sexta-feira, 26 de junho de 2020

Governo do Estado mantém quarentena rígida para a região de Garça

O governo do Estado de São Paulo anunciou nesta sexta-feira  manutenção da região de Garça na faixa vermelha do Plano São Paulo de flexibilização, que prevê fechamento do comércio em geral. O governador João Dória PSDB) anunciou ainda a prorrogação da quarentena para novo período do dia 29 de junho até o dia 14 de julho. A classificação repete definição da semana passada.
O governo apontou os índices de evolução dos casos como maior problema. É o único critério de faixa vermelha na região. Número de internações estão na faixa laranja. Evolução de óbitos e ocupação de leitos estão na faixa verde
A classificação estadual considera cinco critérios – número de leitos, taxa de ocupação de leitos, evolução dos casos, evolução dos óbitos e evolução das internações. Compara dados semanais.
As regiões de Bauru e Presidente Prudente ficam também na faixa vermelha. A capital, São Paulo, avançou para a faixa amarela, com menos restrições. O prefeito Bruno Covas afirmou que apesar do avanço as regras na capital só devem ser alteradas na próxima sexta-feira, caso a cidade mantenha o avanço.
O secretário estadual do Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, afirmou que a região deve ter nova avaliação na próxima sexta-feira, quando serão completados 14 dias da classificação na faixa vermelha.

SETORES AUTORIZADOS A FUNCIONAR NA FASE 1 (VERMELHA):

– Saúde: hospitais, clínicas, farmácias, clínicas odontológicas, lavanderias e estabelecimentos de saúde animal.
– Alimentação: supermercados, hipermercados, açougues e padarias, lojas de suplemento, feiras livres. É vedado o consumo no local.
– Bares, lanchonetes e restaurantes: permitido serviços de entrega (delivery) e que permitem a compra sem sair do carro (drive thru). Válido também para estabelecimentos em postos de combustíveis.
– Abastecimento: cadeia de abastecimento e logística, produção agropecuária e agroindústria, transportadoras, armazéns, postos de combustíveis e lojas de materiais de construção.
– Logística: estabelecimentos e empresas de locação de veículos, oficinas de veículos automotores, transporte público coletivo, táxis, aplicativos de transporte, serviços de entrega e estacionamentos.
– Serviços gerais: lavanderias, serviços de limpeza, hotéis, manutenção e zeladoria, serviços bancários (incluindo lotéricas), serviços de call center, assistência técnica de produtos eletroeletrônicos e bancas de jornais.
– Segurança: serviços de segurança pública e privada.
– Comunicação social: meios de comunicação social, inclusive eletrônica, executada por empresas jornalísticas e de radiodifusão sonora e de sons e imagens.
– Construção civil, agronegócios e indústria: sem restrições.

Redação do Garca.Jor


Nenhum comentário:

Postar um comentário