sexta-feira, 22 de janeiro de 2021

Diretor de hospital é acusado de "furar a fila" e Tupã suspende vacinação contra covid-19

A Prefeitura de Tupã suspendeu no início da tarde desta quinta-feira (21) o processo de vacinação contra a covid-19 que teve início na tarde quarta-feira, 20 de janeiro, um dia após a cidade receber seu primeiro lote com 1.480 doses da CoronaVac.
O motivo da suspensão foi uma postagem em uma rede social mostrando um diretor integrante da irmandade que administra a Santa Casa sendo vacinado e festejando o feito.
A polêmica surgiu porque dirigentes de hospitais não estariam classificados como “profissionais da saúde na linha de frente do combate à Covid-19” que integram o grupo prioritário para receber as doses desse lote inicial.
Por telefone, a assessoria de imprensa da prefeitura confirmou ao G1 a suspensão e disse que uma reunião com todas as autoridades envolvidas no processo de vacinação foi convocada para a tarde desta quinta-feira para redefinição das estratégias da imunização.
Em nota, após a reunião, a prefeitura informou que, depois de uma averiguação, a vacinação no posto instalado na Santa Casa que havia sido interrompida temporariamente foi retomada no meio da tarde e que "não houve irregularidades" no episódio. 
Apesar do posicionamento das autoridades, a Promotoria de Justiça de Tupã, que também recebeu a denúncia, pediu a instauração de um inquérito policial para investigar o caso.
Por telefone, Valdo Pereira, de 52 anos, que aparece na foto sendo vacinado e segurando uma carteira de vacinação, disse à reportagem do G1 que há 17 anos é voluntário da irmandade que administra a Santa Casa, que também é diretor no hospital, e que não “furou a fila” da vacinação.
“Recebi uma convocação pelo grupo da diretoria da Santa Casa de que todos os funcionários e diretores deviam ir para a fila se imunizar. Faço de tudo no hospital, circulo por todas as alas levando e buscando documentos, resolvendo problemas, e tendo contato com as pessoas. Jamais tiraria uma dose de vacina de alguém e só fui [vacinar] porque fui convocado”, disse Valdo Pereira.
O diretor disse ainda que a postagem foi feita por seu filho após receber a foto no grupo da família. Para ele, a polêmica teria sido lançada nas redes sociais por adversários políticos da cidade – Valdo foi candidato a vereador pelo PSL, mas não se elegeu em novembro do ano passado.
Por telefone, a assessoria da Santa Casa de Tupã informou que o diretor vacinado frequenta o ambiente hospitalar e também corre risco de se infectar com a Covid-19.
A direção está em reunião com a Secretaria de Saúde para definir se todos podem ser vacinados ou não. Se o entendimento for de que não houve erro, a vacinação será estendida para integrantes da área administrativa da Santa Casa de Tupã, mas se a atitude for classificada como equivocada, será corrigida a partir de agora
Ainda de acordo com a assessoria, foi confirmado que outras pessoas que atuam no setor administrativo do hospital também receberam a vacina, mas não foi revelado o número. Algumas delas foram vacinadas nesta quinta-feira.
"Foi citado o fato de algumas pessoas que atuam na limpeza e manutenção da Santa Casa, que apesar de não atuarem diretamente com os pacientes, circulam em áreas em que eles estão internados, bem como pessoas do setor administrativo, que precisam do acesso em todo o interior da santa casa, pois pegam prontuários e em outras situações", informou.
Após a chegada das primeiras 1.480 doses, a funcionária da limpeza Francisca Damião dos Santos, que trabalha há 36 anos na lavanderia da Santa Casa de Tupã, foi a primeira pessoa da cidade a ser vacinada contra a Covid-19, ainda na quarta-feira.
Depois dela, outros 19 profissionais do hospital receberam a primeira dose da CoronaVac. A partir desta quinta-feira, outros profissionais da saúde começaram a ser vacinados.

Fonte: G1



Nenhum comentário:

Postar um comentário