quinta-feira, 23 de setembro de 2021

Lins: simulou ter sido sequestrado é vai responder por crime de extorsão

Um jovem de Lins está sendo investigado por extorsão depois que simulou um sequestro e pediu R$ 700 aos pais, mas acabou sendo flagrado em um bar na cidade de Piratininga.
De acordo com o boletim de ocorrência, o jovem de 20 anos saiu de casa na noite de sábado (18), dizendo que iria encontrar uma mulher no bairro Morumbi. A mãe do jovem relatou à polícia que, de madrugada, mandou mensagem para saber onde o filho estava e ele respondeu que iria embora pela manhã.
Ainda conforme o BO, às 6h34 de domingo (19), a mulher recebeu uma mensagem através do WhatsApp do filho, pedindo o valor de R$ 700 para que ele fosse liberado.
"'Tâmo' na caminhada com seu filho. R$ 700 no PIX da firma pra gente liberar ele. Agita aí, dona", dizia a mensagem.
Segundo o registro policial, outras mensagens chegaram ao longo da manhã, pedindo para que a família fizesse a transferência até as 10h. Durante a conversa, os pais do jovem chegaram a receber uma foto dele com a cabeça coberta, em uma área de mata, e fizeram a transferência.
De acordo com a Polícia Civil, as equipes começaram a investigar o caso e descobriram que o jovem esteve em um bar em Piratininga. Imagens do circuito de segurança flagraram o morador no local na noite de domingo (19), consumindo produtos com uma jovem e outro rapaz.
Diante disso, a polícia constatou que a história não era verdadeira e que o jovem "tinha a finalidade de causar temor em sua família para que depositassem dinheiro em sua conta", conforme o BO.
No fim da tarde de segunda-feira (20), o jovem voltou para a casa e foi levado pelos pais à Central de Polícia Judiciária (CPJ) de Lins, onde tentou reafirmar a história do sequestro, mas acabou confessando a mentira.
O jovem disse à polícia que elaborou a história para conseguir dinheiro para usar drogas e passear em Piratininga com a mulher que conheceu por meio de um aplicativo de relacionamento. Confessou ainda que sujou as próprias roupas antes de chegar em casa para manter a história aos familiares.
O delegado Wanderley Gonçalves Santos informou que o jovem está sendo investigado em liberdade pelo crime de extorsão e pode cumprir pena de até oito anos.

Fonte: g1



Nenhum comentário:

Postar um comentário