17, 100 anos de vida. Essa marca significativa veio juntamente com o lançamento de seu livro "Minhas Memórias", no qual narra a trajetória da chegada de sua família ao Brasil, vinda da Itália para atuar nas lavouras do interior paulista, assim como parte de sua vida.
O avô do autor, Rafael Andrucioli, juntamente com a sua esposa, Luiza, deixaram a Itália em 1897 e se estabeleceram no Brasil, mesmo diante de muitas dificuldades, como a barreira idiomática, a alimentação diferenciada e as condições precárias de algumas fazendas.
Ao longo das páginas de "Minhas Memórias", o leitor conhece um pouco da luta dos imigrantes que ajudaram a construir o Brasil, verifica também os problemas econômicas, as guerras, a crise de 1929, as geadas, entre outros problemas enfrentados pelos representantes da família Andrucioli que cruzaram o mar para tentar a sorte no hemisfério sul.
Nascido na cidade de Agudos, Armando Andrecioli casou-se em 1944 com Francisca Santin. Trabalhou como carroceiro, ensacador e arador de terra e, em maio de 1945, veio para Garça, contratado de uma fiação de seda. Nesse local foi vigia, encarregado e escriturário.
Em 1947, passou a trabalhar na Fazenda Irondê, onde foi caseiro, zelador, fiscal de café e outras culturas, fiscal geral e administrador. 
Cerca de 15 anos depois, conseguiu adquirir um sítio, o São Luiz, onde por anos se dedicou à produção de café. Como cafeicultor, conquistou prêmios, como o organizado pela Cooperativa dos Cafeicultores de Garça.

Fonte: Jornal Debate



Nenhum comentário:

Postar um comentário