quinta-feira, 27 de agosto de 2020

Papa pune padre de Assis por abençoar casamento gay

Apesar dos manifestos de apoio ao Padre Vicente ao ser suspenso da Igreja Católica por abençoar uma união homoafetiva e quebrar paradigmas, depois de 8 meses chega do Vaticano o Preceito Penal a ser aplicado ao Padre pelo ato praticado que contraria os princípios dessa religião.
Segundo o documento expedido pela Diocese de Assis, em 26 de agosto desse ano, Padre Vicente se arrependeu e pediu perdão pelo ato inconsequente de celebrar união estável homoafetiva, assim como ao eminente escândalo que isso causou, o que caracteriza, segundo o Vaticano má conduta de incentivo à cultura gay.
Ainda segundo o Preceito Penal, Padre Vicente tem consciência de que deve salvaguardar a salus animarum e corrigir e reparar o escândalo, além de se submeter à prescrição dada, entre elas:
- Continuar afastado do exercício ministerial até 7 de dezembro de 2020, sendo em seguida readmitido ao uso de ordens sagradas, com exceção da celebração do sacramento do matrimônio;
- Realizar curso sobre matrimônio segundo a perspectiva teológica, jurídica e pastoral;
- Permanecer afastado dos meios de comunicação até o ano de 2023; e
- Não exprimir juízo ou opinião sobre a doutrina da Igreja Católica no que se refere ao sacramento do matrimônio.
A reportagem do AssisCity tentou contato telefônico e por aplicativo do WhatsApp com Padre Vicente, para conhecer sua opinião de como ele recebe as punições aplicadas, mas até a divulgação desse texto não obteve retorno.

Fonte: AssisCity



Nenhum comentário:

Postar um comentário