terça-feira, 27 de julho de 2021

Câmara de Garça projeta sessões presenciais e com limitada participação do público


Uma reunião entre os membros da mesa diretora da Câmara de Garça foi realizada ao longo desta semana. Na pauta, um dos temas mais efetivos foi a retomada das reuniões camarárias presenciais, além de os encontros ordinários semanais voltarem a contar com a presença de público. 
As sessões estavam ocorrendo sem a presença de público desde o dia 16 de março do ano passado, como medida de prevenção à propagação da covid-19. Nesse período ficou mantida apenas a transmissão via rede social e no canal oficial do Legislativo garcense no You Tube. 
De acordo com Rafael Frabetti (DEM), presidente da casa, a Câmara implantou diversas medidas protetivas em relação à covid-19, como adoção do sistema de deliberação remota, sendo uma das primeiras câmaras do país a fazer uso de tal tecnologia, permitindo que os parlamentares pudessem manter a discussão e votação de matérias à distância.
Agora, a mesa diretora avaliou que será possível o retorno das sessões presencias, desde que sejam seguidos protocolos de segurança para preservar a saúde dos que desejarem assistir às sessões camarárias presencialmente e dos servidores da casa. 
A 24ª sessão ordinária de 2021, no próximo 02 de agosto, será realizada presencialmente e com público. Em análise preliminar, estima-se a retomada de até 30% do público, contando os servidores, imprensa, vereadores e munícipes. O percentual poderá aumentar ou diminuir de acordo com os protocolos adotados pelo governo estadual e municipal no controle à pandemia.
Medidas semelhantes só são possíveis com a conscientização de todos, bem como a adesão da vacinação de cada cidadão de acordo com seu grupo ou faixa etária.

Fonte: Jornal Debate



Nova legislação dá esperança para endividados quitarem pendências

Um total de 30 milhões de pessoas terá uma ampliação da chance de pagar suas dívidas. Em vigor desde o dia 02, a Lei do Superendividamento prevê uma espécie de recuperação judicial para pessoas físicas, forçando credores a sentarem à mesa para negociar. São regras com capacidade para injetar R$ 350 bilhões na economia, de acordo com estudo da OEB (Ordem dos Economistas do Brasil) e do Instituto do Capitalismo Humanista.
O valor diz respeito ao que deixa de estar comprometido para o pagamento de dívidas. Hoje, 70% das famílias estão endividadas — a maior proporção em uma década, segundo a Confederação Nacional do Comércio. São 60 milhões de pessoas, metade na categoria dos superendividados, estima o Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor). Se transportada para a realidade de Garça, mais de 20 mil pessoas teriam a perspectiva de renegociar suas pendências.
A Lei, de acordo com juízes e especialistas no assunto, traz um mecanismo importante para garantir os acordos. A ausência sem justificativa do credor na mesa de negociação o coloca no fim da fila do recebimento do crédito. Além de gerar a suspensão da cobrança do débito e a interrupção da incidência dos encargos, como juros.
Com descontos e prazos para pagamento, o superendividado pode voltar ao mercado. É a pessoa, de acordo com a norma, que não tem mais fôlego de pagar as dívidas vencidas e que vão vencer. Seja por causa de uma queda brusca na renda — situação acentuada na pandemia, com 14,8 milhões de desempregados. Seja por descontrole nos gastos que, em muitos casos, leva o devedor a comprometer parte significativa da renda ou mesmo contrair novos empréstimos para pagar contas antigas.
As mulheres que ganham de um a três salários mínimos representam a maior parte dos superendividados, de acordo com pesquisa da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Segundo a Serasa Experian, a dívida média é de R$ 3,9 mil, principalmente com cartão de crédito (29,7% do total), varejo (13%) e luz, água e gás (22,3%).

Redação do Garca.Jor



Meteorologia explica massa de ar polar que atingirá o Brasil

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) vem atualizando informações sobre a nova massa de ar polar que causará “frio intenso” nas regiões Sul, Sudeste, Centro-Oeste e no sul da Região Norte entre os dias 28 de julho e 1º de agosto.
Segundo meteorologistas, as temperaturas começam a declinar de forma acentuada a partir de hoje, 27 no Rio Grande do Sul. A frente fria deverá trazer chuvas para os três estados da Região Sul, estendendo-se também ao sul de Mato Grosso do Sul para, amanhã, 28, chegar em algumas localidades do Sudeste, como o leste de São Paulo, o sul de Minas Gerais e, em seguida, no Rio de Janeiro e Espírito Santo.
Em um vídeo disponibilizado no site do Inmet, a meteorologista Morgana Almeida informa que, eventualmente, em áreas de maior altitude, entre os dias 29 e 31, as temperaturas mínimas ficarão entre -6ºC e -8ºC. “Teremos, pelo menos durante três dias consecutivos, temperaturas máximas inferiores a 10ºC na Região Sul”, disse.
O Inmet acrescenta que, ainda no dia 28, a presença de um ciclone extratropical no Oceano Atlântico intensificará os ventos no litoral da Região Sul e também favorecerá a incursão de umidade nas serras gaúcha e catarinense.
“A combinação de umidade com o ar frio poderá favorecer a ocorrência de chuva congelada e/ou queda de neve nas áreas de maior altitude”, acrescenta a Meteorologia ao informar que persiste a previsão de que - entre os dias 28 e 31 de julho - o ar frio predominará por toda a Região Sudeste, Centro-Oeste e sudoeste da Amazônia Legal, ocasionando mais um episódio de friagem.
Entre os dias 30 de julho e 1º de agosto, a previsão é de que o ar frio avance sobre sul da Bahia e partes do interior da Região Nordeste, com “declínios de temperaturas entre 6ºC e 4°C, especialmente nas áreas de maior altitude”.
Entre os destaques climáticos elencados pelo Inmet está a persistência de chance de “mais um evento de queda de neve” nas serras gaúcha e catarinense, de forma “fraca e bem isolada” entre os dias 28 e 29, não sendo descartada a possibilidade de chuva congelada ou neve na serra do Sudeste no Rio Grande do Sul.
Os dias mais críticos – em termos de menores temperaturas, mínimas e máximas na Região Sudeste – serão 29 e 30 deste mês, com mínimas entre -2°C e -5°C na Serra da Mantiqueira, divisa entre São Paulo e Minas Gerais e máximas abaixo de 15°C em parte da região, especialmente nas regiões metropolitanas de São Paulo e Belo Horizonte. “Também são previstas temperaturas negativas no sul do Mato Grosso do Sul e no sudeste de São Paulo”.
Com relação a geadas, a Meteorologia informou que há previsão de “geadas amplas, que podem chegar com forte intensidade em algumas áreas, em todo interior do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina, além do sul e sudoeste do Paraná e, com menores chances, de forma mais pontual e de menor intensidade, entre o noroeste do Paraná e o extremo sul do Mato Grosso do Sul”.
Há também previsão de “geada ampla” dia 29 em praticamente toda a Região Sul, sul de Mato Grosso do Sul e sudeste de São Paulo. Não está descartada a possibilidade de chuva congelada nas áreas de maior altitude da Serra da Mantiqueira, localizada na divisa entre São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro.
No dia 30, a previsão de geada se entende para todo o estado de São Paulo, sul, Campo das Vertentes, oeste, Triângulo e Alto Paranaíba em Minas Gerais. Na Serra da Mantiqueira, a geada poderá ter intensidade de moderada a forte. Há também possibilidade de geada, de forma mais isolada, no sul de Goiás.

Fonte: Agência Brasil



Região administrativa de Marília vai discutir orçamento 2022 na quarta-feira

O governo do Estado de São Paulo realiza nesta quarta-feira, 28, audiência pública para a Região Administrativa de Marília para discutir a Orçamento de 2022. O evento acontece de forma remota e para participar é necessário se inscrever neste link https://forms.gle/WY3h5vDtszEC428v8.
Até dia 20 agosto serão realizadas 18 audiências públicas nas regiões Metropolitanas, Administrativas e Aglomerados Urbanos visando o Orçamento do Estado para 2022. Os encontros ocorrem virtualmente. A organização recomenda que a inscrição seja realizada com até uma hora de antecedência para recebimento do link.
As audiências são organizadas pelas Secretarias de Projetos, Orçamento e Gestão e de Desenvolvimento Regional, atendendo a Lei de Responsabilidade Fiscal. Trata-se de uma oportunidade para a comunidade contribuir, de maneira efetiva, na construção de um orçamento mais próximo do cidadão, que pode apontar áreas e ações prioritárias para a região em que ele vive.
Qualquer cidadão paulista ou residente no estado pode participar da audiência, com sugestões que visem o desenvolvimento social e econômico sustentável de sua cidade, região e Estado. Para participar, é necessário se inscrever acessando o site www.audienciasdoorcamento.sp.gov.br.
A realização deste trabalho visa assegurar a participação popular e a transparência do processo de elaboração do Projeto da LOA (Lei Orçamentária Anual) de 2022, possibilitando que o cidadão identifique quais ações são consideradas mais relevantes para o desenvolvimento socioeconômico do Estado de São Paulo e de suas regiões.
A RA de Marília é formada pelos municípios de Assis, Campos Novos Paulista, Cruzália, Cândido Mota, Florínia, Ibirarema, Lutécia, Maracaí, Palmital, Paraguaçu Paulista, Pedrinhas Paulista, Platina, Tarumã, Álvaro de Carvalho, Alvinlândia, Echaporã, Fernão, Gália, Garça, Júlio Mesquita, Lupércio, Marília, Ocauçu, Oriente, Oscar Bressane, Pompéia, Vera Cruz, Bernardino de Campos, Canitar, Chavantes, Espírito Santo do Turvo, Ipaussu, Óleo, Ourinhos, Ribeirão do Sul, Salto Grande, Santa Cruz do Rio Pardo, São Pedro do Turvo, Timburi, Arco Íris, Bastos, Borá, Herculândia, Iacri, João Ramalho, Parapuã, Quatá, Queiroz, Quintana, Rinópolis e Tupã.

