quinta-feira, 18 de junho de 2020

Tupã confirma caso de leishmaniose visceral em jovem de 19 anos

O município de Tupã registrou nesta quinta-feira, 18 de junho, um caso positivo de leishmaniose em humano no ano de 2020. O paciente é um jovem de 19 anos, que está bem e já começou o tratamento contra a doença.
De acordo com o responsável pelo Centro de Controle de Zoonoses, Robison Luís Pereira, este é considerado o primeiro caso de leishmaniose em humanos no ano de 2020.
Em janeiro deste ano, foi noticiado que uma criança de 4 anos havia sido diagnosticada com a doença. No entanto, Robison explicou que os sintomas começaram a aparecer em 2019. Desta forma, o caso foi registrado na Secretaria de Saúde como do sendo do ano passado.
A maneira mais eficaz de prevenir a leishmaniose é evitar a proliferação do mosquito palha, mantendo os quintais limpos e os animais longe de restos de lixo orgânico e sujeiras, como folhas de árvores, frutas caídas, troncos podres, entre outros. Além disso, é importante que, ao identificar sintomas da doença, comunique imediatamente o órgão responsável.
Ao suspeitar de sintomas, a população deve ligar no telefone (14) 3404-2200 do CCZ para agendar uma visita, onde os agentes irão verificar e, caso confirmem indícios da doença, o exame será coletado e enviado para análise.
Os cães infectados pelo parasita podem adoecer logo ou demorar meses para apresentar sintomas. Os sintomas nos animais são: apatia, lesões de pele, queda de pelos, emagrecimento, lacrimejamento e crescimento anormal das unhas. A única forma de detectar a infecção nos cães é através dos exames específicos de laboratório.
Geralmente, a doença é identificada por febre de longa duração, aumento de fígado e baço inchado, perda de peso, fraqueza, redução da força muscular, entre outras possíveis manifestações. Para o tratamento da infecção, as pessoas que identificarem esses sintomas devem buscar atendimento no serviço de saúde mais próximo.

Fonte: TupãCity


Nenhum comentário:

Postar um comentário