terça-feira, 4 de agosto de 2020

Unesp se destaca em competições nacionais de Empreendedorismo Social

De acordo com estudos, o Brasil tem 23 milhões de pessoas em situação de vulnerabilidade social e diversas iniciativas têm buscado maneiras inovadoras e empreendedoras de contribuir com as comunidades para minimizar essa realidade e contribuir para o alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU).
Um desses projetos é a Enactus Brasil, organização internacional sem fins lucrativos que atua oferecendo a estudantes suporte para ações que gerem impacto social, ambiental e econômico de maneira positiva.
Na Universidade Estadual Paulista (Unesp), atualmente nove campi universitários contam com mobilizações de alunos ligados a essa organização: Araraquara, Assis, Bauru, Botucatu, Franca, Guaratinguetá, São José do Rio Preto, Sorocaba e Tupã. E todos têm se destacado em projetos e competições com visibilidade nacional.
Além da atuação em projetos dentro e fora dos campi, entre os dias 25 e 31 de junho, diversos times da Unesp participaram do primeiro Hackathon online realizado pela Enactus Brasil em parceria com a empresa Unilever. O evento, intitulado Enacthon, reuniu 450 estudantes em uma competição em nível nacional voltada à proposição de soluções alinhadas aos ODS para as problemáticas advindas da pandemia da COVID-19, com a temática “O futuro é agora”.
Ao todo, foram aproximadamente 155 horas de conteúdos transmitidos aos participantes por especialistas do mercado, 30 horas de programação ao vivo pelo YouTube, abordando temas como pitch, design thinking, oratória e modelo de negócio, além de cerca de 20 horas para o desenvolvimento dos projetos. A programação ainda contou com plantões de dúvidas e cada equipe teve apoio de um mentor para auxiliar nas etapas de desenvolvimento.
Os participantes inscritos individualmente foram alocados em equipes pelos organizadores do evento e também houve a possibilidade de se inscrever em grupos de três a cinco integrantes, permitindo a interação com participantes de outras partes do Brasil.
Dos 93 times participantes, 20 foram selecionados como semifinalistas e, deste total, onze foram premiados com um mês de acesso à plataforma Jaleko, que traz conteúdos da área médica para atualização, além de uma mentoria de seis meses de oratória (com encontros uma vez por mês) e de um acompanhamento de seis meses feito pela Unilever.
Participaram desse desafio 39 estudantes da Unesp, em dez equipes diferentes: quatro chegaram à semifinal e duas equipes foram premiadas. Conheça, na sequência, a mobilização dos alunos e as propostas que eles desenvolveram.
Enactus Unesp Araraquara - Os membros dessa Enactus se organizaram em duas equipes para participar do Enacthon: a Abirú e a Arar. Mesmo sem trocar informações durante a competição, as equipes criaram projetos totalmente alinhados, e ambos tiveram como guia a ODS 2 – Fome Zero e Agricultura Sustentável.
No caso do projeto “Abirú: Feira Sobre Rodas”, os membros explicam que ele foi pensado para envolver 2 públicos: produtores agrícolas do Assentamento Bela Vista e moradores em situação de rua de Araraquara.
O projeto une literalmente a fome com a vontade de comer, afinal, os agricultores do assentamento precisam escoar seus produtos de forma eficaz e segura durante a pandemia, e os moradores de rua precisam ter acesso a parte desse alimento que é escoado.
Para garantir que os alimentos também cheguem aos moradores de rua, parte das cestas produzidas será doada para o Grupo VIVA – responsável por preparar o alimento e distribui-lo em marmitas. A ideia foi para a semifinal do Enacthon, ficou em 16º lugar, e toda a equipe adorou participar do evento.