Redação do Garca.Jor



Mãe é presa por tentar matar namorado da filha em Pirajuí

Uma mulher de 33 anos, que não teve a identidade revelada, foi presa por tentativa de homicídio após esfaquear o namorado da filha em Pirajuí.
O caso aconteceu na última sexta-feira, 23. A mulher chegou a ser levada para cadeia de Avaí (distante 90 quilômetros). Ela teve a liberdade provisória concedida em audiência de custódia no sábado, 24.
Segundo a polícia, a mulher havia proibido a filha, de 15 anos, de namorar o rapaz de 20 anos. Ao chegar em casa para almoçar na sexta-feira, a mãe encontrou o casal no quarto e ficou muito nervosa com a situação, iniciando uma discussão.
A mulher disse à polícia que esfaqueou o namorado da filha para se defender das agressões dele. No entanto, a versão foi negada pela vítima e pela adolescente, que disse que o namorado tentou defendê-la e em nenhum momento agrediu a mãe.
O jovem levou três facadas, uma delas no tórax, bem próxima do coração. Os outros ferimentos atingiram o antebraço e o ombro.
A vítima foi levada para o pronto-socorro e depois transferida para o Hospital de Base em Bauru (distante 110 quilômetros), onde permaneceu internado. Duas facas que foram usadas pela mulher foram apreendidas pela polícia.



A indiciada vai responder em liberdade pelo crime de tentativa de homicídio. A decisão da Justiça, que concede a liberdade, também determina que ela não pode se aproximar da vítima.

Fonte: Marília Notícia

Presidente da Tunísia suspende atividade de Parlamento e destitui primeiro-ministro

O presidente tunisiano, Kaïs Saied, aproveitou a conjunção de crise pela que atravessa o país para suspender as atividades do Parlamento e demitir o primeiro-ministro, Hichem Mechichi, com quem tinha atritos desde janeiro. Saied, um político populista eleito em 2019 com mais de 70% dos votos, justificou seu golpe de força com uma duvidosa interpretação do artigo 80 da Constituição, que permite ao presidente tomar “medidas excepcionais” no caso de uma situação de emergência. O Ennahda, o maior partido do Parlamento, chamou de “golpe de Estado” uma decisão que coloca a Tunísia em uma crise constitucional sem precedentes, e a transição democrática em seu momento mais delicado.
A inesperada jogada de Saied vem após um dia de protestos antigovernamentais que pediam a dissolução do Parlamento e uma profunda reforma do sistema político. Na capital, os protestos, convocados na internet por grupos civis e que não tinham o apoio de nenhum partido de peso, foram dispersados pela polícia na capital diante da sede da Assembleia Popular. Em diversas cidades, como Susa e Tozeur, os manifestantes invadiram a sede do Ennahda e destruíram o local. Desde a Revolução de 2011, o Ennahda esteve presente em maior e menor grau em todos os Executivos, de modo que é visto como a quintessência do establishment por muitos tunisianos.
Após o anúncio de Saied, transmitido pela televisão pública pouco depois das 21h30 (hora local), milhares de pessoas saíram às ruas para mostrar seu apoio ao presidente buzinando em seus carros e agitando bandeiras tunisianas. A comemoração foi permitida pela polícia apesar do toque de recolher em vigor das 20h às 5h da manhã, uma das medidas adotadas pelas autoridades para conter a explosão de infecções de covid-19. Os hospitais do país estão lotados, e muitos deles não têm oxigênio suficiente para fornecer aos pacientes com covid. Em um país de 11 milhões de habitantes, as mortes registradas pelo novo coronavírus oscilam por volta de 200.
O presidente fez um discurso muito duro, com um tom desafiador. “Muita gente foi enganada pela hipocrisia, a traição e o roubo dos direitos do povo... Alerto qualquer um que pense em recorrer às armas... quem disparar uma bala, as Forças Armadas responderão com balas”, disse elevando a voz e com semblante muito sério. Por enquanto, o único partido que condenou de modo contundente a decisão de Saied foi o Ennahda. Seu líder histórico e presidente do Parlamento, Rachid Ghannouchi, acusou o Chefe de Estado de lançar um “golpe contra a Revolução e a Constituição”. “Considerem que as instituições ainda estão funcionando, os seguidores do Ennahda e o povo tunisiano defenderão a Constituição”, afirmou Ghannouchi à agência Reuters. O mandatário também anunciou a retirada imediata da imunidade parlamentar de todos os deputados “para recuperar a paz social e salvar o Estado e a sociedade”.
“Estou muito feliz. Saied nos salvou da irmandade do Ennahda. Já era hora de agir”, comenta Jamila, uma mulher de meia idade que caminhava na noite de domingo pelo centro de Túnis envolta em uma bandeira tunisiana. “Não, não me preocupa que Saied possa se transformar em um ditador. Até Hitler seria melhor do que o Ennahda”, diz. Mesmo sendo minoria, entretanto, alguns receiam o golpe de força de Saied. “Estou preocupado. Não acho que um golpe de Estado e um presidente que se dê todos os poderes possam solucionar os problemas que temos”, afirma sentado em um café semiaberto Wael, um jovem de esquerda que se envolveu profundamente com a Revolução. O cliente da mesa ao lado o repreende: “Isso não é um golpe de Estado! É o presidente eleito!”, proclama, abrindo um debate que, muito provavelmente, agitará o país nos próximos dias.
A possibilidade de que o presidente Saied utilizasse o artigo 80 da Constituição para assumir plenos poderes já havia sido sugerida por um assessor em um relatório vazado em maio. Causou forte polêmica na época, e o presidente se afastou publicamente da iniciativa. Por essa razão, nas horas anteriores à ação de Saied ninguém poderia prever esse desenvolvimento dos acontecimentos.
O recurso do artigo 80 havia sido defendido por alguns seguidores de Saied como uma forma de sair da crise política pela que passa o país desde janeiro. O conflito começou após o chefe de Estado se negar a sancionar a nomeação dos novos ministros em uma remodelação do Executivo decidida pelo primeiro-ministro, Hichem Mechichi. A Constituição não dá ao presidente o poder de vetar a remodelação do gabinete, mas pela ausência de um Tribunal Constitucional pela falta de quórum na nomeação de seus membros, ninguém pode obrigá-lo a fazê-lo. Desde então, o país está afundado na paralisia política.
A combinação de crise vivenciada pelo país a sanitária se somou à econômica, social e política anteriores fez explodir a insatisfação entre a população. A eleição de Saied, um veterano professor de Direito Constitucional sem experiência política, já foi produto da insatisfação popular e da falta de confiança na classe política. Dois anos depois, a irritação dos tunisianos com o Governo é ainda maior, o que abriu uma janela de oportunidade ao presidente para confirmar seu predomínio. Em parte, o sucesso do movimento de Saied dependerá da reação dos outros atores políticos e dos países ocidentais, cujo apoio foi fundamental para que o país não caísse na bancarrota.

Fonte: El País



Homem é morto a tiros após briga com o atual companheiro da ex-mulher em Marília

Um homem, de 27 anos, foi morto a tiros, na tarde deste domingo, 25, próximo a uma igreja no bairro Nova Marília, na zona sul da cidade.
De acordo com a Polícia Civil, a vítima, Jonathan Henrique da Silva Germano, estava andando de moto com uma pessoa na garupa quando viu o atual companheiro da sua ex-mulher em outra motocicleta e o derrubou com um chute.
Em seguida, eles entraram em luta corporal e o suspeito, de 32 anos, atirou contra Jonathan, que foi atingido com três tiros e morreu no local. Após o crime, o homem fugiu de moto.
A testemunha que estava na garupa da vítima contou que o suspeito chegou a apontar a arma para ela, mas não atirou.
Ainda segundo a polícia, a motocicleta pilotada pelo homem no momento do crime é da ex-mulher de Jonathan e foi encontrada pelos policiais no quintal da residência dela.
O suspeito ainda não foi localizado pela polícia. A Delegacia de Investigações Gerais (DIG) segue investigando o caso.

Fonte: TV Tem



Homem é preso após esfaquear mulher em Bastos

A polícia atendeu uma ocorrência de violência doméstica em Bastos. Ao chegar no local, a vítima já estava sendo socorrida pela ambulância, com um ferimento causado por faca.
De acordo com o boletim de ocorrência, populares informaram que o autor do crime estava dentro da residência. Ao adentrar a casa, os policiais viram o indivíduo todo ensanguentado, com uma faca em mãos.
Após negociação, ele largou a faca e foi submetido a busca pessoal. Ao ser questionado, ele afirmou que brigou com a mulher e a golpeou com uma faca.
Conforme o boletim, o indivíduo apresentava sinais de embriaguez e pela residência havia móveis revirados na sala e cozinha, bem como manchas de sangue no chão e paredes.
Após perícia, o indivíduo foi conduzido à Central de Polícia Judiciária (CPJ) e recebeu voz de prisão em flagrante. Ele permanece à disposição da justiça.

Fonte: TupãCity



quarta-feira, 21 de julho de 2021

Aulas presenciais na rede municipal de Garça vão ser retomadas em 02 de agosto

A volta às aulas na rede municipal de ensino de Garça, com a presença de 100% dos alunos, será a partir de 02 de agosto, seguindo o novo plano de ampliação da retomada das aulas presenciais proposto pelo governo do Estado de São Paulo. No entanto, caso os responsáveis não se sintam seguros em enviar os discentes às instituições de ensino, os alunos poderão frequentar remotamente as aulas no mês de agosto.
A Secretaria Municipal da Educação divulgou que, para a recepção dos alunos e a realização de escalonamento de turmas se necessário, será realizada uma pesquisa com os pais e responsáveis para saber quais crianças frequentarão o ensino presencial.
"Solicitamos assim que a pesquisa seja respondida por todos os responsáveis pelos alunos regularmente matriculados na rede municipal. Para uma decisão mais consciente de todos, queremos reforçar que todas as unidades escolares seguem o documento 'Protocolo de Volta às Aulas – 2º Versão', no qual constam detalhadamente os protocolos sanitários, que visam uma higienização mais rigorosa de todos os espaços escolares, além de estabelecer outras ações, como: aferição de temperatura ao adentrar na escola e/ou transporte escolar, uso de máscara obrigatório a partir dos dois anos de idade, marcações no solo, demarcando o fluxo de entrada e saída das pessoas, cartazes informativos, entre outros" dispõe o informativo que está sendo enviado para todos os pais e responsáveis.
Todas as escolas respeitarão o distanciamento de um metro entre os alunos em todos os ambientes escolares, inclusive nos de acesso comum. Para o desenvolvimento de quaisquer atividades, o planejamento das atividades ocorrerá em conformidade com a capacidade física dos espaços e haverá constante monitoramento de riscos de propagação da covid-19.
A vacina contra a covid-19 foi ofertada para todos os profissionais da educação que atuam no município de Garça. Já para os pais e responsáveis que optarem apenas pelo ensino remoto no mês de agosto as atividades deverão ser retiradas semanalmente na unidade escolar.

