segunda-feira, 11 de janeiro de 2021

Balada com cerca de 200 pessoas é interditada em chácara de Marília

O setor de fiscalização da Prefeitura de Marília, com apoio da polícia, interditou no início da madrugada deste domingo, 10 de janeiro, uma grande festa com cerca de 200 participantes que estava sendo realizada em uma chácara da cidade.
De acordo com Juliano Bataglia, chefe do Setor de Fiscalização de Posturas da prefeitura, apesar de 200 jovens estarem no local, o público previsto para o evento era estimado em 400 pessoas.
Segundo a prefeitura, eventos deste tipo são ilegais, segundo decreto estadual que impede festas com aglomeração durante a pandemia de coronavírus.
O flagrante ocorreu no mesmo dia em que a cidade precisou pela primeira vez na atual pandemia transferir um paciente para outro município por causa da ocupação de 100% dos leitos locais de UTI para tratamento de covid-19.
Logo após a chegada dos fiscais e dos policiais militares, que encontraram na cozinha da chácara uma grande quantidade de bebida alcoólica, em garrafas e já preparada em copos para venda, os jovens foram orientados a deixar o local, muitos deles carregando coolers ou geladeiras de isopor com bebidas.
Bataglia explicou que o evento já estava sendo monitorado durante a semana e que a organização chegou a divulgar que ele havia sido cancelado, no intuito de driblar a fiscalização.
"Primeiro divulgaram que seria apenas um aniversário, depois que o evento foi cancelado, mas seguimos monitorando atentamente e flagramos uma situação totalmente irregular em tempos de pandemia", disse o chefe da fiscalização.
Os organizadores foram identificados e um boletim de ocorrência foi registrado. Ainda segundo Bataglia, os organizadores do evento e responsáveis pela chácara podem responder por infrações sanitárias e devem prestar esclarecimentos à polícia civil.
Procurado pela reportagem da TV Tem, o proprietário da chácara Espaço Nobre informou por telefone que o local foi alugado a uma jovem para a realização de uma festa de aniversário.
Ele disse ainda que um contrato foi firmado no qual a locatária se responsabilizava por não realizar aglomerações e que, mesmo ciente disso, descumpriu as regras.
Ele disse ainda que, por conta da pandemia, chegou a ficar sem alugar o local justamente para evitar aglomerações.
A responsável pelo aluguel do local foi procurada e respondeu que "prefere não se posicionar sobre o assunto".

Fonte: TV Tem



Nenhum comentário:

Postar um comentário