segunda-feira, 14 de junho de 2021

Alunos da Fatec Garça criam aplicativo para segmento de automação de segurança

Estudantes da Fatec (Faculdade de Tecnologia do Estado) de Garça desenvolveram um aplicativo para integrar uma fabricante de componentes de automação de segurança residencial e empresarial com revendedores e clientes. A tecnologia foi criada dentro do programa DTX, da Fundação Shunji Nishimura de Tecnologia, que, ao longo de oito meses, reuniu mais de 15 empresas em torno de uma agenda, que incluiu encontros presenciais e on-line, bem como inúmeras atividades práticas.
Durante o programa, uma indústria da região desafiou os alunos — Alisson Leonard, Gustavo Guerreiro, Matheus Covolan, Nágila Alvez e Wesley Lima, orientados pelo professor João Cardia — do curso superior de tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas a aproximar a empresa de seus revendedores espalhados por todo o Brasil e dos instaladores dos equipamentos de segurança. 
"Fizemos questão de prestigiar a Fatec Garça, pois sabíamos do potencial dos estudantes", afirma o diretor-executivo da empresa, Marcelo Andrade Piai.
Depois de muito aprendizado e de encontros com colaboradores da companhia para entender as necessidades do cliente, eles desenvolveram um aplicativo. A empresa "já estava com a ideia de criar um aplicativo para facilitar a geração de orçamento da revenda com os clientes e a compra dos produtos com as distribuidoras e, no primeiro mês, fizemos reuniões constantes para alinhar as ideias e cursos sobre as metodologias que iríamos utilizar no projeto. Em pouco mais de um ano, tínhamos o aplicativo pronto", sustentou o aluno Wesley Lima.
De acordo com o diretor-executivo da empresa, o resultado foi bastante relevante. "É uma ferramenta de ponta, que cria uma fidelização entre revendas e clientes finais uma vez que organiza e personaliza os processos de orçamento e de acesso aos nossos produtos", sustentou.
"Esse tipo de vivência é única e extremamente valorosa para os alunos. Eles têm, na prática, a oportunidade de vivenciar o dia a dia de uma empresa, aplicando conceitos de gestão ágil e tendo contato com novas tecnologias", afirmou o orientador João Cardia. "Foi a nossa primeira experiência na área e envolvia coisas que a gente ainda iria aprender no curso", concorda Wesley Lima.
Satisfeita com o resultado da tecnologia e com a dedicação do grupo, a empresa decidiu incorporar alguns dos estudantes participantes do projeto ao seu quadro de colaboradores.

Fonte: Jornal Debate



Nenhum comentário:

Postar um comentário