Redação de Garca.Jor



Homem é preso suspeito de assediar vendedora em praça no centro de Garça

Um homem de 60 anos foi preso em flagrante na tarde desta quarta-feira, 21, em Garça, suspeito da prática de importunação sexual.
De acordo com informações da PM, por volta das 15h30, a vítima, uma produtora de vendas que trabalhava na Praça Ruy Barbosa, no centro da cidade, ofereceu um produto para o homem.
Nesse momento, ainda segundo a ocorrência, o indiciado assediou a mulher. Primeiro a chamou para ir até um motel e depois teria passado as mãos em suas coxas e seios.
Os policiais foram chamados e detiveram o suspeito, que foi encaminhado para a Delegacia de Defesa da Mulher (DDM).
O homem foi autuado em flagrante e transferido para a Central de Polícia Judiciária (CPJ) de Marília.

Fonte: G1



Carro da prefeitura pega fogo após motorista tentar dar partida em Assis

Um carro da prefeitura de Assis pegou fogo no estacionamento da administração municipal na manhã desta quarta-feira, 21.
De acordo com o Corpo de Bombeiros, o motorista, que é um servidor público, relatou que ao dar partida no carro, o motor começou a pegar fogo e as chamas se espalharam rapidamente atingindo todo o veículo.
Os bombeiros disseram ainda que o fogo foi controlado para que não atingisse outros carros que estavam ao redor. Apesar do susto, ninguém ficou ferido.

Fonte: TV Tem



Duas unidades escolares de Garça têm suspensão de aula por suspeita de covid-19

Duas unidades escolares de Garça suspenderam algumas aulas devido a casos suspeitos de coronavírus.
A suspensão foi publicada em Diário Oficial do Município, na terça-feira, 20, e considera o monitoramento diário de casos suspeitos e positivos de Covid-19.
Foram suspensas aulas nas seguintes salas: turma multiseriada B integral, no período de 19 de julho a 25 de julho de 2021, no Núcleo de Educação Infantil (NEI) Júlio “Julinho” Marcondes de Moura; e turma 2º ano A, da manhã, no período de 20 a 26 de julho, na Emeief Claudia Maria Rodrigues Aronne.
“Fica determinado que se os casos suspeitos nas salas afastadas se apresentarem resultados negativos antes do término do período de suspensão das atividades, as mesmas serão retomadas imediatamente no dia seguinte ao resultado”, diz a resolução publicada.
O Marília Notícia questionou a administração sobre quantos casos suspeitos há em cada turma e também uma atualização sobre o panorama geral de ocorrências da doença nas escolas do município, mas até a publicação desta reportagem não houve retorno. 

Fonte: Marília Notícia



ONG quer punição de promotor que denunciou mãe após filha ir ao candomblé

A ONG Educafro encaminhou ao MP-SP (Ministério Público de São Paulo) e ao CNMP (Conselho Nacional do Ministério Público) duas representações contra o promotor Gustavo Simioni Bernardo, de Campinas.
A organização pede que Simioni responda criminal e administrativamente por racismo ao associar o candomblé ao crime de lesão corporal. Sob esse argumento, o promotor denunciou uma mãe por permitir que a filha de 11 anos passasse por um ritual da religião —as "curas", que consistem em pequenas marcas na pele.
No documento já registrado no MP-SP, a ONG pede que Simioni responda criminalmente pelo crime de racismo. Para a Educafro, a denúncia do promotor feriu o artigo 20 da lei federal (7716/89) que estabelece penas para racismo no Brasil —o artigo criminaliza "praticar, induzir ou incitar a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional".
Em nota enviada ao UOL, o MP-SP informou que a representação está sob análise. A instituição também afirma que "o racismo religioso tem sido pauta de discussões e estudos internos", com foco na atuação de todos os integrantes do MP.
Já no CNMP (Conselho Nacional do Ministério Público), a representação da Educafro, também já registrada, pede que o promotor seja punido administrativamente —com suspensão ou advertência. Além disso, a ONG pede que o órgão redija uma resolução para reforçar a liberdade religiosa e evitar reincidência de casos do tipo.
A ONG argumenta que a denúncia do promotor "caracteriza mais um triste e inequívoco exemplo do racismo religioso estruturalmente presente nas instituições brasileiras".
Simioni denunciou Juliana Arcanjo Ferreira, 33, no dia 20 de maio. Em outubro de 2020, a filha da vendedora, de 11 anos, passou pelo processo das "curas". Pouco mais de três meses após o ritual, o pai da menina, Bruno Henrique Penedo, 34, registrou um boletim de ocorrência por agressão à criança, ainda que ambas tenham explicado se tratar de uma prática religiosa.
Ao fim das investigações, Simioni denunciou Juliana por lesão corporal leve contra criança, associada à Lei Maria da Penha.
No último dia 15, o juiz Bruno Paiva Garcia, da comarca de Campinas do Tribunal de Justiça de São Paulo, absolveu Juliana e afirmou que não havia qualquer prova de agressão —mas, sim, intolerância religiosa contra o candomblé.
Ainda que Juliana tenha sido absolvida, a Educafro pede que Simioni seja punido. De acordo com Irapuã Santana, advogado da organização e doutor em Direito Penal, o racismo independe da sentença do juiz.
"Independentemente da sentença do juiz, a denúncia foi baseada em racismo e gerou problemas. Ela foi acusada de ter cometido um crime contra sua própria filha por exercer sua religião. É racismo da forma mais pura."
As representações contra Simioni também apontam que a denúncia redigida fere o Estatuto da Igualdade Racial e o artigo 5º da Constituição Federal, que prevê: "ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa".
Colocar um processo penal sobre uma pessoa por exercer sua religião é contrário a tudo que prega o Brasil, o estado laico, a Constituição. Também vai contra tudo que o movimento negro tem lutado, porque uma das bases de uma sociedade plural é justamente essa liberdade individual."
Irapuã Santana, advogado da Educafro e membro do Instituto Brasileiro de Direito Processual
Em entrevista recente ao UOL, Juliana conta que viu a filha pela última vez em 21 de janeiro, pouco antes de ela ir passar alguns dias na casa do pai. Três dias depois, data marcada para o retorno, o ex-marido enviou uma mensagem com a medida protetiva emitida pelo conselho tutelar baseada no boletim de ocorrência registrado por ele.
"Criei a minha filha sozinha desde que ela tinha seis meses de idade. Não consigo falar com ela nem pelo telefone. Não sei como ela está, mas creio que não esteja bem. Ela é muito apegada a mim", disse.
Juliana também contou que a filha frequentava o candomblé havia dois anos e nunca se opôs.

Fonte: UOL



Mega-Sena: sorteio acumula e premio vai a R$ 7 milhões

A Caixa realizou na noite desta quarta-feira, 21, em São Paulo, o sorteio do concurso 2392 da Mega-Sena. Os números sorteados foram 11-15-23-25-34-53. De acordo com o banco, nenhuma aposta levou o prêmio na faixa principal e o prêmio, que era de pouco mais de R$ 3 milhões, subiu para R$ 7 milhões.
O sorteio teve ainda 31 apostas vencedoras na faixa da quina. Cada uma delas vai embolsar a quantia de R$ 52.887,76.
Outras 2.525 apostas foram contempladas com R$ 927,59, valor para quem acertou a quadra.
O concurso 2393 está marcado para o próximo sábado, 24, em São Paulo, em evento que será realizado a partir das 20h (horário de Brasília) com transmissão ao vivo pela internet.

Fonte: Rádio Sul



Justiça condena paciente que causou danos materiais na UPA de Assis

A Justiça de Assis condenou um homem de 40 anos que no dia 10 de fevereiro desse ano buscou atendimento na Unidade de Pronto Atendimento de Assis (UPA) e em função da demora em receber atendimento descontrolou-se e quebrou vários equipamentos do local.
A condenação é de oito meses e cinco dias, em regime inicial semiaberto, além do pagamento de multas e custas judiciais.
Ele não foi condenado a pagar os equipamentos porque não consta dos autos estimativa do valor do prejuízo causado.
No dia dos fatos ele foi preso em flagrante e pagou fiança no valor de R$ 1,1 mil e foi liberado.

Fonte: AssisCity



COI define que Olimpíadas de 2032 vai ser realizada em Brisbane, na Austrália

A cidade de Brisbane, na Austrália, foi oficializada como a sede dos Jogos Olímpicos de 2032. A escolha foi confirmada em assembleia geral do Conselho Executivo do COI (Comitê Olímpico Internacional) e confirmada pela entidade por meio das redes sociais. Ao todo, foram 80 votos distribuídos, sendo 77 válidos, três abstenções e 39 majoritários. Brisbane teve 72 votos favoráveis e cinco contra.
Com isso, a Austrália se torna anfitriã olímpica pela terceira vez. Anteriormente, ela realizou os Jogos em Melbourne em 1956 e em Sydney em 2000. O COI agora tem os próximos três Jogos de Verão mapeados: os de 2024 serão realizados em Paris, enquanto os Jogos de 2028 serão em Los Angeles.
Com a sede em 2032, os Jogos Olímpicos passarão por cinco continentes em sequência: América do Sul (Rio de Janeiro), Ásia (Tóquio), Europa (Paris), América do Norte (Los Angeles) e Oceania (Brisbane).
Para comemorar a escolha, foram montados telões em algumas regiões da cidade. Em South Bank, foi montado um palco para apresentações musicais à espera do anúncio. A candidatura teve apoio dos governos municipal, estadual e federal, além do setor privado, o que agradou.
O processo de escolha de Brisbane foi diferente das edições passadas. O COI abriu um diálogo com as cidades que apresentassem uma candidatura viável para sediar os Jogos e a cidade australiana foi a única a mostrar ter condições.
John Coates, presidente do Comitê Olímpico Australiano (AOC) afirmou que esses serão os "Jogos da União". Já a governadora da província de Queensland - onde fica Brisbane -, Annastacia Palaszczuk, falou como o evento irá ajudar a acelerar as obras de infraestrutura da região.
Brisbane, capital de Queensland, é uma grande cidade às margens do rio Brisbane, com cerca de 2,3 milhões de habitantes.