Em relação à solução “Arar”, a proposta visou reduzir os impactos do desperdício de alimentos  fazendo uma ligação direta entre os pequenos produtores e os consumidores da região de Araraquara através da divulgação de cestas semanais pelo WhatsApp, com o objetivo de aumentar a venda dos produtos agrícolas estabelecendo a conexão entre os interessados em adquirir e os que produzem os alimentos. Além disso, os possíveis clientes do projeto, ao adquirir cestas, estariam destinando uma parte dos recursos às organizações sociais.
Os dois projetos foram unificados e estão em fase de implementação a curto prazo, visto que eles atuam sobre a mesma problemática.
Enactus Unesp Assis - Integrantes do time idealizaram o projeto “Avós da Experiência”, que consiste em desenvolver uma plataforma online que viabiliza a disponibilização de conteúdos em diversos formatos (textos, videoaulas, fotos) criados por idosos com auxílio de pessoas mais jovens, que conseguem lidar com tecnologias sem tantas dificuldades para essa produção.
A proposta foi ampliar o acesso a diferentes conhecimentos técnicos e de vida, perpetuando assim a sabedoria, o repertório e a cultura ao longo das gerações.
De acordo com os idealizadores, a ideia pode diminuir a sensação de abandono e inutilidade que muitas vezes os idosos possuem, contribuindo assim para a saúde mental desse público (em sintonia com a ODS 3 de Saúde e Bem-Estar), além da possibilidade de acompanhar os participantes ao longo de todo o projeto, já que o campus de Assis possui o curso de Psicologia.
Nycolly Amaral, que fez parte da equipe, destaca a importância da ação. “O projeto foi montado especialmente para o evento, mas estamos considerando aplicá-lo na cidade de Assis, onde ele se encaixaria muito bem. Porém, isso só pode ser feito após o controle da pandemia, pois a viabilização exige contato com administrações de Casas de Repouso”, diz ao Portal da Unesp.
Enactus Unesp Bauru - Os integrantes idealizaram um projeto para fomentar oportunidades de geração de renda e de trabalho digno, conforme previsto na ODS 8. O aplicativo, intitulado “Comadre”, pretende ser um modo seguro de permitir que trabalhadores realizem suas ocupações presenciais sem desamparar os filhos, conectando essas pessoas a cuidadoras e cuidadores, com possibilidade de ser registrado e viabilizado em breve.
A proposta ficou em 5º lugar na competição (sendo, portanto, uma das onze ganhadoras), está sendo aprimorada, e os membros da Enactus Unesp Bauru buscam agora por pessoas que possam contribuir com o desenvolvimento do aplicativo. Os interessados podem entrar em contato pelo e-mail prospeccao.enactus.bauru@gmail.com.
Enactus Unesp Botucatu - Os alunos dessa iniciativa se dividiram em duas equipes. O projeto “Te Ajudo” foi desenvolvido para contribuir com crianças do Ensino Fundamental I diante da pandemia, contemplando assim a ODS 4 relacionada à Educação de qualidade. A proposta consistiu na elaboração de um plataforma web a fim de viabilizar conexões entre alunos e professores voluntários com o objetivo de ajudar na resolução de dúvidas e nas atividades escolares.
Por sua vez, o projeto “Integra+” nasceu para ampliar a visibilidade das necessidades atuais de crianças do espectro autista, auxiliando na comunicação desse público por meio de um site interativo idealizado para reunir pais, professores e alunos, com a venda de produtos educativos direcionado para garantir a sustentação da tecnologia. O Integra+ contempla a ODS 10, que zela pela redução das desigualdades, e o time ficou em 8º lugar na competição (sendo, portanto, uma das onze ganhadoras).
Nesse momento, os membros estão testando a plataforma com os primeiros usuários, estudando o mercado e prospectando parcerias. Nathalia Albuquerque, integrante da equipe, pontua a metodologia. “Estamos adequando o site, coletando feedbacks, já entramos em contato com pais de crianças do espectro altista e todos estão adorando. Além disso, temos estruturado o manual de uso da plataforma, que semana que vem começará a ser utilizado, e buscamos melhorar a cada dia”, revela ao Portal da Unesp.
