segunda-feira, 9 de agosto de 2021

Pedágio de Jafa deve entrar em operação a qualquer momento; tarifa será de R$ 8,80

O diário oficial do Estado de São Paulo divulgou na última quinta-feira, 05, a autorização para o funcionamento da praça de pedágio instalada no distrito de Jafa. Com isso, basta a homologação do governo estadual, por meio da Secretaria de Transportes e Logística, para que a cobrança passe a ser realizada pela empresa Eixo SP, vencedora do processo de privatização realizado no ano passado.
Os preços a serem cobrados na praça de Jafa serão um pouco mais salgados que os anteriormente especulados, sendo que a cobrança ocorrerá em ambos os sentidos da pista. Para veículos de passeio, os valores serão de R$ 8,80; R$ 13,20 para veículo com semireboque; R$ 17,60 para veículo mais reboque; R$ 4,40 para motos.
Já os veículos comerciais terão de arcar com os respectivos valores ao passarem pelo pedágio: dois eixos, R$ 17,60; três eixos, R$ 26,40; quatro eixos, R$ 35,20; cinco eixos, R$ 44,00; seis eixos, R$ 52,80; sete eixos, R$ 61,60; oito eixos, R$ 70,40; nove eixos, R$ 79,20.
De acordo com o previsto no contrato de privatização da estrada, motoristas que viajam pelas rodovias sob gestão da Eixo SP Concessionária de Rodovias terão descontos por uso contínuo. O Desconto de Usuário Frequente é a tecnologia que entrará em funcionamento também nas praças em operação desde o início da concessão em Jaú, Dois Córregos, Brotas, Itirapina e Rio Claro.
O desconto para veículos de passeio (categoria 1) começa a contar a partir da segunda passagem realizada na mesma praça de pedágio, no mesmo sentido de fluxo e dentro de um mesmo mês calendário. A redução progressiva ocorre até a 30ª viagem no mês, conforme percentual fixo de redução em relação à tarifa cobrada na viagem anterior, até atingir a tarifa mínima determinada para a praça dentro de um mesmo mês.
Recentemente, uma decisão liminar da Justiça estadual determinou que a Eixo SP desobstrua a estrada vicinal que dá acesso à rodovia João Ribeiro de Barros (SP 294) nas proximidades da praça de pedágio em Jafa. 
A decisão foi assinada pela juíza Renata Lima Ribeiro, da 1ª Vara Cível de Garça, após ação apresentada pela Prefeitura, que solicitou a reintegração de posse do leito de uma estrada municipal. O processo dispõe que a Eixo SP obstruiu unilateralmente a estrada que dá acesso a diversas propriedades rurais com a instalação de defensas metálicas.
A juíza entendeu que a concessionária “extrapolou sua competência” ao não permitir que as pessoas que trafegam pela estrada vicinal possam acessar a rodovia SP 294. Ainda cabe recurso da decisão.

Fonte: Jornal Debate



Nenhum comentário:

Postar um comentário