segunda-feira, 8 de fevereiro de 2021

Garça fecha ano de 2020 com acréscimo de 605 postos de emprego formal

A cidade de Garça fechou o ano de 2020 com números positivos na geração de emprego. No ano passado, o município viu 605 postos de trabalho serem criados. Tal dado foi revelado no mais recente levantamento do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), elaborado pela Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia. 
Durante o exercício passado, um total de 3.481 admissões foi observado no município, contudo, 2.876 demissões ocorreram no período, indicando, assim, um quadro de alta na oferta de emprego, mesmo num ano extremamente conturbado devido à pandemia.
O segmento que mais contribuiu para o cenário positivo foi o de serviços, que teve o aumento de 295 vagas de trabalho, com 1.271 admissões e 976 demissões no ano. A indústria também fechou o exercício de 2020 com dados positivos, ao aferir um saldo de 212 empregos gerados, depois de 904 contratações e 692 demissões. 
A construção civil teve números azuis. Com a contratação de 310 pessoas e desligamento de 215, o setor registrou uma média positiva de 95 postos. O comércio fechou 2020 com saldo positivo de 17 postos, com 714 contratações, contra 697 demissões. Já a agropecuária foi no lado contrário e teve um saldo negativo de 14 postos, com 296 demissões e 282 admissões.
No ano passado, Gália encerrou com um saldo positivo de 65 postos de trabalho, com 314 admissões e 249 pessoas tendo seus contratos rescindidos. Já em Fernão o saldo foi negativo de dois postos, com 77 demissões e 75 admissões.
Levando-se em conta apenas o mês de dezembro passado, verificou-se a diminuição de 117 postos de trabalho em Garça (326 demissões e 209 contratações), com a influência forte do setor de serviços, que teve o desligamento de 139 profissionais. 
A indústria, ao longo do último mês de 2020, teve uma diminuição de 17 postos de trabalho, ao demitir 66 empregados e admitir apenas 49. Na agropecuária, o saldo negativo chegou a nove postos, já que seis contratações foram formalizadas e 15 desligamentos registrados. No segmento da construção, 16 pessoas foram incorporadas, mas outras 19 ficaram sem ter o registro na carteira de trabalho, perfazendo um saldo de baixa de três postos. O comércio, por sua vez, foi na contramão e registrou saldo positivo de 51 postos, com 76 contratações e 25 demissões.
Em dezembro, Gália fechou com saldo negativo de cinco postos de trabalho, com 18 demissões e 13 admissões. Já em Fernão o saldo também foi negativo, mas de um posto, com cinco desligamentos e quatro incorporações.
O Cadastro Geral de Empregados e Desempregados foi criado como registro permanente de admissões e dispensa de empregados, sob o regime da Consolidação das Leis do Trabalho. É utilizado pelo programa de Seguro-Desemprego para conferir os dados referentes aos vínculos trabalhistas, além de outros programas sociais. Esse Cadastro serve ainda como base para a elaboração de estudos, pesquisas, projetos e programas ligados ao mercado de trabalho, ao mesmo tempo em que subsidia a tomada de decisões para ações governamentais.

Redação do Garca.Jor



Nenhum comentário:

Postar um comentário