terça-feira, 18 de maio de 2021

Osvaldo cruzense vai à Justiça para príncipe Albert de Mônaco reconhecer filha

Pai de dois filhos ilegítimos, o príncipe Albert de Mônaco em breve poderá ser obrigado a ter que reconhecer um possível terceiro que teve fora do casamento. O rebento em questão seria fruto de uma rápida relação que o chefe de estado do principado mais famoso do mundo teve em 2005 com uma brasileira, que nasceu e foi criada em Osvaldo Cruz e hoje vive em Milão, e que acionou na justiça da Itália em um polêmico processo de admissão de paternidade.
Os representantes legais da osvaldo cruzense pediram que o príncipe se submetesse a um teste de DNA. Por meio de seus advogados, o chefe da Casa Real de Grimaldi negou na ocasião qualquer relação com a brasileira nascida em Osvaldo Cruz e sua suposta herdeira, que hoje estaria com 15 anos.
A osvaldo cruzense, por telefone, disse ao Portal Ocnet que conheceu o príncipe em 2004 no Rio de Janeiro, onde ela morava à época. Teria sido durante um pulinho anônimo no Rio de Janeiro, em setembro de 2004, que, em uma boate, o príncipe conheceu Mariza S. (o nome inteiro ou verdadeiro não pode ser divulgado), 20 anos, e rapidamente a carregou para uma viagem por vários países da Europa.
"Nos relacionamos por um ano quase e eu engravidei. Ele se apresentava como um advogado canadense. Eu não sabia que ele era o príncipe de Mônaco, até porque no Brasil não se fala muito em realeza. Após eu engravidar ele desapareceu", disse a mulher, que hoje é casada e mora na Itália.
Foi por um acaso, segundo ela, já morando no exterior, que anos depois ela ficou sabendo que o suposto pai de sua filha é um nobre de Mônaco. "Eu trabalho com importação e exportação e em um hotel na Itália, ao visitar profissionalmente um jogador de futebol que é meu cliente, tomei conhecimento que o advogado do Canadá era na verdade o príncipe Albert", relata.
A filha da osvaldo cruzense nasceu em 4 de julho de 2005. A mãe entrou com um processo de reconhecimento da paternidade da menina e um juiz de Nápoles vai decidir se ordena ou não que Albert ceda seu DNA para teste..
Segundo a Revista Veja, "No ano passado, a menina de 15 anos deixou a avó, com quem morava no Brasil, e foi viver com a mãe na Itália".
Na mesma época em que o caso veio à tona, a mulher do príncipe, Charlene, 43, apareceu com uma parte da cabeça raspada, alimentando boatos de que o visual meio punk seria devido ao stress da possível novo filho fora do casamento.
Albert já é pai de Jazmin Grace Grimaldi, de 28 anos, sua filha com a ex-modelo americana Tamara Rotolo, e de Alexandre Coste, de 17 anos, nascido de um encontro de uma noite que ele teve com a ex-aeromoça togolesa da Air France, Nicole Coste. Ambas precisaram processá-lo para garantir o recebimento de pensões para criar os filhos, com os quais o primogênito de Grace Kelly acabou desenvolvendo uma relação próxima no fim dos imbróglios.
Casado desde 2011 com Charlene Lynette Wittstock, que virou princesa Charlene de Mônaco, Albert teve com a ex-nadadora olímpica sul-africana os gêmeos Jaime, príncipe herdeiro de Mônaco, e Gabriela, condessa de Carladès, de 6 anos. Pelas regras da realeza monegasca, apenas herdeiros legítimos dos príncipes e princesas de lá têm direito a um lugar na linha sucessória.
Albert assumiu o trono após a morte do pai, em 2005 — poucos meses antes do nascimento da suposta filha brasileira.

Fonte: OCNet



Nenhum comentário:

Postar um comentário