sexta-feira, 4 de setembro de 2020

Crise contínua: Embraer irá demitir 900 funcionários

A Embraer anunciou nesta quinta-feira, 03 de setembro, a demissão de 900 funcionários no país, o equivalente a 4,5% do seu efetivo total. As demissões devem atingir a planta de Botucatu, que tem média de 1.800 empregados e é responsável pela fabricação de peças e estruturas para aeronaves e montagem de fuselagens. Apesar de questionada, a companhia não havia respondido até o fechamento desta edição.
Segundo a empresa, os desligamentos decorrem dos impactos causados pela Covid-19 na economia global e do cancelamento da parceria com a Boeing e busca assegurar a sustentabilidade da companhia e sua capacidade de engenharia.  
Em comunicado, a Embraer afirma que a pandemia afetou particularmente sua aviação comercial que, no primeiro semestre deste ano, apresentou redução de 75% das entregas de aeronaves, em comparação com o mesmo período de 2019.
"Além disso, a situação se agravou com a duplicação de estruturas para atender a separação da aviação comercial, em preparação à parceria não concretizada por iniciativa da Boeing, e pela falta de expectativa de recuperação do setor de transporte aéreo no curto e médio prazo", diz.
A empresa alega que, desde o início da pandemia, adotou uma série de medidas para preservar empregos, como redução do trabalho presencial nas plantas industriais, férias coletivas, redução de jornada, lay-off, licença remunerada e três planos de demissão voluntária (PDVs), que tiveram adesão de cerca de 1,6 mil colaboradores no Brasil.

Fonte: Jornal da Cidade



Nenhum comentário:

Postar um comentário