quinta-feira, 11 de março de 2021

Circo recebe apoios e começa a sair da cidade de Bauru

O Circo Moscou, que no final do ano passado estava instalado em Garça e, posteriormente, foi para Bauru, começou a deixar aquela cidade nesta semana após receber doações. Segundo o relações púbicas do circo, Sandro Lima, após uma campanha da trupe viralizar nas redes sociais, pedindo recursos para sair de Bauru, muitos passaram a ajudar. Agora, eles tentam arrecadar o que falta para transportar todos os equipamento.
Os artistas chegaram em janeiro deste ano, mas puderam fazer apenas os espetáculos de estreia por três dias e tiveram que interromper as atividades porque a cidade foi rebaixada para a fase vermelha do Plano São Paulo, na qual apenas serviços essenciais podem funcionar.
Diante da dificuldade do grupo, o trapalhão Dedé Santana, considerado o embaixador do circo no Brasil, enviou um vídeo aos colegas artistas pedindo para que a prefeitura de Bauru ajudasse o circo neste momento de dificuldade financeira.
Com a repercussão do vídeo, de acordo com a assessoria de imprensa do município, a prefeitura fez a doação de 13 cestas básicas para as famílias do circo. No entanto, os artistas continuaram precisando de dinheiro para comprar combustível.
Inicialmente, Sandro informou que o grupo pretendia ir para Araras ou Americana, onde o circo tinha agenda de shows, e a vaquinha inicial era para arrecadar R$ 8 mil. No entanto, quando todo o estado foi rebaixado para a fase vermelha, a solução foi partir para a cidade de São Paulo.
Segundo o relações públicas, o custo para ir até a capital é maior, com combustível e pedágio, mas em São Paulo, também há uma probabilidade maior de que os artistas possam retomar as atividades o mais rápido possível.
O grupo começou a levar os equipamentos para São Paulo nesta segunda-feira (8) e vai fazer esse transporte aos poucos, conforme o circo for recebendo novas doações.
Segundo Sandro, os artistas arrecadaram R$ 10 mil com a vaquinha online e doações por Pix, mas ainda precisam de R$ 4,7 mil para pagar gasolina e pedágio para todos os veículos do grupo.
O circo conta com quatro caminhões, 14 carretas, seis ônibus e seis trailers. Sandro explicou que uma parte dos veículos já foi levada para São Paulo, mas três deles tiveram problemas técnicos no meio da viagem, o que gerou ainda mais prejuízo.
Agora, os artistas ainda precisa levar três ônibus e cinco carretas para São Paulo, além de quatro, das 13 famílias do circo, que ainda estão em Bauru.
"Está sendo difícil. Nossa rotina está muito diferente, toda parada. Não estamos fazendo a montagem, o trabalho, é aquela monotonia. A gente faz a manutenção das coisas, mas precisamos de verba, então qualquer ajuda será bem-vinda", declara.
Para ajudar, as pessoas podem entrar em contato com Sandro através do telefone (14) 99848-5441. O circo está recebendo doações através do Pix, e a vaquinha online foi encerrada para que eles pudessem resgatar o dinheiro.

Fonte: G1



Nenhum comentário:

Postar um comentário