Fonte: O Globo



terça-feira, 20 de julho de 2021

Poupatempo deve ser instalado em Garça junho ao Centro de Atendimento ao Cidadão

Garça deverá ter nos próximos meses uma unidade do Poupatempo, conforme indicação da Prodesp (Companhia de Processamento de Dados do Estado de São Paulo). 
O Poupatempo na cidade deve ser implantado junto ao CAC (Centro de Atendimento ao Cidadão), que está em processo de finalização e vai ocupar o prédio que até há pouco abrigava a galeria municipal "Edith Nogueira". 
Além do Poupatempo, no CAC devem ser concentrados outros serviços como IPTU, Procon, solicitação de alvarás, protocolo, Banco do Povo, abertura de empresas, entre outros. 
Atualmente esses serviços são ofertados em diferentes prédios da administração, o que acaba dificultando, especialmente quando o assunto é tempo. O CAC tem por objetivo oferecer serviços com mais rapidez e qualidade. 

Redação do Garca.Jor



Hospital São Lucas passa a contar com novo diretor administrativo

Desde o final de junho, o Hospital São Lucas de Garça passou a contar com um novo diretor administrativo. Trata-se do farmacêutico Plínio Hernandes, que assume o posto que vinha sendo ocupado por Emerson Gomes. 
O novo diretor é funcionário há mais de oito anos da AHBB (Associação Hospitalar Beneficente do Brasil), empresa terceirizada que é responsável pela administração da unidade hospital garcense. Anteriormente, ele atuava como gerente de operações na estrutura da Associação.

Redação do Garca.Jor



Saae oferece curso de treinamento em altura a servidores

O Saae (Serviço Autônomo de Águas e Esgotos) ofereceu a alguns de seus servidores um treinamento sobre trabalho em altura. A ação seguiu o que preconiza a NR-35, norma que define e regulamenta o trabalho em altura, além de apontar quem pode realizar essa atividade e estabelecer os requisitos mínimos e as medidas de proteção para tal ação. 
O treinamento foi ministrado pelo bombeiro e técnico em Segurança do Trabalho, Carlos Salviano, tendo como público alvo servidores da autarquia que executam atividades que exigem o trabalho em altura, sejam elas limpeza e manutenção de caixas d´água, vazamentos, almoxarifados, ou acompanhamento de obras e estruturas, entre outras. 
O curso, com duração de oito horas, foi realizado em duas turmas, seguindo as medidas sanitárias em período de pandemia, evitando aglomerações. Esse tipo de treinamento ocorre a cada dois anos e é fundamental para orientar os servidores quanto à importância do uso dos EPIs (Equipamentos de Segurança), principalmente no caso das atividades em altura.

Redação do Garca.Jor




Administração municipal inicia operação do Núcleo de Apoio Psicológico

A Prefeitura de Garça, por iniciativa da Secretaria de Gestão Administrativa, implanta um novo serviço especialmente voltado aos servidores municipais. 
Trata-se do Naps (Núcleo de Apoio Psicológico ao Servidor). Essa ação surgiu da necessidade de oferecer apoio psicológico aos servidores municipais para resolver conflitos pessoais e também no ambiente de trabalho. 
O Núcleo contará com uma sala instalada na rua Carlos Gomes, vizinha aos Correios, e ali os servidores poderão ser recepcionados, sendo que os atendimentos ocorrerão semanalmente, às quintas-feiras. Quem estará atuando à frente do Naps será a psicóloga Ellen Cristina Sganzerla Gonçalves. 
Os agendamentos poderão ser efetuados pelo telefone 3407 6600, ramal 1113.

Redação do Garca.Jor



Pedro Castillo é oficialmente declarado presidente eleito do Peru

O Juizado Nacional Eleitoral (JNE) do Peru, proclamou na noite de segunda-feira, 19, oficialmente, Pedro Castillo como novo presidente do país, após todos os recursos apresentados por sua adversária, a ultradireitista Keiko Fujimori, terem sido rejeitados pela corte.
A proclamação confirma aquilo que as urnas já haviam manifestado. Castillo venceu o segundo turno do pleito presidencial com 50,13% dos votos, contra 49,87% da filha do ex-presidente Alberto Fujimori.
Mais cedo, Keiko disse que “reconhecia” a derrota para Castillo. Ela não conseguiu provar, em nenhum momento, as supostas fraudes que apontava no pleito.
Castillo toma posse no dia 28 de julho. Pelo Twitter, o presidente eleito agradeceu o apoio popular e pediu unidade para o país.
"Obrigado povo peruano por este triunfo histórico. Chegou o momento de convocar todos os setores da sociedade para construir, unidos, um Peru inclusivo, um Peru justo, um Peru Livre, sem discriminação e pelos direitos de todos e todas", disse.
A apuração do segundo turno das eleições peruanas foi acirrada e o resultado das eleições só foi conhecido dias depois.
No dia da votação, 06 de junho, pesquisas boca de urna e até mesmo a contagem rápida feita por institutos de pesquisa indicavam um empate técnico entre os dois candidatos.

Fonte: Opera Mundi



Paulistânia: mulher morre esfaqueada e ex-marido é suspeito

Um homem, de 50 anos, é suspeito de matar a ex-mulher, de 41 anos, na noite desta segunda-feira, 19 em Paulistânia.
De acordo com a Polícia Civil, a vítima, Suzete da Silva, levou um golpe de punhal na nuca e morreu no local. As testemunhas acionaram a Polícia Militar, mas o suspeito ainda não foi localizado.
O caso foi registrado como feminicídio e a Polícia Civil já solicitou à Justiça um mandado de prisão contra o homem.
O velório de Suzete foi realizado na manhã desta terça-feira, 20, em Cabrália Paulista e o enterro aconteceu no começo da tarde, às 13 horas, no cemitério da cidade.

Fonte: G1




Prefeitura de Garça vai notificar cadastrados para ser vacinados por WhatsApp

A Prefeitura de Garça vai iniciar nesta semana um trabalho de notificação por WhatsApp para pessoas que fizeram pré-cadastro para vacinação com a primeira dose contra covid-19 na cidade.
“Além das listas estarem publicadas no site da Prefeitura, os munícipes também receberão uma mensagem no celular”, explicou o diretor de Inovação e Transformação Digital, Márcio da Mata. 
Atualmente o cadastro prévio oferece acesse para público com idades entre 40 a 42 anos. Os cadastrados terão que comprovar as informações apresentadas. O link para cadastro está disponível no site da prefeitura.
Na mensagem constam as seguintes informações: o nome completo do munícipe, a data, local e horário da vacinação. Assim como, um lembrete para levar o documento original com foto, comprovante de residência e o comprovante de pré-cadastro.
Ainda segundo o diretor, é importante tomar cuidado no preenchimento dos dados corretamente durante o pré-cadastro.
Já as informações para a segunda dose, com a lista de convocados, data, local e horário da vacinação serão publicados no site (www.garca.sp.gov.br) e em todos os canais oficiais de informação da Prefeitura, assim como, compartilhados para a imprensa local, que incluem jornais, rádios e internet.    
Em caso de dúvidas, a Prefeitura ainda disponibiliza o telefone 3737-1919”, para auxiliar os munícipes. As Unidades de Saúde também poderão auxiliar na hora de fazer o pré-cadastro.

Redação do Garca.Jor



Resultado da primeira etapa do Prouni já está disponível

O resultado da primeira etapa do Programa Universidade para Todos (Prouni) já está disponível, desde a manhã desta terça-feira, 20, no site gov.br, plataforma do governo federal que reúne, em um só lugar, serviços para o cidadão e informações sobre a atuação de todas as áreas do governo. Caso o estudante não seja cadastrado, basta criar a conta. 
No site é possível conhecer a lista de pré-selecionados e ver a listagem, em ordem alfabética, em cada curso, que é única e compreende pré-selecionados em ampla concorrência e ações afirmativas, segundo o Ministério da Educação. 
Os estudantes convocados terão de hoje a 28 de julho para comprovar as informações.
O resultado da segunda chamada está marcado para 3 de agosto, com a comprovação de dados no período de 3 a 11 de agosto. Haverá ainda lista de espera no período de 17 a 18 de agosto. O resultado deve sair no dia 20 de agosto e a entrega de documentos ficará para o período de 23 a 27 de agosto
As inscrições para o Prouni do segundo semestre terminaram na sexta-feira (16). Ao todo estão sendo ofertadas 134.329 bolsas, sendo 69.482 integrais e 64.847 parciais, para 10.821 cursos em 952 instituições de ensino superior da rede privada. 
Para concorrer às bolsas integrais, o estudante teve que comprovar renda familiar bruta mensal, por pessoa, de até um e meio salário mínimo. Para as bolsas parciais (50%), a renda familiar bruta mensal deve ser de até três salários mínimos por pessoa. 
Podem se inscrever estudantes brasileiros que não tenham diploma de curso superior e que tenham participado do Enem 2020 e obtido, no mínimo, 450 pontos de média nas provas. O estudante também não pode ter tirado zero na redação.

