segunda-feira, 26 de outubro de 2020

Trio é preso por suspeita de matar homem em Reginópolis

A Polícia Civil cumpriu mandado de prisão temporária contra três pessoas acusadas de homicídio qualificado contra um pedreiro de 43 anos. O crime ocorreu em agosto deste ano em Reginópolis (70 quilômetros de Bauru) e as investigações apontam que o trio pode ter matado a vítima para usufruir dos bens dela. Um dos detidos, um homem de 41 anos, confessou o assassinato e apontou onde estava a ferramenta de encanador usada no crime. As identidades dos envolvidos não foram divulgadas.
Cláudio Fernandes de Oliveira foi morto com golpes na cabeça dentro de sua chácara, em Reginópolis. O corpo dele foi encontrado no dia 9 de agosto.
Desde então, o caso é investigado e a amásia dele, de 46 anos, apresentou versões contraditórias sobre os lugares e pessoas com quem estaria na ocasião.
"Aparentemente, detectamos que a motivação foi o patrimônio da vítima, que tinha uma chácara e três casas de aluguel. Ele e sua convivente, possível mandante do crime, estavam com problemas no relacionamento", explica o delegado Roberval Fabbro, responsável pelas investigações.
Por meio de imagens de câmeras de segurança e interceptações telefônicas, principalmente do celular da amásia do pedreiro, a polícia chegou ao suspeito de ser o executor, um homem de 41 anos e que seria amante da mulher. Os investigadores descobriram que ele viajou de São Paulo para Reginópolis um dia antes de o corpo ser encontrado e voltou para a Capital na manhã seguinte.
A viagem foi feita por meio de um motorista de aplicativo, que foi ouvido pela polícia e reconheceu os dois. "Conseguimos, assim, vincular este homem à amásia da vítima e ao local do crime, durante o horário em que o homicídio foi cometido", cita o delegado.
Ainda por meio de interceptações telefônicas, a polícia descobriu que a mulher teria alugado, há poucos dias, um imóvel em Lins para morar com o então amante, apontado como executor do pedreiro.
Diante das informações, as equipes cumpriram mandado de prisão temporária contra ambos na manhã deste sábado. Após ser detido, o homem confessou o homicídio. Já a mulher nega qualquer participação no crime. "Ele mostrou o local em que jogou a arma, uma ferramenta de encanador, próximo a um trevo da cidade. Inicialmente, alegou legítima defesa e também negou que a mulher tenha participação", comenta Fabbro.
Além dos dois, uma familiar da mulher, de 23 anos, que encontrou o corpo do pedreiro, também foi detida possível participação no homicídio.
As duas foram encaminhadas para a Cadeia Pública de Pirajuí e o homem para a Cadeia Pública de Avaí.
"Agora, colheremos mais elementos para representar pela prisão preventiva de todos", finaliza o delegado.

Fonte: Jornal da Cidade de Bauru



Nenhum comentário:

Postar um comentário