quinta-feira, 28 de outubro de 2021

Sindicato: Dia do Servidor é marcado pelo temor à sobrevivência da categoria

No próximo 28 de outubro é comemorado o Dia do Servidor Público. A data ressalta uma classe de extrema importância e que tem ampla abrangência, já que na categoria estão inseridos profissionais de variados ramos, desde os serviços gerais até médicos, passando por escriturários, advogados, pedreiros, entre diversos outros. Os serviços públicos são imprescindíveis , ainda mais, em um país como o Brasil, que conta com tantas mazelas e dificuldades, principalmente para as parcelas mais baixas da escala social.
O presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Garça,  Antônio Carlos Moreira de Castro "Totonho", avalia que lembrar a data se dá num momento extremamente delicado e com diversos desafios a serem vencidos.
Ele indicou que, no âmbito municipal, o Sindicado tem buscado um bom entendimento com o Executivo, com a premissa principal da negociação. Mesmo havendo algumas divergências nessa busca de entendimento, a entidade vem buscando o melhor acerto.
Por outro lado, na visão de Totonho, o temor dos servidores vem da esfera federal e das políticas recentes que buscam fazer com que esses profissionais sejam cada vez mais desvalorizados, sob a justificativa de reformas no âmbito administrativo.
"O que mais entristece a gente é que não temos nada a comemorar em nível nacional, tendo em vista a atuação do governo federal, que é claro, é nítido que quer acabar com o funcionalismo, voltar ao modo que era antigamente, que se contratava quem se queria, da forma que queria. Isso é muito triste. Quem perde com isso é a população. É claro que o servidor vai perder, não o que já está no quadro, mas os que forem entrando e que irão sofrer demais se realmente ocorrer da forma que está. Então, a gente não tem de comemorar nada, é muito triste e tem sido um trabalho muito difícil para nós, que procuramos representar a classe", sustentou o presidente.
O dirigente lembrou que o governo federal praticamente acabou com a previdência para os trabalhadores e agora avança para o funcionalismo público. O objetivo seria abrir espaço para que um prefeito, governador ou presidente, logo que eleito, pudesse mandar quem quiser embora e contratar aqueles que são próximos a ele.
"Esse quadro eu posso falar com segurança, já que eu vivi isso daí, eu passei por essa experiência. É muito triste e duvido que um prefeito, um presidente vai manter um bom funcionário lá. É o interesse político, ele vai por quem ele acha que deve", explicou Totonho. 
"Não fui um funcionário concursado e sim efetivado com a Constituição de 1988. Para chegar às conquistas que tivemos, imagine o sofrimento, e agora chega um grupo de patrões que acha que só o direito deles valem. Entrei na Prefeitura sem concurso e, num determinado período, fui mandado embora. Chegou um 'decretão' com a demissão. Depois eles foram revendo, funcionário por funcionário, e me reintegraram novamente. A coisa é muito triste, de ficar na dependência de político", complementou.
Para o presidente, essas mudanças que estão sendo propostas no âmbito de uma reforma administrativa irão afetar fortemente aqueles que necessitam de um serviço público de qualidade e que as mudanças atingem, principalmente, as classes menos favorecidas, ao passo que algumas categorias, de maior poder aquisitivo, foram blindadas.
Totonho lembrou que a grande maioria dos funcionários públicos se mostra muito responsável de suas funções e trabalha efetivamente para cumprir suas incumbências. Porém, os defensores das reformas que podem acabar com os servidores usam exemplos de uma ínfima parte da categoria para justificar mudanças absurdas. O Sindicato, por sua vez, vai buscar conscientizar o funcionalismo e ressaltar sua força e a importância dele para a sociedade.
"A gente tem procurado orientar, tem tentado mostrar que será um desastre, as pessoas vão tendo conhecimento disso, mas a gente nota que eles não estão muito empolgados com isso. Vamos continuar trabalhando, vamos continuar mostrando esse lado nosso, o que realmente é a realidade disso e se vier acontecer vai ser um desastre", complementou.
O Dia do Funcionário Público foi instituído pelo presidente Getúlio Vargas, a partir da criação do Conselho Federal do Serviço Público Civil, em 1937. As leis que regem os direitos e deveres dos funcionários que prestam serviços públicos estão dispostas no decreto 1.713, de 28 de outubro de 1939, motivo pelo qual é o dia da comemoração desse profissional.

Fonte: Jornal Debate



Nenhum comentário:

Postar um comentário