Fonte: Agência Brasil



Alunos do ensino médio terão uma aula a mais por dia no próximo ano em SP

Os alunos do 2º e 3º anos do ensino médio das escolas estaduais de São Paulo terão uma aula a mais por dia a partir do próximo ano.
O secretário estadual de Educação, Rossieli Soares, informou que as aulas adicionais poderão ser dadas de forma remota, pelo Centro de Mídias. “Aqui nasce o verdadeiro ensino híbrido”, disse nesta terça (20).
Atualmente, os estudantes dessas séries têm sete aulas por dia no turno diário. A ampliação será progressiva. A partir de 2022, o 2º ano do ensino médio passará a ter 8 aulas diárias. Em 2023, a medida será estendida ao 3º ano.
Para as turmas do período noturno, a ampliação para 8 aulas diárias irá ocorrer já a partir 1º ano do ensino médio.
O governo João Doria (PSDB) aposta na ampliação do tempo dos alunos em sala de aula para mitigar os prejuízos de aprendizagem durante a pandemia.
A aula adicional no formato remoto também foi a forma encontrada pela gestão estadual para cumprir a carga horária prevista pela reforma do ensino médio no período noturno. Pela lei, no novo formato, os estudantes devem ter 3.000 horas de aula nos 3 anos dessa etapa.
A legislação já previa que até 30% das aulas do noturno poderiam ser dadas na modalidade a distância - no período diurno, o limite é de 20%.
As aulas na rede estadual têm 45 minutos de duração. Com a ampliação, os alunos do diurno terão por semana 3h45 minutos a mais de aulas. Os do noturno, 6 horas adicionais por semana.
Hoje, as turmas do noturno na rede estadual têm apenas 5 aulas diárias, o que não permitia alcançar as 3.000 horas previstas no novo ensino médio. As turmas diurnas já ultrapassavam essa carga horária, com a mudança vão passar de 3.050 para 3.150 horas nessa etapa.
Segundo Soares, as aulas adicionais serão voltadas para orientação de estudos e disciplinas eletivas, escolhidas pelos alunos.
Segundo Soares, as escolas vão definir de acordo com sua realidade como serão as aulas adicionais, se presenciais ou remotas.
O secretário informou ainda que os alunos e unidades receberão equipamentos e internet para que possam acompanhar o ensino a distância. Não foi detalhado como será esse suporte digital. Durante a suspensão das aulas presenciais, os estudantes da rede estadual tiveram difiuldade de acompanhar as atividades remotas.
O novo currículo do ensino médio começou a ser implantado em São Paulo neste ano para mais de 460 mil alunos matriculados na 1ª série dessa etapa.
A reforma do ensino médio foi aprovada em 2017, no governo Michel Temer (MDB), para todo o país, com a previsão de flexibilizar a formação do aluno. A gestão Jair Bolsonaro (sem partido) definiu que a implementação total do novo modelo deve ocorrer até 2024.
Pela lei, o novo currículo deve oferecer ao menos cinco itinerários formativos: linguagens; matema´tica; cie^ncias da natureza; cie^ncias humanas e sociais aplicadas; formação técnica e profissional. Isso quer dizer que, além das matérias tradicionais, o jovem define um itinerário e pode escolher disciplinas eletivas voltadas ao seu interesse.
A secretaria fez uma pesquisa com 376 mil alunos do 1º ano do ensino médio das escolas estaduais para identificar as áreas de preferência. Linguagens foi a que teve maior manifestação de interesse, de 56% dos jovens. Em seguida, foram as áreas de ciências humanas (44%), matemática (34%) e ciências da natureza (30%). Os alunos podiam indicar mais de um itinerário.
Em São Paulo, ficou definido que todas as escolas devem oferecer ao menos os quatro itinerários básicos (formação técnica não é obrigatória), ainda que de forma integrada. Por exemplo, uma unidade pode ofertar junto a uma mesma turma os itinerários de linguagens e ciências humanas.
Para isso, algumas unidades terão de ampliar o número de turmas que atendem. Segundo a secretaria, 880 escolas estaduais têm apenas uma turma de cada série do ensino médio. Elas precisam obrigatoriamente ao menos duplicar as turmas para ofertar dois itinerários diferentes aos estudantes.
Com o aumento de salas, a secretaria calcula que, a partir de 2022, as escolas terão 121 mil aulas a mais para serem distribuídas entre os professores. Para atender essa ampliação, a pasta planeja contratar 10 mil novos docentes.
A contratação ainda depende de aprovação na Assembleia Legislativa.

Fonte: Folha de São Paulo



segunda-feira, 19 de julho de 2021

Escola estadual "Norma Mônico Truzzi" vai passar a ter ensino integral

Setecentas e setenta e oito escolas da rede pública estadual, de 118 cidades, vão passar a fazer parte do PEI (Programa de Ensino Integral), a partir de 2022. Com isso, 1.855 escolas no total serão atendidas pela iniciativa. A expectativa da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo é beneficiar 387,3 mil novos estudantes de ensino fundamental e ensino médio. Com as novas adesões, o PEI estará presente em 427 municípios paulistas, em todas as regiões do Estado. Atualmente, são 437 mil estudantes atendidos em 1.077 escolas, de 309 cidades.
O deputado estadual Vinícius Camarinha (PSB) apresentou um comunicado, no qual indica que cidades da região vão ser incluídas na lista das novas instituições de ensino que passarão a ter ensino integral. E dentre elas está a escola "Normal Mônico Truzzi", instalada no distrito de Jafa. 
Segundo o deputado, em breve serão iniciados os procedimentos para a adequação dessa unidade para que no próximo ano letivo — já com a perspectiva de uma normalidade no que se refere à oferta de aulas presenciais — a escala jafense passe a atender seus alunos nesse formato de ensino.
A ampliação é resultado da participação das 91 diretorias de ensino no processo de adesão deste ano, disponibilizado entre março e junho.
O número de PEIs será quintuplicado, em comparação a 2018, quando o programa estava presente em 364 unidades escolares. A partir de 2022, serão 1.855. 
O Plano Nacional de Educação prevê que, em 2024, no mínimo, 25% dos alunos da Educação Básica sejam atendidos em jornadas de mais de sete horas. Com as novas PEIs, São Paulo atinge esse objetivo, no âmbito de sua rede estadual, já em 2022.
Criado em 2012, o Programa de Ensino Integral potencializa a melhoria da aprendizagem e o desenvolvimento integral dos estudantes, nas dimensões intelectual, física, socioemocional e cultural, por meio de um modelo pedagógico articulado a um formato pré-definido de gestão.
No primeiro, são trabalhadas práticas pedagógicas, como Tutoria, Nivelamento, Protagonismo Juvenil com Clubes Juvenis e Líderes de Turma, além de componentes curriculares específicos, como Orientação de Estudos e Práticas Experimentais, que potencializam a formação integral do estudante a partir do seu “projeto de vida”.
O segundo permite o planejamento, desenvolvimento e acompanhamento das ações pedagógicas, de maneira estruturada.

Fonte: Jornal Debate



MP investiga suposta irregularidade em contratação de empresa por parte da Prefeitura

Como divulgado anteriormente por DEBATE, uma comissão parlamentar de inquérito foi realizada no âmbito da Câmara Municipal recentemente para analisar projetos de empreendimentos urbanísticos aprovados pela Secretaria Municipal de Planejamento e Desenvolvimento Urbano a partir de 2016. O resultado dessa comissão ensejou uma representação do Ministério Público de São Paulo para investigar irregularidades que poderiam ter sido praticadas pelo prefeito de Garça, João Carlos dos Santos (DEM), em relação à Lei de Licitações.
Um dos problemas centrais identificados para a representação seria a contratação, com dispensa de licitação, da empresa Kapa Pavimentação, em 2020, visando o asfaltamento do futuro distrito empresarial, que está sendo implantado na SP 294, na saída para Marília.
A Prefeitura de Garça teria realizado três processos licitatórios para a contratação de uma empresa pra realizar o serviço e nenhum deles conseguiu ser finalizado com um vencedor. Isso levou a administração a contratar de forma direta a Kapa Pavimentações, com um valor de R$ 1,9 milhão. 
Trinta dias depois, a Prefeitura efetuou um aditamento de mais de 30%, sendo que a obra, então, passou a ter um custo de R$ 2,5 milhões. A Lei das Licitações dispõe que o aditamento não pode ultrapassar o limite legal de 25% em relação ao valor inicialmente contratado.
O promotor Reginaldo César Faquim determinou que a portaria de abertura do inquérito seja encaminhada à Procuradoria-Geral de Justiça, "tendo em vista que os fatos noticiados caracterizam, ao menos em tese, infração penal atribuída ao senhor prefeito municipal de Garça, com prerrogativa de foro", dispôs.
O membro da promotoria também solicitou ao órgão técnico criminal do Ministério Público a elaboração de parecer sobre a licitação deserta (sem participantes) e da contratação direta, comparando se há correspondência entre o projeto, o edital de convocação e o contrato firmado.
A Prefeitura de Garça emitiu uma nota sobre a questão, indicando que as licitações citadas ocorreram em maio, julho e setembro do ano passado. O valor máximo reservado para a realização da obra, segundo a nota, era de R$ 1.912.421,19, objeto de um contrato de financiamento junto à Caixa Econômica Federal.
As duas primeiras licitações foram desertas, em maio e julho. Já na terceira vez, uma empresa interessada apresentou uma proposta no valor de R$ 2.468.278,56, ou seja, R$ 555.857,37 a mais do que o valor fixado, o que fez com que ela fosse desclassificada.
“Em decorrência disso, houve a contratação direta da empresa Kapa, nas mesmas condições da licitação anterior, no valor de R$ 1.911.371,07, representando uma economia de R$ 1.050,12 em relação ao valor máximo reservado pelo município. Com relação ao aditivo contratual, vale lembrar que a Lei nº 8.666/1993 autoriza o aditamento de até 25%, porém, para a conclusão de todo o serviço, seria necessário aditar 31,2%. Se fosse realizada uma nova licitação pelos 6,2%, acima dos 25%, ocasionaria novos custos município, especialmente em relação à mobilização”, apontou a Prefeitura. 
A administração indica ainda que, diante do aumento dos insumos da área de construção civil e do petróleo, no final de 2020, a atualização da planilha orçamentária — caso houvesse uma nova licitação —, geraria um acréscimo no valor dos itens de quase R$ 100 mil, além dos gastos relativos à instalação de um novo canteiro de obras e serviços de topografia, assim como o tempo de realização de um novo certame.
A Prefeitura sustentou ainda que os meses de dezembro, janeiro, fevereiro e março foram muito chuvosos, e, caso não fossem executados os serviços de pavimentação, haveria danos em outros serviços já executados (drenagem, guias, sarjetas, redes de água e esgoto).
“Diante das inúmeras tentativas do município de Garça, especialmente aceitação da empresa em assumir o aditivo sem qualquer alteração da planilha orçamentária, já que encontrava-se executando as obras na rodovia João Ribeiro de Barros, junto ao pedágio, visando maior economicidade aos cofres públicos de Garça, especialmente num ano de pandemia e calamidade pública, e tratar-se de uma obra que irá gerar grande número de novos postos de trabalho e renda aos munícipes, optou-se por fazer o aditamento no percentual mencionado”, finaliza a nota do município.

