quinta-feira, 18 de março de 2021

Lar Santo Antônio de Tupã comemora em maio os seus 75 anos

Assim como todas as entidades do país, o Lar Santo Antônio de Tupã também encontra dificuldades para manter seus trabalhos em um ano atingido pelos efeitos da pandemia do novo coronavírus (covid-19).
A coordenadora da entidade, irmã Ivonete de Oliveira, disse que a abertura das festividades será iniciada no dia 13 de maio com ações que irão ocorrer até o final do ano, cumprindo as normas exigidas pelos órgãos de saúde. "Teremos a participação de antigas moradoras do Lar Santo Antônio e outras ações que ainda estamos organizando. Mas, infelizmente, a covid está bloqueando algumas ações", afirmou.
A previsão é de que no dia 13 de junho, Dia de Santo Antônio, a entidade faça uma celebração eucarística com a presença de dom Luiz Antônio Cipolini, bispo diocesano de Marília.
Desde o início da pandemia, a entidade busca adequar os atendimentos para garantir a segurança das crianças e funcionários. No momento, as crianças não estão recebendo atendimento dentro da entidade.
Irmã Ivonete explicou que as atividades ocorrem de forma remota, com ações lúdicas. "No mês passado, trabalhamos com as emoções das crianças, onde elas gravaram um vídeo falando sobre seus sentimentos, como alegrias e preocupações", explicou.
O Lar Santo Antônio irá realizar no dia 24 uma reunião online com os pais para manter o vínculo com as famílias.
A coordenadora explicou que a entidade estava se organizando para realizar visitas domiciliares, com o objetivo de manter essa interação com as famílias. "Mas, infelizmente, por causa de todo esse momento, isso ainda não foi possível", disse.
A entidade se programa, agora, para realizar uma atividade em celebração da Páscoa, dentro das possibilidades de distanciamento social. A proposta é realizar uma entrega de lembranças para crianças, no sistema drive-thru, para evitar aglomerações na entidade.
O Lar Santo Antônio atende crianças e adolescentes em vulnerabilidade, com idades entre 4 e 15 anos. Vale lembrar que, apesar do período de festividade, a entidade ainda depende da colaboração da população para manter seus atendimentos.
Fundado em 1946 pelo então juiz de Direito da Comarca, Antônio Rodrigues Porto, o Lar Santo Antônio é uma das instituições mais respeitadas e tradicionais de Tupã.
Cheia de histórias, a entidade era inicialmente dirigida pelas esposas dos juízes que se sucediam em Tupã, até 1963, quando passou a ser controlada pela Congregação das Irmãs dos Pobres de Santa Catarina de Sena, que se propuseram a continuar a obra de atendimento e acolhimento às crianças órfãs e abandonadas.
Em 1948, a instituição ganhou sua sede própria, obra que foi viabilizada por iniciativa de seu fundador. Em janeiro de 1969, o Lar Santo Antônio foi declarado de utilidade pública federal.

Fonte: Diário Tupã

                                                                                 Foto: Bom Dia Tupã

Nenhum comentário:

Postar um comentário