terça-feira, 29 de dezembro de 2020

Rios Tietê, Pardo e Grande recebem alevinos

Com a Piracema, movimento migratório dos peixes para reprodução, teve início uma nova fase do Programa de Manejo Pesqueiro da AES Brasil nas estações de Hidrobiologia e Aquicultura da empresa, localizadas nas usinas de Promissão e de Barra Bonita. Por meio do programa, anualmente, 2,5 milhões de alevinos são soltos nos rios Tietê, Pardo e Grande.
No programa de Manejo Pesqueiro da companhia, são cultivadas as espécies de peixes do tipo Curimbatá, Dourado, Pacu-Guaçu, Piapara, Piracanjuba e Tabarana. O biólogo da AES Brasil, Silvio Santos, explica que a soltura dos alevinos é muito importante para a reprodução da fauna aquática.
"Com o repovoamento dos alevinos em nossos reservatórios, o programa auxilia na proteção e conservação das espécies, no desenvolvimento de tecnologias de piscicultura para tipos nativos de Piracema e na geração de informações sobre a dinâmica das comunidades de peixes nos reservatórios da empresa", diz.
Segundo a AES, a eficiência do programa foi comprovada com os resultados obtidos por pesquisa científica coordenada pela empresa, pela Universidade Estadual de Maringá e pela Universidade Estadual de Londrina, que demonstrou que esses repovoamentos têm permitido a conservação genética das espécies, contribuindo com o reforço da cadeia alimentar e incremento da pesca esportiva e profissional.
O período da Piracema se estende por cerca de quatro meses e vai até o final de fevereiro de 2021 nos rios de toda a área de concessão da companhia. Para garantir que o repovoamento contribua com a proteção e conservação das espécies de forma natural, está proibida a pesca para todas as categorias e modalidades até 1.500 metros à montante e à jusante de todas as barragens de hidrelétricas.

Divulgação





Nenhum comentário:

Postar um comentário