Fonte: Jornal Debate



Voto impresso é capítulo da estratégia bolsonarista de atacar instituições

Henrique Fontana

Quem defende o retorno do voto impresso, ou seja, quem propõe a volta de tempos nebulosos e arriscados para a democracia brasileira, é um presidente assolado pela incapacidade que seu governo demonstra de enfrentar os graves problemas nacionais e acuado por denúncias de corrupção cada vez mais graves. É um governante que tem como método agir para convulsionar o país. Que destila seu ódio contra o Poder Judiciário, contra a oposição, contra a ciência, contra a imprensa – especialmente, contra mulheres jornalistas – e contra todos que se opõem ao negacionismo e à truculência com que se comporta. Portanto, é um presidente que ao longo de seu mandato notabilizou-se pelos ataques quase diários a essa mesma democracia que ele finge querer preservar, através de ameaças, perseguição e intimidação de adversários.
Não vamos esquecer: Bolsonaro convocou a população para manifestações contra os poderes Legislativo e Judiciário, e ele próprio participou de atos públicos que pediam o fechamento do STF e do Congresso e a volta do AI5; compartilhou vídeos com ataques a políticos, membros do Congresso e ministros do STF; e até hoje acusa, sem provas, a existência de fraude nas eleições de 2018. A ferocidade desses ataques às instituições da República aumenta na proporção em que desabam seus índices de popularidade. 
O voto eletrônico é uma conquista democrática que qualificou o processo eleitoral brasileiro. Desde 1996, quando foi implantado, não se registrou um único caso de denúncia de fraude eleitoral. Quatro presidentes foram eleitos, sem qualquer contestação do ponto de vista da operação e contagem dos votos. Pelo contrário, o nosso sistema derrotou um passado em que eram comuns as denúncias de corrupção nas apurações eleitorais.  
Com a proposta de retorno ao voto impresso, Bolsonaro e seus seguidores buscam alimentar uma rede conspiratória, com o claro objetivo de tumultuar as eleições do ano que vem, disseminando a desinformação através de fake news, aludindo supostas fragilidades no sistema eletrônico ou a possibilidade de ações de hackers para fraudar os resultados. Mas diferente do que propagam, o sistema de urna eletrônica é mais auditável do que um sistema com voto impresso e, por isso, fica ainda mais evidente que o objetivo do bolsonarismo é desestabilizar as instituições e a democracia.
O voto eletrônico é seguro por várias razões. As urnas eletrônicas não ficam em rede, isto é, não têm ligação à internet, portanto não podem ser invadidas por hackers. Todas as fases do processo eleitoral, desde a criação do código-fonte até a contagem final dos votos, são acompanhadas pelos partidos e por diversas instituições da sociedade. Ao eliminar a intervenção humana no momento da votação e da apuração, as urnas eletrônicas resolveram problemas graves, como adulterações, sumiço de votos, preenchimento de votos em branco e vários outros estratagemas que viciavam as eleições manuais.
O Brasil teve uma experiência recente de voto impresso. Nas eleições de 2002, o sistema foi testado em um total de 150 municípios, nos quais o eleitor votava na urna eletrônica e esse voto, uma vez impresso, era depositado em uma urna física. O diagnóstico desta experiência foi desastroso. As eleições nessas localidades se tornaram inseguras e passíveis de fraudes. Com base nesse diagnóstico, a proposta de volta do voto impresso foi enterrada. 
Por tudo isso, não deverá restar dúvida para a população de que o Brasil não deve enveredar por esse caminho. O tema agora só volta à pauta, no meu entender, como parte de uma descarada estratégia do bolsonarismo para criar um novo conflito para desestabilizar as instituições do país, percebendo que seu projeto de poder está prestes a ser derrotado pela própria democracia.

Henrique Fontana é deputado federal (PT-RS)



Brum Torres: herança escravista gerou elite que rejeita redução das desigualdades

Pesquisador de filosofia, estudioso de Kant, Hegel e Marx, o professor João Carlos Brum Torres transformou-se, pelas contingências da vida, em homem de formulação de planos de governo.
De alguma forma, quem o empurrou para o ofício foi a ditadura civil-militar. Na tempestade de expurgos que se abateu sobre a UFRGS em 1969, ele foi um dos 37 mestres vitimados. Deixou o Brasil por um mestrado em Paris – mais tarde faria doutorado na USP. De volta ao Sul, abrigou-se na assessoria superior da Assembleia Legislativa, acolhido pelo PMDB.
Granjeou fama nos governos peemedebistas, o que não o impediu de aceitar o convite do então prefeito Tarso Genro (PT) e assumir, em 1993, a Secretária Extraordinária de Captação de Recursos de Porto Alegre. Durou pouco, mas foi um fato político e um ponto fora da curva na relação atritada entre os dois adversários dos encarniçados confrontos eleitorais gaúchos.
Em 2018, Brum Torres rompeu com o PMDB, indignado com sua guinada à direita. Já convertida em MDB, a sigla aderiu a Jair Bolsonaro “com pragmatismo, entusiasmo e leviandade tão grandes quanto surpreendentes”, ironiza.
Nesta conversa com o Brasil de Fato RS, ele analisa o erro da velha legenda e o desastre vivido hoje pelo país. Sobre a ameaça às eleições de 2022, o risco maior ele detecta no que chama de “costumeiramente subestimado massivo núcleo do conservadorismo direitista brasileiro”.

Em 2018, quando o partido do qual é um quadro histórico, o MDB, resolveu apoiar Jair Bolsonaro e o candidato da sigla ao governo gaúcho, José Ivo Sartori, auto-rebatizou-se como “Sartonaro”, o senhor achou que era demais e anunciou sua desfiliação. Parece que o MDB estava errado e senhor estava certo, dado o cataclisma vivido pelo país sob a ultradireita.
João Carlos Brum Torres - Creio que a lastimável situação em que se encontra hoje o país, muito mais do que o fato de que, localmente, a virada à extrema direita tenha redundado em derrota e amarga frustração eleitoral, atesta o grave erro da opção feita pelo MDB-RS em 2018. Opção esta que, convém sublinhar, lamentavelmente rompeu com a história do partido no estado e o fez com pragmatismo, entusiasmo e leviandade tão grandes quanto surpreendentes, uma vez que, como bem sabido, durante décadas, o espectro de variações dos posicionamentos ideológicos e programáticos do MDB-RS manteve-se entre o centro e a esquerda moderada e democrática.

João Carlos Bona Garcia, que foi secretário como o senhor em governos do MDB e também recusou a adesão a Bolsonaro, descreveu o então candidato e atual presidente como misógino, racista, preconceituoso, antidemocrático e apoiador de torturadores e tudo que se confirma hoje. Egresso da luta pela democracia, o MDB não viu onde estava pisando ou resolveu, de caso pensado, rasgar de vez sua história ao se juntar a tal figura? Após três anos de Bolsonaro, como vê o Brasil?
Brum Torres - Creio que, tanto no meu caso, quanto do Bona ‒ tão lamentável e tristemente levado pela pandemia ‒ foi o que nos levou aos protestos de 2018. A vitória do PSDB felizmente não replicou aqui o desastre nacional produzido pelo deslocamento do centro de poder para a extrema direita. As eleições de 2018 tiveram um resultado funesto. O mais evidente testemunho disso, a mais trágica das consequências da entrega do governo federal a um líder que tem o essencial de sua agenda focada no combate ideológico à esquerda, ao liberalismo político consequente e na promoção dos valores civilizacionais mais reacionários, foi e continua sendo o gerenciamento errático e irresponsável dos enormes danos trazidos pela pandemia, cujas mortes já são mais de 530 mil.
Houve um fator de multiplicação de óbitos evitáveis que não é de cálculo fácil, mas que foi inequivocamente relevante, configurando, no mínimo, crime de responsabilidade do presidente da República. No entanto, em outras frentes, como o das ameaças à democracia, as insinuações e iniciativas políticas de negação antecipada de resultado eleitoral de 2022, produzem-se danos também enormes, aos quais se somam os desatinos cometidos com relação à Amazônia e na política externa, áreas em que a gravíssima consequência é a desmoralização internacional do Brasil.

Três anos atrás, o senhor dizia que “as instituições democráticas resistirão” (a Bolsonaro). Depois de uma série de episódios recentes, entre os quais a não-punição do general Pazuello, mantém a mesma convicção? Existem seis mil militares no governo Bolsonaro, um processo de ocupação da estrutura pública estatal que nunca existiu em tal dimensão nem mesmo na ditadura de 1964. Caso outro candidato vença as eleições de 2022, como irá se livrar dessa carga? E qual é o seu temor de golpe na hipótese de derrota do presidente?
Brum Torres - Ainda penso que as instituições democráticas têm resistido e que resistirão às pretensões e arroubos ditatoriais de Bolsonaro. Embora submetida ao mais exigente teste de estresse que enfrentamos desde a Constituinte, nossa democracia tem mostrado grande resiliência e é admirável o modo como o Poder Judiciário, o Congresso, os grandes órgãos tradicionais de formação da opinião pública e, mais recentemente, as manifestações populares têm conseguido limitar as ameaças e estragos produzidos pelo bolsonarismo a nossas instituições, ainda que, de fato, a não punição do general Pazuello seja um caso em que, preocupantemente, a cúpula do Exército ignorou o disposto em seus regulamentos e fez um gesto de subordinação política da instituição à vontade transgressora do presidente.
No entanto, não me parece provável que caso haja decisão congressual para o impeachment, ou um resultado eleitoral em que Bolsonaro seja derrotado, isso vá provocar um golpe de Estado promovido pelas Forças Armadas. Não obstante mantenha essa crença, que vejo corroborada pelo lento desgarramento tanto de parte da elite nacional do bolsonarismo, quanto da base popular conseguida em 2018, não deixo de ver que nossa democracia não está livre de riscos e que há forças, no governo e fora dele, que trabalham para desestabilizá-la, sobretudo se o presidente eleito não vier do campo conservador. Por certo, esse recrutamento massivo de militares, inclusive da ativa, para o preenchimento de cargos de confiança no Poder Executivo, é um dos elementos que configuram as ameaças a que aludi, mas não creio que o perigo maior resida nos interesses corporativos que esse anômalo recrutamento certamente gera.
Risco maior me parece vir do costumeiramente subestimado massivo núcleo do conservadorismo direitista brasileiro. Nele se combinam vários elementos, o mais profundo sendo costumes e crenças discriminatórias solidamente materializadas nas extremas desigualdades econômicas e sociais de nossa sociedade, cuja origem, frequentemente esquecida, remonta ao escravismo colonial. Essa herança gera um elitismo argentário, que baixa em degradê na pirâmide social e que faz de qualquer superioridade de renda e status profissional um elemento decisivo da autoestima individual, tornando-se assim a obscura fonte de rejeição a projetos e políticas de reformismo social e de redução das desigualdades no país.
Um terceiro elemento a compor o amálgama do direitismo brasileiro é a dominância de uma forma, a cada dia mais anacrônica ‒ como, aliás, se tornou espetacularmente visível à luz das agressivas políticas redistributivísticas e de investimento do governo Biden nos Estados Unidos ‒ de ultraliberalismo econômico, cujos defensores, deixando de lado qualquer preocupação com a coerência na defesa dos valores que acreditam, estão dispostos a pagar qualquer preço político, inclusive a restauração de um regime autoritário, para evitar que se deixe de ter o Estado, como tão frequente e estupidamente se vê apregoado entre nós, como a única causa do atraso econômico e social do Brasil. Foi a composição desse conjunto de elementos ‒ que encontraram sua figura política no antipetismo ‒ a força geradora do grande movimento de opinião que, em 2018, deu a vitória a Bolsonaro.

