segunda-feira, 27 de setembro de 2021

Policiais que executaram cidadão em Ourinhos podem ter adulterado local do crime

A Polícia Civil investiga se os policiais militares presos por executarem um foragido da Justiça em Ourinhos, no dia 20 de setembro, adulteraram a cena do crime antes da chegada dos peritos do Instituto de Criminalística.
Murilo Henrique Junqueira, de 26 anos, foi morto com três tiros quando já estava rendido e com as mãos na cabeça.
A reportagem da TV TEM teve acesso a novas imagens das câmeras do circuito de segurança que flagrou a abordagem do subtenente Alexandre David Zanete, 49 anos, e do cabo João Paulo Herrera de Campos, 37 anos, que foram presos no dia seguinte.
No vídeo é possível ver que mais policiais militares aparecem perto da vítima antes da chegada do Samu, que socorreu Murilo ainda com vida. Eles estão com lanternas e parecem estar vistoriando o local (veja no vídeo abaixo).
Essas imagens, assim como o vídeo que mostra a execução do foragido foram anexadas ao inquérito e a Polícia Civil vai apurar o que os policiais faziam ali e se houve alguma tentativa de adulterar a cena crime, para dificultar a investigação.
Três depoimentos de policiais militares estão marcados para essa semana na investigação sobre o caso. A polícia já ouviu outras testemunhas na semana passada.
Quatro pessoas foram ouvidas, três delas moradores do local onde aconteceu o crime. Um desses moradores inclusive prestou depoimento antes da divulgação do vídeo que mostra o que aconteceu e as informações dele confirmaram o que aparece nas imagens. Ele disse que os policiais chegaram de forma violenta já com as armas apontadas para atirar.
Além dos moradores, a polícia também ouviu a esposa do Murilo. Nesta segunda-feira (27), o delegado da DIG de Ourinhos, José Henrique Ribeiro Junior, irá para Bauru acompanhar a perícia que será feita nas imagens de circuito de segurança.
Os policiais estão presos temporariamente no presídio Romão Gomes, na capital paulista. Em nota, a PM informou que abriu uma investigação interna e, com base nas provas colhidas, representou pela prisão preventiva ao Tribunal de Justiça Militar dos policiais militares envolvidos na ação.
A reportagem da TV TEM tentou contato com o advogado dos policiais, mas não obteve retorno.
Imagens obtidas pela TV TEM mostram o momento em que dois policiais militares de Ourinhos (SP) executaram o foragido da Justiça por tentativa de homicídio. O rapaz de 26 anos foi alvejado mesmo após colocar as mãos na cabeça e não apresentar resistência.
No vídeo, é possível ver o momento em que Murilo Henrique Junqueira está próximo de uma casa com as mãos na cabeça.
Ele anda um pouco, quando é baleado com o primeiro tiro efetuado por um dos policiais e cai no chão. Na sequência, o PM efetua o segundo disparo (veja acima).
Ainda na imagem é possível ver quando o policial se aproxima do homem, abaixa e efetua o terceiro disparo. O jovem fica agonizando no chão enquanto o outro policial dá um tiro para o alto.
Uma arma foi apresentada na ocorrência pelos policiais, que teria sido usada pelo foragido antes das cenas gravadas pela câmera de monitoramento de uma casa.
No plantão, os PMs disseram que agiram em legítima defesa, reagindo a uma ação do criminoso. Mas a análise do vídeo feita pela DIG apontou que não houve confronto.
A Polícia Civil está buscando possíveis testemunhas, vizinhos da vítima, na Vila Operária, para conseguir mais detalhes de como tudo aconteceu.
"A polícia está ouvindo moradores com objetivo de identificar testemunhas presenciais. A possibilidade é grande, inclusive já identificamos algumas. Vamos estabelecer qual foi a participação de cada policial neste evento", afirmou o delegado.

Fonte: TV Tem



Nenhum comentário:

Postar um comentário