segunda-feira, 22 de junho de 2020

Plano Safra é lançado com foco nos pequenos e médios produtores

O  Plano Safra 2020/2021 foi lançado terá vigência de 01 de julho deste ano a 30 de junho de 2021. O Plano destinará R$ 225,59 bilhões para produtores rurais. Esses recursos visam garantir a continuidade da produção no campo e o abastecimento de alimentos no país durante e após a pandemia do novo coronavírus. Os recursos destinados aos investimentos cresceram em média 29%.
O montante a ser disponibilizado será 5,9% maior, ou R$ 12,93 bilhões superior ao do ano anterior, de R$ 222,74 bilhões. Já as taxas de juros caíram entre um e dois pontos percentuais em média, a depender da finalidade do dinheiro e do porte do produtor. 
Quanto à distribuição do crédito por porte de produtor, os médios e pequenos produtores receberão o maior volume de acréscimo, segundo promessa governamental. A nova política de bioinsumos do Ministério também contará com aporte específico no Plano Safra.
De acordo com a ministra da Agricultura, Tereza Cristina,  entre o volume total de recursos,  R$ 179,38 bilhões devem ser destinados para operações de custeio e comercialização e outros R$ 56,29 bilhões para investimento. Sendo assim, operações de custeio e comercialização contarão com 5,9% a mais em recursos e as de investimento terão reforço de 5,4%,na comparação com o ofertado na safra anterior.  Já para o seguro rural, a subvenção do governo deve ser 30% maior, passando de R$ 1 bilhão na safra 2019/20 para R$ 1,3 bilhão no próximo ciclo.
Os pequenos produtores rurais terão R$ 33 bilhões para financiamento pelo Pronf (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar), com juros de 2,75% e 4% ao ano, para custeio e comercialização.
Para os médios produtores rurais, serão destinados R$ 33,1 bilhões, por meio do Pronamp  (Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural), com taxas de juros de 5% ao ano (custeio e comercialização). Para os grandes produtores, a taxa de juros será de 6% ao ano.
Entre os recursos disponibilizados para investimento, os programas Inovagro  (Programa de Incentivo à Inovação Tecnológica na Produção Agropecuária), Pronamp  (Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural), Moderinfra  (Programa de Incentivo à Irrigação e à Produção em Ambiente Protegido) e o Modragro (Programa de Modernização da Agricultura e Conservação de Recursos Naturais) ganharam prioridade na divisão da verba.

Redação do Garca.Jor


Nenhum comentário:

Postar um comentário