quarta-feira, 3 de novembro de 2021

Ex-militar que assassinou funcionário tinha arsenal em Marília

O coronel reformado da Polícia Militar de São Paulo Dhaubian Braba Brauioto Barbosa, de 57 anos, investigado pela morte de Daniel Ricardo Silva, 37, tinha um arsenal com carabinas, pistola, revólver e até um fuzil calibre 762.
As armas foram apreendidas na casa em que ele vive com a esposa, uma cabo da PM, em uma chácara da zona rural de Marília, ao lado do Motel Fênix, onde Daniel trabalhava e foi morto.
Além das armas, a polícia recolheu aproximadamente 450 quilos de munições diversas. O coronel Dhaubian é atirador desportivo, compete especialmente em tiros de carabina e é registrado na Federação da modalidade.
O coronel está desaparecido desde a manhã do crime e a polícia aguarda sua apresentação para depoimento. Segundo o delegado Marcelo Sampaio, da DIG (Delegacia de Investigações gerais) ainda não há pedido formal de prisão.
Sem detenções, o inquérito pode ser concluído em até 30 dias e o delegado aponta uma série de depoimentos de testemunhas e laudos a serem anexados à investigação.
O caso foi registrado inicialmente como investigação de homicídio simples. Eventuais qualificadoras podem ser atribuídas durante a investigação ou a partir de eventual denúncia do Ministério Público.
Dhaubian Barbosa nasceu em Mirante do Paranapanema, em 25 de outubro de 1964. Cresceu em Assis, é filho de um policial militar.
Concluiu o curso de formação de oficiais da Academia do Barro Branco em 1984. Passou por batalhões da grande São Paulo e da região. Seu último posto foi o comando do 32º batalhão em Assis (70km de Marília).
É sócio em pelo menos três motéis da região em Garça, Ourinhos e Marília. Também é registrado como produtor rural.

Fonte: Giro Marília



Nenhum comentário:

Postar um comentário