quinta-feira, 27 de agosto de 2020

Santa Cruz do Rio Pardo: educadora com covid-19 dá aula de Pilates e estúdio é lacrado

A Vigilância Sanitária interditou um estúdio de pilates por 14 dias após uma educadora física, que deveria estar cumprindo isolamento social por suspeita de contágio pelo coronavírus, foi flagrada dando aula de treinamento funcional no local, em Santa Cruz do Rio Pardo.
De acordo com a prefeitura, a mulher estava com suspeita da doença e assinou um documento se comprometendo a cumprir o isolamento enquanto aguardava o resultado do exame, que deu positivo para covid-19.
No entanto, a prefeitura informou que a educadora física continuou trabalhando e, no dia em que os funcionários da Secretaria de Saúde foram notificá-la sobre a confirmação da doença, encontraram a professora dando aula para seis alunos, que não estavam utilizando máscaras de proteção.
O prefeito de Santa Cruz do Rio Pardo, Otacílio Parras (PSB), comentou sobre o caso nas redes sociais. Segundo o chefe do Executivo, que é médico, a professora desrespeitou todas as regras essenciais de saúde pública pois ela "continuou trabalhando sabendo que poderia contaminar seus clientes".
“Quando a Vigilância Sanitária constata que alguém sabidamente doente ou com suspeita de estar doente, aguardando exames, vai trabalhar, sai na rua para passear, coloca outros em risco, a Vigilância é obrigada a fazer um boletim de ocorrência contra essa pessoa", explica o prefeito.
Agora, a professora vai responder por crime contra a saúde e teve que pagar uma multa de R$ 538 por descumprir o decreto.
A TV Tem tentou entrar em contato com a dona do estúdio que foi interditado, mas não obteve retorno até a publicação da reportagem.
Santa Cruz do Rio Pardo faz parte do Departamento Regional de Saúde (DRS) de Marília, que foi rebaixado para a fase 2 (laranja) do Plano São Paulo, que determina as regras de flexibilização das atividades econômicas.
No entanto, a cidade não publicou um novo decreto e continua seguindo a fase 3 (amarela), além de permitir a abertura de academias, mas com regras de higiene e uso de máscaras.
O Ministério Público informou que acompanha de perto a situação do município e que por enquanto não há necessidade de mudança de fase. Já a prefeitura disse que vai intensificar a fiscalização para evitar casos como o da educadora física.

Fonte: TV Tem



Nenhum comentário:

Postar um comentário