sexta-feira, 29 de janeiro de 2021

Prefeitura impede acesso de veículos em ruas ao redor do Lago Artificial

O departamento de trânsito da Prefeitura de Garça interditou novamente o trânsito de veículos nas ruas ao redor do Lago J.K Williams. O objetivo é evitar aglomerações no local que tem trailers de alimentação. Somente o trânsito dos motociclistas que fazem entregas será permitido na área onde ficam os trailers e food-trucks.
No dia 24 de junho do ano passado, a prefeitura já tinha feito a interdição no local por causa da pandemia do coronavírus. O acesso foi liberado quase um mês depois, no dia 13 de julho.
Graça está na fase vermelha do Plano São Paulo e nesse período bares, restaurantes, lanchonetes e food trucks só podem trabalhar no sistema delivery, ou seja, com entregas. Portanto a retirada de alimentos no local está proibida.
Garça registra 1.775 casos confirmados de Covid-19 e 34 pessoas perderam a vida por complicações da doença.
No último decreto de regulamentação da quarentena publicado em edição extraordinário no dia 15 de janeiro, também está proibido o consumo de bebidas alcoólicas e aglomeração de pessoas em espaços públicos, entre eles o lago artificial e bosque das cerejeiras, onde é realizada a tradicional Festa da Cerejeira que foi cancelada no ano passado.
Na virada do ano, a Polícia Militar precisou utilizar bombas de gás lacrimogênio para dispersar cerca de 300 pessoas que estavam no lago artificial J.K. Williams.
O Lago estava fechado e um decreto municipal da prefeitura proíbe aglomerações no local para evitar a disseminação do coronavírus. No entanto, a PM informou que os grupos não respeitaram a determinação e precisaram ser retirados do local. Ninguém ficou ferido.
Dias antes, a prefeitura de Garça chegou a denunciar para a Polícia Militar um evento no Facebook chamado de 'Virada na Lagoa'.
Na descrição do evento, o administrador comentou que o "ano não foi fácil" e pediu um minuto de silêncio para as pessoas que partiram, desejando "que 2021 seja um ano abençoado". No entanto, a página não trazia orientações de segurança nem informações sobre a covid-19.
Na época, a Prefeitura informou que o evento era considerado clandestino e não forneceria um alvará para o funcionamento da festa.

Fonte: G1



Nenhum comentário:

Postar um comentário