sábado, 15 de agosto de 2020

Moradora do Maranhão procura familiares em Garça

Ana Cristina Pereira de Moraes, funcionária de uma escola em São Luiz, no Maranhão, iniciou contatos em redes sociais para tentar localizar familiares em Garça (30km de Marília) após décadas sem qualquer contato.
Filha de Marilene Pereira de Araújo e Alberto dos Santos Moraes, ela viveu na cidade até os dois anos de idade. Os pais se separaram, ela foi para São Paulo, onde cresceu. Ainda teve contato com o pai na adolescência. Após seu casamento, mudou com o marido para o Maranhão.
Alberto formou nova família em Garça e sempre atuou na região. Ana Cristina diz ter a informação de que o pai teve outros filhos. Também deixou na região dois tios e primos.
Os pais se casaram em Santo, em 1961. Alberto era natural de Fernão, na época um distrito, hoje município vizinho a Gália. Depois de casados Alberto e Marilene foram para Itajubá. Também moraram em fazendas até a mudança para Garça.
“Casei em São Paulo e tive uma filha. Meu marido era bancário e foi transferido para São Luís em 1982, minha filha tinha 8 meses quando nos mudamos para cá.  Quando foi em 1983 tivemos um filho que nasceu aqui”, conta a mulher.
Depois de deixar o banco, o marido atuou em empresas de São Luiz e nunca mais deixaram o Maranhão. Ela diz que a ideia é só retomar contato, ter informações, saber como está e como cresceu a família do pai na cidade e região.
“Quando meu se separou da minha mãe eu tinha menos de dois anos. Ele se casou e teve três filhos, depois teve mais dois filhos de outros relacionamentos. Tive contato com minha tia Rita Maria e meu tio Luis Antônio, eu devia ter uns 12 anos e só essa vez. Meu pai eu vi uma vez em São Paulo, devia ter uns 13 anos.”

Fonte: Giro Marília


Nenhum comentário:

Postar um comentário