quinta-feira, 22 de outubro de 2020

Após 70 anos, morador de Parnaso reencontra irmãos e conhece familiares

A história de uma família ganhou um novo capítulo, nas últimas semanas, na Nova Alta Paulista. O trabalhador rural Laudelino Martins da Silveira, de 83 anos, morador em uma propriedade rural no distrito de Parnaso (município de Tupã), reencontrou os irmãos que não via há exatos 70 anos. A maioria dos familiares mora em Adamantina, outros em Pacaembu e Campinas.
Segundo publicou Taís Silveira, que é neta de um dos irmãos de Laudelino, um parente do morador de Parnaso estava inconformado com a tristeza do idoso, de pensar que poderia morrer sem rever a família. Assim, decidiu contratar uma pessoa especializada na localização de desaparecidos, o que permitiu reencontrar os familiares.
Quatro dos irmãos de Laudelino moram em Adamantina: Orozino, Maria, Laurinda e Tercília. Outros dois irmãos moram fora: Deoclides reside em Pacaembu e João em Campinas. Uma irmã, Corina, já é falecida. A família é originária de Candeúba, região sul da Bahia.
Desde que ocorreu o primeiro reencontro, semanas atrás, foram muitas as idas de familiares a Parnaso. A mais recente delas foi no último final de semana, em que Laudelino comemorou 83 anos, sendo possível a primeira celebração do aniversário, após 70 anos, em família.
Além do reencontro dos irmãos, foi possível também que tios, sobrinhos e primos também se conhecessem. Laudelino tem quatro filhos.
Em seu perfil no Facebook, Taís Silveira escreveu, a partir do que ouviu de seu avô, no começo deste ano. "No começo desse ano eu soube que meu avô tinha um irmão mais velho, que se perdeu deles aos 13 anos de idade quando estavam vindo de trem da Bahia para conhecer o Estado de São Paulo, e meu avô falou várias vezes: se o Lau estiver vivo, ele vai aparecer”, relatou. "E sim: o tio Lau apareceu”, contou.
Taís também relatou sobre a emoção vivida no último sábado, no primeiro aniversário em família, após sete décadas de desencontros. "Foi emocionante ver a alegria dele que uma vida toda se sentiu sozinho por não ter sua família por perto e não saber o paradeiro de ninguém”, escreveu. "Deus é maravilhoso em nos proporcionar esse reencontro”, finalizou.
Valdeir da Silva, filho de uma das irmãs de Laudelino, também escreveu em seu perfil, nas redes socais, sobre o que definiu como encontros, desencontros e reencontros. "Há 70 anos, numa viagem ao Estado de São Paulo, a procura de condições melhores de vida, meu tio Laudelino Martins da Silveira foi perdido, desapareceu, considerado como falecido, inclusive”, disse. "Hoje, com o uso da tecnologia e a bondade de muitos e claro, Graças a Deus, foi reencontrado”.
Ele também comemora o reencontro. "Agora, nossa família que já não era pequena, ficou maior ainda e mais feliz”, escreveu. "É bom aguardar o tempo de Deus. Quando achávamos que tudo tinha se perdido, Ele retribuiu devolvendo o que estava longe e presenteando com frutos 100 por 1”, finalizou, em referência a uma parábola do Evangelho, em Mateus, capítulo 13.

Fonte: Siga Mais



Nenhum comentário:

Postar um comentário