quarta-feira, 1 de julho de 2020

Associação Comercial de Marília sugere comercialização eletrônica

Independentemente da fase em que a cidade seja classificada, tanto pelo governo do Estado de São Paulo, como pelo governo municipal, a sugestão da Associação Comercial e Industrial de Marília é para que os comerciantes marilienses estudem a viabilidade de adentrarem no comércio eletrônico que independe desta classificação para continuarem a ser atuantes.
“O comércio eletrônico atende o "delivery" e o "drive thru" que contemplam o decreto estadual e municipal fazendo com que o varejo se mantenha ativo”, disse o presidente da entidade, Adriano Luiz Martins que desde o primeiro dia de Abril, disponibilizou aos varejistas uma plataforma eletrônica que viabiliza a qualquer empresa a vender produtos e serviços pela internet de forma fácil, prática, funcional e custo bem baixo. “É o único caminho”, garante o dirigente mariliense.
Através do endereço eletrônico: www.marilia.dakki.com.br ou através do portal da entidade (www.acim.org.br) o comerciante interessado pode se cadastrar e cadastrar a empresa, rapidamente, e de forma quase imediata a incluir os produtos que quer vender ou serviços. “Somente empresas de Marília participam”, disse o superintendente da associação comercial, José Augusto Gomes, que também não enxerga outra alternativa para o comerciante se manter ativo do que o comércio eletrônico.
“Ele mantem a produção, o serviço e a empresa”, falou ao reconhecer que a ativação é menos intensa, mas não fica paralisado. “Será preciso rever comportamentos, linha de produção, distribuição de funções e muitas vezes acrescentar ou tirar atividades que não serão tão necessárias”, opinou o dirigente da associação comercial.
Com dois meses em atividade plena, o chamado “Acim Shopping Marília”, o portal de comércio eletrônico da Associação Comercial e Industrial de Marília, entra no mês de Julho com a promoção “Black Dakki”, ou seja, produtos e serviços estarão com preços incomparáveis durante 24 horas apenas, em sistema de rodizio durante o mês todo. “Uma forma de atrair consumidores para que acessem o nosso portal e façam bons negócios”, disse Adriano Luiz Martins que investirá na divulgação do portal e das empresas participantes.
“O Dia das Mães e o Dia dos Namorados foram experiências positivas, dentro deste novo normal”, comparou José Augusto Gomes que vem orientando os comerciantes associados a fazerem parte do shopping eletrônico, para continuarem em atividade. “Estamos todos nos adaptando”, falou. “É tudo novidade e tudo inovação”, reforçou ao lembrar que a comercialização é toda eletrônica, seja através dos cartões de crédito e débito, ou boleto bancário.
Para Adriano Luiz Martins o comerciante não deve se preocupar com horário de funcionamento da loja ou se vai abrir ou estar fechada. “Isso não depende mais de nós”, opinou ao apontar para as autoridades de saúde a decisão. “Vamos focar na produção, no trabalho e no modelo de atendimento, que deve ser todo eletrônico, sem a presença do cliente”, enfatizou o presidente da associação comercial que vem criando formas e serviços de assessorar o comerciante a manter a empresa e os empregos. “Vamos nos preocupar em produzir, trabalhar e atender, com as novas regras e o novo tempo”, falou.
“Esse caminho é o comércio eletrônico”, apontou ao contar com 367 empresas no shopping eletrônico com 7.825 produtos e serviços disponíveis, por empresas somente de Marília. “Cabe-nos, como mariliense, valorizar as empresas de Marília, para que a nossa economia seja preservada”, defendeu.

Redação do Garca.Jor


Nenhum comentário:

Postar um comentário