Enactus Unesp Franca - Integrantes dessa Enactus trabalharam no projeto “Mãos na terra – edição hortaliças”, que propôs a montagem de hortas em escolas municipais com produtos como alface e rabanete, que poderiam contribuir na suplementação da merenda.
Além disso, a ideia envolveu o desenvolvimento de jogos de perguntas e respostas e de dinâmicas com temas como educação ambiental, sustentabilidade e conscientização. Atualmente o projeto está pausado por conta da pandemia, mas há a expectativa de implementá-lo quando possível.
Enactus Unesp Guaratinguetá - Entre membros dessa Enactus nasceu o projeto nomeado inicialmente como “Km0 (quilômetro zero)”, voltado a capacitar empreendedores e prestadores de serviços informais da Cohab de Guaratinguetá potencializando rapidamente suas vendas e permitindo sua inserção no mercado de trabalho de forma efetiva para melhorar as condições econômicas.
Para isso, a proposta envolve disponibilizar conteúdos necessários e mentorias personalizadas para essas pessoas compartilhando as informações de maneira online.
Os membros da equipe idealizadora pretendem implementar o projeto em curto prazo com alguns ajustes, e por isso estão realizando contato com possíveis beneficiados da região para entender necessidades, identificar problemas existentes e alinhar os conteúdos que serão oferecidos. A proposta contempla as ODS 8 (Trabalho decente e crescimento econômico), 4 (Educação de qualidade) e 10 (Redução das desigualdades).
Enactus Unesp Tupã - Uma equipe formada por dois membros dessa Enactus abordou a problemática ligada às necessidades dos estudantes com dificuldades de adaptação ao ensino à distância ou à falta do mesmo diante da pandemia, atendendo à ODS 4.
A ideia do aplicativo “Aprendizar: para quem tem sede de aprender e de ensinar” foi direcionada aos jovens entre 15 e 20 anos que estudam em escolas públicas do Brasil, tendo como diferencial a construção e o acompanhamento do perfil de cada membro e o oferecimento de bonificações como cursos, livros, apostilas e monitorias gratuitas através de uma estratégia de gamificação.
Enactus Unesp Sorocaba - Diferentemente das outras Enactus que se inscreveram já com as equipes formadas, a Enactus de Sorocaba contou com uma  integrante para representá-los, que se candidatou individualmente e trabalhou em conjunto com uma integrante da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Lara Marise Mateos, aluna da Unesp, destaca que tem orgulho de ter participado de um desafio tão intenso.
“Eu não fazia ideia do que precisava saber para desenvolver um projeto e as palestras que tivemos foram muito legais e ajudaram bastante a ter uma consciência do que precisaríamos; aprendi a trabalhar melhor em equipe e vi despertar em mim um espírito de liderança muito importante para a faculdade e para a minha vida”, diz.
A estudante foi uma das responsáveis pelo projeto “SustentaFood”, criado com o objetivo de realizar a doação de alimentos que estão com a data de vencimento próxima nos mercados e armazéns para pessoas ou ONGs que necessitam. Com a ideia, o grupo chegou à semifinal e foi classificado em 19º lugar.
Encontro Nacional Enactus Brasil - Entre os dias 14 e 16 de julho, ocorreu o Evento Nacional Enactus Brasil (ENEB), reunindo 123 times de todo o Brasil em uma grande competição sobre impacto social.
Realizado virtualmente neste ano, o ENEB transmitiu lives, promoveu encontros de grandes líderes como estudantes, empresários e agentes do governo, além de experiências online abertas para qualquer pessoa interessada na temática do empreendedorismo social e na apresentação de artigos. Uma das principais pautas do evento foi o cenário com a COVID-19 e o que a rede Enactus tem feito para minimizar os impactos da pandemia na sociedade através da inovação e de diferentes modelos de negócios.
