domingo, 26 de julho de 2020

Garça e região continuam na "fase laranja" do Plano São Paulo

O governo do Estado divulgou na tarde desta sexta-feira, 24 de julho, que a região de Garça continua na fase atual (laranja) do Plano São Paulo para a flexibilização da quarentena e regulamentação da abertura gradual da economia por pelo menos mais duas semanas.
Diante do estabelecido pelo governo do Estado, se mantém o impedimento em relação à retomada do atendimento físico para bares, restaurantes e outros estabelecimentos do tipo, além dos salões de beleza, se mantendo permitidas ações como o drive-thru.
No último dia 10 de julho, a região de Garça, que engloba cidades como Marília e Tupã, assim como a região de Bauru, saíram da fase "1" do Plano São Paulo, a mais rígida e que permite o funcionamento apenas dos serviços considerados essenciais, passando a figurar na fase laranja.
Com a mudança, puderam reabrir — com algumas restrições sanitárias e de horário — o comércio em geral, escritórios, serviços imobiliários e concessionárias.
A região metropolitana de São Paulo, Registro e a Baixada Santista já estavam na fase amarela, com restrições mais brandas, e, a partir desta sexta, a região de Araraquara também passa a contar com esse status. Por seu lado, as zonas de Campinas e Araçatuba mudaram do vermelho para o laranja. Mantêm-se na fase vermelha as regiões de Franca, Ribeirão Preto e Piracicaba.

Registros em Garça — Ao final da tarde de quinta-feira, a Secretaria Municipal de Saúde emitiu um novo relatório sobre a situação da covid-19 na cidade de Garça. O município contava com 51 casos confirmados, sem internações no atual momento e 17 pessoas em tratamento domiciliar. Por seu turno, estavam contabilizados 100 casos suspeitos, com 97 pessoas em tratamento domiciliar e três internações. Um óbito registrado na cidade teve a confirmação de ter sido causado pela covid-19. No município, 218 casos foram descartados e 33 pessoas que contraíram a doença já estão recuperadas.
Segundo a Secretaria, até o momento a cidade realizou 592 testes rápidos, que detectam a presença de anticorpos contra o coronavírus no organismo, indicando se uma pessoa já teve a doença e foi assintomática, por exemplo. Dos testes rápidos, 396 foram aplicados em pacientes que apresentaram sintomas da doença e que procuraram por atendimento médico nas Unidades de Saúde da Família ou na UPA. Esses serviços visam dar acesso ao atendimento na rede pública para todo cidadão, independentemente de idade e profissão, que apresente sintomas de tosse, coriza, febre, falta de ar ou qualquer outro sintoma que leve a um diagnóstico de paciente sintomático respiratório.
Além disso, a UPA está preparada para atender aquele a pessoa em estado de moderado a grave, que for conduzido por meios próprios ou encaminhado pelas USFs para subsídios de exames ou para possível internação ou transferência desse paciente.
Ainda com relação aos testes rápidos, a Secretaria de Saúde deu início, na semana passada, à testagem de todos os policiais militares, bombeiros e profissionais administrativos da saúde que trabalham no município e que não apresentam nenhum sintoma da doença, portanto, assintomáticos. Para esse público, foram aplicados, até o momento, 196 testes rápidos, o que corresponde a cerca de 70% dos exames que serão realizados nessa parcela da população que trabalha na linha de frente da pandemia de coronavírus. Essa é uma deliberação da Comissão Intergestores Bipartite, da Secretaria da Saúde do Estado de São Paulo. Do total de testes, três foram positivos.


Nenhum comentário:

Postar um comentário