segunda-feira, 7 de junho de 2021

Mulher lança carro contra moto de ex-marido e mata garupa

Uma mulher foi presa na tarde do último sábado, 05, após perseguir e atropelar seu ex-marido e uma mulher que estavam em uma moto, em Paraguaçu Paulista. O filho de dez anos do casal estava no veículo com a mãe e, segundo testemunhas, ficou desesperado ao ver o pai embaixo do carro da mãe, prensado no muro.
A vítima fatal é Eunice Aparecida Damásio, de 44 anos e trabalhava na Agroterenas. Já o motorista da moto, pai do menino de 10 dez anos e de duas meninas, de 20 e 13 anos anos, do primeiro casamento, está internado com ferimentos graves.
Em depoimento aos policiais, conforme boletim de ocorrência, a mulher relatou que ainda era casada com o pai de seu filho e desconfiava que seu marido estava tendo uma relação extraconjugal. Ela foi à casa de Eunice, onde viu os dois em uma motocicleta e começou a segui-los até o local do acidente. Ela não havia ingerido bebida alcóolica e negou que tenha provocado o acidente de propósito.
Mesmo com esse depoimento, ela foi autuada por homicídio e lesão no trânsito com dolo eventual e ficou inicialmente presa.
Por outro lado, a filha de 20 anos do condutor da moto falou com exclusividade ao Portal AssisCity sobre o acidente e informou: "meu pai e a minha ex-madrasta estavam separados desde dezembro. Falei com meu pai após o ocorrido e ele me disse que houve perseguição".
"Estava indo para a casa do meu primo e passei pelo local e vi que o carro dela estava envolvido no acidente, mas nem imaginei que poderia ser algo com meu pai. Quando eu vi uma peça vermelha eu tive certeza, mas na hora eu tive crise e comecei a pensar que meu pai tinha atropelado alguém, mas a única coisa que eu vi foi meu pai jogado embaixo do carro. Depois que me acalmei descobri que a minha ex- madrasta foi a causadora de tudo. Naquele momento eu só pensava em meu irmão, que me abraçou chorando de desespero e eu só lembro que vi meu pai erguendo os braços e depois daquilo fomos ao pronto socorro", relata a filha do condutor da moto.
Sobre as informações do estado do pai, ela conta que foram bastante confusas. "A primeira informação que eu recebi foi que a mulher da garupa morreu na hora. Depois falaram que o meu pai estava morto, quando na verdade ele estava fazendo raio-x", relata.
A filha conta ainda sobre a postura da ex-madrasta. "Por fim, deparo com a Cristina lá, com uma calma como se nada tivesse acontecido", conta.
O encontro com o pai foi crucial para a filha saber realmente o que aconteceu. " Quando eu entrei no quarto falei com meu pai e ele só queria saber da mulher que estava com ele, que morreu. Depois ele perguntou do meu irmão e disse que a Cristina estava perseguindo-os e que ela tentou matá-lo e que ele só lembrava que foi parar debaixo do carro", finaliza a filha.
Na manhã deste domingo, 06, o juiz concedeu em audiência de custodia a liberdade provisória para a motorista e ela vai responder pelos crimes em liberdade.

Fonte: Assiscity



Nenhum comentário:

Postar um comentário