Qual sua avaliação sobre a antipolítica, do qual Bolsonaro (apesar de seus 28 anos de deputado obscuro), se diz representante, ao lado de Donald Trump, Matteo Salvini e outras figuras? Existe salvação fora da política?
Brum Torres - Não há salvação fora da política, porque a política é a própria forma de organização das sociedades. Mas entendo que queres dizer que não há salvação fora da política democrática, e minha resposta será a mesma, pois desde a revolução francesa e a independência dos Estados Unidos, a democracia se fez e se mantém como a melhor das formas de organização político-institucional dentre todas as conhecidas pela história humana.
A regressão verificada nas situações políticas em que emergiram as lideranças que mencionas, são expressão da exaustão e dos danos socioeconômicos, culturais e psicológicos causados ‒ aliás, predominantemente em países desenvolvidos, como é o caso dos EUA ‒ pela dominância nos últimos 40 anos do par globalização assimétrica e neoliberalismo. Com peculiaridades que nos são próprias e que é impossível examinar aqui, a eleição de Bolsonaro é parte deste mesmo contexto histórico.
Entendendo tua questão como indagando sobre como se há de enfrentar os desafios da conjuntura brasileira presente, o que penso é que a opção política ideal, o caminho a ser seguido é o da formação de uma frente comum de defesa da democracia que, ao mesmo tempo, engendre um compromisso, como o conseguido em Portugal e que os portugueses apelidaram de ‘Geringonça’. Obviamente o acesso a essa rota não é reto, nem o trecho a ser percorrido livre de barreiras, buracos e deslizamentos. Na própria grande área do centro político há pré-candidaturas múltiplas ‒, como as de Ciro, Doria, Mandetta, Tasso e Leite ‒, e, à esquerda, a figura de Lula, cuja força eleitoral é inquestionável, mas cujas condições para devolver a tão necessária estabilidade política ao país são de realização difícil e improvável. Por isso a composição das forças democráticas em torno de um governo e de um programa de transição comprometido não só com a preservação do Estado democrático de direito, mas também com a luta por tirar o Brasil da vergonhosa disputa pelo campeonato mundial das desigualdades econômico-sociais e pela retomada do desenvolvimento econômico me parece ser a melhor das opções políticas que presentemente podemos ter. Se isso não for viável em primeiro turno, é vital que isso ocorra em segundo turno, muito embora me pareça claro que um acordo com a envergadura do sugerido acima torne-se muito mais difícil depois dos sucessos e insucessos da primeira etapa do pleito.

Diferentes personagens – FHC, Lula, Dilma, Itamar etc. – estiveram à frente de diferentes governos, mas nenhum deles motivou tanta desesperança nos brasileiros. Sempre houve críticas, mas sempre houve esperança. O governo atual é o único que motiva um estado de desespero, agravado ainda mais pela pandemia e o fracasso no seu enfrentamento. Se Bolsonaro vencer em 2022, o país aguentará?
Brum Torres - Bem, tua pergunta certeiramente aponta para a verdadeira anomalia política em que estamos a meio. Mas, como as pesquisas de opinião destes dias vem mostrando, essa possibilidade está se tornando improvável. Contudo, se esta improbabilidade vier a sobrevir, terá sido porque a divisão das forças democráticas terá permitido que as lideranças de direita, coordenadas ou não por Bolsonaro, novamente terão tido êxito em amalgamar e constituir um bloco político-social hegemônico que, como agora, daria sustentação ao governo.
Em tal caso ‒ possibilidade que me parece improvável, repito ‒ ter-se-ia que dizer que o Brasil aguentaria. Mas a que preço? Certamente criando, assim, um longo período de regressivíssima dominância entre nós de valores anti-iluministas e de desprezo com nossas aspirações de termos um país mais democrático, social e economicamente mais justo, mais educado, mais são, mais próspero, mais pacífico, mais alegre. Aguentaria, portanto, ao inominável custo, para valer-me de uma frase do Padre Vieira, de infaustamente continuarmos a navegar nosso naufrágio.

Fonte: Brasil de Fato



Homem tenta esganar mulher e ateia fogo em casa na rua Santo Antônio

Um homem, que não teve a identidade divulgada, foi preso por violência doméstica na última sexta-feira, 16. Ele ainda ateou fogo na residência de sua companheira e tentou atrapalhar o trabalho de contenção do incêndio.
Segundo a Polícia Militar, às 12h43, os policiais foram acionados na rua Santo Antônio. No local, a moradora informou que seu companheiro havia tentado contra a sua vida por meio de esganadura e logo em seguida colocado fogo no sofá da sala, que se alastrou por todo o cômodo.
Equipes do Corpo de Bombeiros contiveram o incêndio, impedindo o alastramento das chamas.
O autor foi preso e conduzido até a Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), onde permaneceu à disposição da Justiça.

Fonte: Marília Notícia




Polícia investiga morte de empresário em poço de elevador em Assis

A Polícia Civil abriu um inquérito para investigar as circunstâncias da morte do empresário de 64 anos que foi prensado pelo elevador da casa dele em um condomínio de alto padrão localizado na Avenida Rui Barbosa, em Assis. O caso foi registrado como morte suspeita.
Segundo informações da ocorrência, o corpo de Paulo Roberto Athaliba foi encontrado por familiares no poço do elevador residencial da casa e os bombeiros foram acionados no início da tarde deste domingo.
A mulher da vítima relatou aos bombeiros que viu o marido pela última vez na noite de sábado, 17. Na manhã do domingo, achou que ele pudesse ter saído. No entanto, ela ligou para os filhos, que foram até à residência e eles encontraram o corpo do empresário prensado embaixo do elevador, no piso térreo.
O elevador servia para deslocamento apenas para um pavimento do sobrado, em um percurso de cerca de três metros.
A perícia técnica também esteve no local. O corpo do empresário foi levado para Instituto Médico Legal e depois liberado para velório que começou às 8h dessa segunda-feira, 19, no Velório São Vicente. O enterro está marcado para às 13h45 no Cemitério Municipal de Assis.

Fonte: G1



Apostador de Colatina leva prêmio de R$ 76 milhões da Mega-Sena

Um apostador de Colatina, no Espírito Santo, levou o prêmio de R$ 76 milhões do concurso 2391 da Mega-Sena, sorteado no sábado, 17, no Espaço Loterias Caixa, no terminal Rodoviário Tietê, na cidade de São Paulo.
As dezenas sorteadas foram 05 - 08 - 13 - 27 - 36 - 50.
A quina teve 192 apostas ganhadoras; cada uma receberá R$ 32.288,63.
A quadra teve 13.379 apostas ganhadoras; cada uma levará R$ 661,95.
O próximo concurso (2.392) será na quarta-feira (21). O prêmio é estimado em R$ 2,5 milhões.

Fonte: Rádio Mirante



Patrocinadora de Tóquio-2020, Toyota desiste de fazer comercial e boicota abertura

Diante da rejeição do povo japonês pela realização da Olimpíada em Tóquio, a montadora de automóveis Toyota tomou a decisão de não circular mais nenhuma campanha publicitária relacionada ao megaevento.
A empresa também disse, nesta segunda-feira, 19, que o seu presidente, Akio Toyoda, não deverá comparecer à cerimônia de abertura.
Fechada ao público em geral, a cerimônia deverá reunir, na sexta, 23, somente convidados no estádio Olímpico, entre eles patrocinadores, chefes de estado e membros das delegações que vão competir em Tóquio.
A Toyota tomou essa decisão após a rejeição entre os japoneses, com a realização da Olimpíada apesar do recrudescimento da pandemia de Covid-19. Também estão descontentes com o quarto estado de emergência, decretado pelo governo do primeiro-ministro Yoshihide Suga.
Até o dia 23 de agosto, por exemplo, está proibido a venda de bebida alcóolica, e os estabelecimentos deverão encerrar o expediente às 20h (de Tóquio).
Fundada no Japão em 1937, a Toyota é a atual líder de vendas pelo mundo. Foram 9,5 milhões de veículos comercializados em 2020 ante 9,3 milhões da Volkswagen, a segunda colocada.
A marca japonesa tornou-se parceira do Comitê Olímpico Internacional (COI) e o Comitê Paraolímpico Internacional (IPC) entre 2017 e 2024, período que abrange os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de Tóquio e Paris-2024, além dos Jogos de Inverno de PyeongChang-2018 e Pequim-2022.
Com investimento de quase R$ 5,1 bilhões, a empresa foi uma das primeiras a patrocinar o megaevento em seu país.
Apesar da decisão anunciada nesta segunda, a Toyota manterá seus compromissos com o COI e o IPC (Comitê Paralímpico Internacional).
Paralelo ao desembarque de delegações e profissionais credenciados para os Jogos, o Japão tem quebrado recordes de casos de contaminação pelo coronavírus.
Há um mês, no dia 20 de junho, o país havia contabilizado 1.318 novos casos, uma média móvel de 1.440. Neste domingo (18) foram 3.065 registros de infecções, e a média móvel saltou para 2.991 casos.
Pesquisa divulgada pelo jornal Asahi Shimbun, nesta segunda-feira (19), diz que 70% dos japoneses duvidam que os Jogos de Tóquio possam ser realizados com segurança em relação à pandemia.
​Até nesta segunda, os dados oficiais apontam para 58 casos de Covid entre envolvidos com a Olimpíada, sendo três atletas, dois deles hospedados na Vila.