No primeiro dia ocorreram as apresentações dos trabalhos dos times Enactus. Os membros da Unesp Franca, Unesp Guaratinguetá, Unesp Bauru, Unesp São José do Rio Preto e Unesp Araraquara competiram na liga principal; paralelamente, os times da Unesp Botucatu, Unesp Sorocaba e Unesp Tupã participaram da liga Rookie – específica para grupos estreantes.
Na liga principal, a Enactus Unesp Bauru foi uma das semifinalistas pela atuação nos projetos “Saúde Embalada”, que trabalha o empreendedorismo feminino com capacitações para que as mulheres se tornem financeiramente independentes gerando renda com a venda de saladas e lanches naturais na Unesp; “Ubiraci”, que envolve pessoas que estão em tratamento contra a dependência química e são estimulados e capacitados a produzirem móveis de marcenaria; e “Trilhos”, que integra cooperativas e catadores de materiais recicláveis.
Na liga Rookie, o time Enactus Unesp Tupã ficou em terceiro lugar com o projeto “ReciclaÓleo”, que se encontra em fase de estruturação; a mesma iniciativa também possibilitou que o time conquistasse o “prêmio ODS” no sétimo Objetivo de Desenvolvimento sustentável (ligado à Energia Limpa e acessível).
O projeto atua ressignificando o destino do óleo usado na cozinha, convertendo-o em matéria-prima para a produção do Biodiesel, um combustível renovável e menos prejudicial ao meio ambiente. A ideia é utilizar tal combustível nos veículos da Unesp Tupã e da Apae do município, reduzindo os gastos de ambas as instituições e viabilizando que os recursos sejam utilizados para outras necessidades.
Outra conquista para a Unesp veio na categoria especial “Time Relevação”, que ficou com os integrantes do campus de Botucatu. Eles foram elogiados pela rápida curva de aprendizado, pelo nível de curiosidade e pela intensidade com que vivenciaram diferentes experiências em 2020.
Murilo Oliveira da Silva, presidente do time Enactus Unesp Botucatu, falou sobre a emoção da conquista. “Há dez meses esse time era apenas uma ideia e hoje ter esse reconhecimento nacional é fantástico! Esse é o resultado de muito esforço, união e coragem de uma equipe que mesmo com o desafio imposto pela pandemia do Covid-19 soube se reinventar e mostrar que nosso campus tem um enorme potencial”, disse ao Portal da Unesp.
Ainda segundo Murilo, a equipe pretende alçar resultados ainda maiores. “Nosso propósito é impactar vidas, potencializar as habilidades das comunidades de Botucatu e é isso que esperamos para o próximo ciclo. O reconhecimento que tivemos é um estímulo a mais e mostra que estamos no caminho certo”, acrescentou.
Para além dos resultados positivos obtidos em competições, os diferentes times das Enactus da Unesp seguem promovendo transformações por meio do empreendedorismo social, da inovação e da inclusão em diferentes comunidades.
Para isso, eles utilizam conhecimentos construídos durante a formação e estabelecem conexões fundamentais para o desenvolvimento sustentável. Somente no ano de 2019 a rede Enactus Brasil impactou mais de 20 mil pessoas e consolidou 240 projetos. Os nove times da Unesp foram parte fundamental desse processo.
“Acreditamos muito nesses projetos que promovem a conexão entre a Universidade e a sociedade por meio das ações de empreendedorismo social realizadas pelas Enactus da Unesp, e é um grande prazer divulgar e contribuir com essa iniciativa. Em 2019, a Agência Unesp de Inovação realizou, com o apoio do Santander Universidades, um encontro presencial dessas Enactus em nove campi. Esperamos que os resultados positivos sejam cada vez melhores para todos os envolvidos em termos de aprendizado, mudança, visibilidade, oportunidade e impacto”, diz Guilherme Wolff, assessor da Agência Unesp de Inovação (AUIN), ao Portal da Unesp.

Fonte: Portal da Unesp


Nenhum comentário:

Postar um comentário