quinta-feira, 19 de agosto de 2021

Empresários que furaram fila da vacina em Assis vão ter que pagar R$ 90 mil

A Promotoria de Justiça de Assis publicou o TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) com uma clínica particular situada na cidade e com três pessoas ligadas à empresa que furaram a fila da vacinação contra covid-19.
Pelo acordo, os compromissários deverão pagar, a título de dano moral difuso, o valor de R$ 90 mil, a ser destinado à Santa Casa de Misericórdia de Assis. O montante será pago em seis parcelas mensais de R$ 15 mil.
Assinado pelo promotor de Justiça Sergio Campanharo, o TAC leva em conta o fato de a clínica On Body Evolution ter relacionado Rodrigo Sabeh, Nami Sabeh e Neide Maria Costa Sabeh como trabalhadores da saúde, com vistas à obtenção do imunizante. Os indivíduos citados mantêm contrato de locação de serviços comerciais no espaço da clínica, possuem procuração do estabelecimento ou registro trabalhista com a clínica.
O documento considera ainda a existência de "orientação técnica no sentido de que trabalhadores da saúde são 'aqueles que atuam em espaços e estabelecimentos de assistência e vigilância à saúde', como detentores do direito à vacina"

Redação do Garca.Jor



Nenhum comentário:

Postar um comentário