Fonte: Folha de São Paulo



Cafeína do café e dos energéticos: a diferença de quantidade da substância

Todos nós tentamos parecer muito despertos e ativos. Talvez você faça uma pausa em algum momento da semana, e se desistir no sofá ou na cama, no entanto, queremos estar sempre atentos. Para fazer bem o nosso trabalho, para terminar a tarefa, para ter energia para ir à academia, ou mesmo para resistir à sonolência, optamos por bebidas que nos ajudem a manter a atividade, como o café ou os chamados energéticos.
No entanto, você sabe quantas xícaras de café equivalem a uma bebida energética? Aqui nós esclarecemos isso para você.
Você provavelmente escolhe o café porque adora o seu sabor, porque está acostumado a ele e porque ele realmente o desperta ou até parece que o acelera para fazer suas tarefas. 
Ou talvez opte por um energético simplesmente porque prefere o sabor, ou pelo fato de ser um produto que costuma comprar, gosta e faz efeito.
Porém, se você acha que tomar café ou um energético é mais eficaz porque um tem mais cafeína do que o outro, vale a pena conhecer a equivalência entre eles.
O Laboratório Nacional de Proteção ao Consumidor fez análises que conhecemos como bebidas energéticas, mas não há muito tempo mudou seu nome para cumprir os padrões mais recentes, então agora no mercado com nomes como bebidas carbonatadas, bebidas carbonatadas com taurina, cafeína e vitaminas, bebidas carbonatadas adicionado de vitaminas e extrato de guaraná e refrigerantes com guaraná adicionado de taurina e vitaminas.
"Todos eles contêm cafeína , alguns adicionam taurina e a maioria mistura vitaminas do complexo B e glucuronolactona", disse a Profeco, em seu estudo de qualidade publicado em julho de 2020.
A entidade acrescenta que a cafeína é o principal ingrediente dessas bebidas porque estimula o sistema nervoso central ao inibir os neurotransmissores relacionados ao cansaço e ao sono.
Em relação a quantas xícaras de café cada uma dessas bebidas carbonatadas equivale , você pode se surpreender ao saber que o conteúdo de cafeína é semelhante. De acordo com a Mayo Clinic, uma xícara de café em grão contém 96 miligramas de cafeína, ao passo que uma xícara de espresso contém 64 mg e uma de café instantâneo, 62 mg.
Segundo dados da Profeco, as bebidas carbonatadas com mais cafeína comercializadas no México são: Coca Cola Energy, 355 ml, com 115,4 mg de cafeína por embalagem; Vive 100% Ginseng Citrus, 500 ml, com 96,1 mg de cafeína por
embalagem; Amper Energy On the Go, 473 ml, com 95,5 mg de cafeína por embalagem; e Pepsi Kick, 500 ml, com 93,3 mg de cafeína por embalagem.
A recomendação do Ministério Público Federal do Consumidor do México, com relação ao consumo de cafeína , é de no máximo 165 miligramas por dia. No entanto, a Clínica Mayo afirma que até 400 miligramas de cafeína por dia é uma quantidade considerada segura para a maioria dos adultos

Fonte: Jornal El Universal



Dise de Marília prende homem com drogas em Echaporã

A Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes (Dise) de Marília prendeu um homem, de 47 anos, que não teve a identidade revelada, por tráfico de drogas na quinta-feira, 15, em Echaporã.
Após inúmeras informações de que o acusado estava praticando intenso tráfico de entorpecentes em sua residência, localizada na rua Espírito Santo, bem como em seu estabelecimento comercial – na mesma rua -, policiais da especializada realizaram trabalho de investigação e constataram a veracidade dos fatos.
A polícia apurou inclusive que, recentemente, o acusado teria recebido grande quantidade de droga e havia separado uma parte, e embalado em pequenas porções para venda aos consumidores, principalmente estudantes menores de idade.
Apesar disso, o homem teria escondido a maioria da droga em um terreno de pastagem, onde mantinha alguns animais, ao lado de sua casa.
Segundo o delegado titular da Dise, João Carlos Domingues, através de relatório, a especializada solicitou buscas nos imóveis, cuja medida foi deferida pela 2ª Vara Criminal da Comarca de Assis.
Por volta das 11h30 de ontem, em cumprimento aos mandados, os policiais localizaram dentro do guarda-roupas da residência, no quarto do indiciado, uma porção de cocaína embalada em saquinho plástico fechado, com o desenho da cabeça do Pica-pau gravado em uma das faces, além de R$ 698, que estavam em uma
 sacola de papelão.Na carteira do acusado, foram localizados ainda R$ 300. No estabelecimento comercial nada de ilícito foi encontrado.
No terreno, com o auxílio do Canil da Polícia Militar, em uma moita de bambu, foram localizadas – dentro de pote plástico – 91 porções de cocaína, embaladas em saquinhos plásticos, com o desenho da cabeça do Pica-pau gravado em uma das faces, idênticos aos encontrados no guarda-roupas do quarto do indiciado.
O homem foi preso em flagrante e aguardaria por audiência de custódia.

Fonte: Marília Notícia




quinta-feira, 15 de julho de 2021

Mudanças climáticas e o risco para o futuro do café

Zac Cadwalader

Talvez não haja maior ameaça existencial ao café - e ao mundo em geral - do que a mudança climática. Embora sua mera existência tenha se tornado um alimento político inexplicável, o fato é que a mudança climática é real e os humanos desempenharam um papel significativo em causá-la.
Falamos muito sobre as mudanças climáticas em termos de café, geralmente com o entendimento de que o aquecimento global terá um impacto negativo sobre o modo como o café é cultivado (embora você realmente não precise se limitar a algo tão específico quanto o café para ver a ameaça que a mudança climática representa para todos nós). Mas como exatamente a mudança climática afeta o café? Para ter uma melhor compreensão, estamos examinando algumas das maneiras como as mudanças de temperatura afetam a produção de café.
O efeito mais significativo da mudança climática na produção de café é simplesmente reorientar onde ele é cultivado. Historicamente, o café é cultivado no que é conhecido como Cinturão do Café, uma área entre os trópicos de Câncer e Capricórnio, que se estende de 25 a 30 graus em cada lado do Equador, onde estão localizados cerca de 70 países produtores. O café requer um clima específico para crescer — temperaturas amenas, dias mais quentes e noites mais frias, estações chuvosas e secas distintas, umidade, entre outros — e a faixa imaginária em torno do meio da Terra é o lar que exatamente oferece essas condições.
Com o aumento das temperaturas, devido ao aquecimento global, no entanto, as terras adequadas para o cultivo de café sairão do tradicional Cinturão. De acordo com o relatório anual da World Coffee Research, de 2018, 47% da produção global de café vem de países que podem perder mais de 60% das áreas adequadas de plantio até o ano 2050. Para agravar ainda mais a questão, outro estudo conclui que 60% das variedades de café selvagem poderiam estar em risco de extinção devido à mudança climática, algumas das quais poderiam ser usadas para criar variedades de café mais resistentes ao clima.
E embora novas regiões se tornem mais adequadas à produção de café, o intercâmbio está longe de ser igual. Por um lado, a mudança de cafezais exigiria o replantio de áreas inteiras (para não falar da devastação feita às áreas agora incapazes de sustentar um produto agrícola que costuma ser a força vital da área). Além disso, não há garantia de que essas novas áreas se mostrem igualmente adequadas. Por exemplo, o café, especialmente o arábica de alta qualidade, tende a favorecer as zonas montanhosas, cujas altitudes fornecem muitas das necessidades climáticas mencionadas anteriormente. A faixa de terra recentemente adequada pode não ser necessariamente igualmente montanhosa.
A mudança climática não está apenas tornando o globo mais quente, está perturbando os padrões climáticos. O café é "enjoado": ele se dá melhor com climas previsíveis, como estações chuvosas e secas distintas. O aquecimento global está desestabilizando esses padrões climáticos, causando desde inundações a secas e temporadas chuvosas mais cedo do que o normal. Isso pode levar à floração das árvores muito cedo ou esporadicamente, levando a uma maturação desigual dos grãos, estendendo a colheita e tornando mais difícil colher as safras em seu amadurecimento ideal.
A maturação irregular do fruto e as colheitas prolongadas podem impedir o produtor de maximizar sua produtividade, reduzindo suas margens já estreitas. Isso, junto com uma série de outras questões que os produtores enfrentam, poderiam reduzir suas perdas e parar totalmente de cultivar café, uma cultura já frágil.
Além disso, condições climáticas extremas e desastres naturais podem impedir que o café chegue ao mercado. Inundações e deslizamentos de terra, como os de Ruanda em maio de 2020, podem destruir fábricas de processamento e interromper as rotas de transporte entre as fazendas, fábricas e portos.
Fora da mudança climática, as duas maiores ameaças à produção de café têm sido a ferrugem e a broca do café, e, como a temperatura média global aumenta a cada ano, as zonas produtoras estão se tornando mais adequados para ambos. Juntamente com chuvas imprevisíveis, temperaturas mais altas criaram um ambiente de cultivo ideal para o Hemileia vastatrix, o fungo que causa a ferrugem do café, devastando plantações e reduzindo a produtividade em até 82%, segundo algumas estimativas. Da mesma forma, a broca do café gosta de climas mais quentes, destruindo as safras com a perfutração do grão do café e plantando seus ovos dentro das sementes.
A colheita do café é um processo manual e trabalhoso que depende muito dos trabalhadores migrantes. Sem trabalhadores qualificados, muitos dos quais na América Central especialmente viajam de um país para outro durante as épocas de colheita, o café simplesmente não será colhido e, em vez disso, secará nos ramos. De acordo com o Migration Policy Institute, 21,5 milhões de pessoas por ano tornam-se refugiados das mudanças climáticas, realocando-se devido a condições climáticas extremas e desastres naturais causados pelas mudanças climáticas.
O clima imprevisível não apenas dificulta o crescimento do café, mas pode limitar a força de trabalho disponível necessária para produzi-lo. E um Cinturão do Café em mudança/expansão teoricamente descentralizaria ainda mais a produção de café, tornando a jornada entre as colheitas para os trabalhadores qualificados ainda mais insustentável.
A maior parte do café do mundo é cultivado em um país diferente daquele em que é consumido. E para chegar ao destino final é necessário o envio, geralmente de navio. Com o derretimento das calotas polares devido às mudanças climáticas, os níveis do mar estão subindo globalmente. Isso afeta os canais de envio. De acordo com a Shipping and Freight Resource, o aquecimento global está causando o redirecionamento dos canais de transporte, bem como aumentando os danos à infraestrutura portuária e reduzindo a produtividade. Isso pode adicionar imprevisibilidade e atrasos nos tempos de envio, bem como aumentaria os preços. Como um produto agrícola operando em margens extremamente estreitas, o café não pode lidar com qualquer um dos dois.
Mesmo com regiões de crescimento inconstantes, produção reduzida, ameaças crescentes e preços mais altos, a verdade da questão é que não temos uma imagem completa de como o aquecimento global afetou ou afetará o comércio de café; este artigo mal arranha a superfície. O que sabemos é que isso é ruim. Sem uma intervenção rápida em escala global, só vai piorar e, se isso não ocorrer em breve, talvez não consigamos recuperar os danos.

Zac Cadwalader é editor-chefe do portal Sprudge Media Network e redator da equipe em Dallas, nos Estados Unidos.