quarta-feira, 27 de maio de 2020

Câmara abre CPI para apurar denúncia de propina envolvendo o prefeito de Ourinho

Os vereadores de Ourinhos aprovaram na sessão desta terça-feira, 26 de maio, uma Comissão Parlamentar de Inquérito para investigar uma denúncia feita por um empresário da cidade à Polícia Federal de Marília sobre um suposto esquema de oferta de pagamento de propina e tentativa de extorsão envolvendo o prefeito Lucas Pocay (PSD), o pai dele, ex-prefeito e deputado estadual, outros agentes públicos e ex-servidores municipais.
A Polícia Civil de Ourinhos recebeu nesta terça-feira a denúncia protocolada na PF e agora está analisando o caso pra iniciar e encaminhar a investigação.
A denúncia feita pelo empresário Ricardo Xavier Simões, dono de uma incorporadora imobiliária de Ourinhos. Segundo o denunciante, ele tinha uma dívida em impostos municipais e em 2018 e o ex-secretário de Assuntos Jurídicos, o advogado Pedro Vinha Junior e o adjunto da pasta, Lucas Cadamuro tentaram obter vantagem indevida para a quitação dessa débito. Para isso ele teria que ceder cinco lotes em um condomínio de alto padrão em Ourinhos.
Os lotes avaliados na época a R$ 250 mil cada um, seriam para o prefeito Lucas Pocay, para o pai dele, Claury Alves da Silva, para o próprio Pedro Vinha Junior, apontado com articulador do esquema e Osvaldino Araújo Alves, secretário de Planejamento e Finanças.
Em nota, o prefeito Lucas Pocay disse que a denúncia é perseguição política e que o empresário teria relacionamento com o grupo que faz oposição ao prefeito.
Já Claury Alves da Silva, ex-prefeito de Ourinhos, ex-deputado estadual e pai do atual prefeito, informou que desconhece os fatos denunciados e acredita ser perseguição política contra o filho.
Osvaldino Araújo, atual secretário de finanças de Ourinhos, Pedro Vinha Junior, ex-secretário de Assuntos Jurídicos, e Lucas Cadamuro, ex-secretário adjunto de Assuntos Jurídicos, disseram que a denúncia é infundada e mentirosa.
Segundo o denunciante, ele não teria concordado em pagar os terrenos e teria sofrido outras tentativas diferentes de extorsão, entre elas, contratar de forma simulada o escritório de advocacia de Pedro Vinha Junior, por R$ 5 milhões e honorários de uma causa apontada como resolvida para Ricardo Simões, sob a alegação de que conseguiria a assinatura do prefeito Lucas Pocay, que ele disse ter negado mais uma vez.
A segunda proposta foi a compra de cotas da sociedade da incorporadora por R$ 7 milhões, valor abaixo de mercado e depois de negar a oferta, recebeu a terceira proposta de venda das três áreas que motivaram a dívida da empresa com o município, novamente por R$ 7 milhões, quantia apontada também como inferior ao que de fato valeria.
O denunciante disse ainda que a carta com a proposta de compra de uma das cotas da empresa estaria no nome de um dono de uma operadora de internet que atua na cidade, que seria, de acordo com a denúncia, seria um “laranja” no esquema.
Ainda de acordo com a denúncia, se algum desses negócios se concretizassem o dono da incorporadora ficaria livre da dívida da prefeitura, receberia os R$ 7 milhões da oferta e em poucos dias as pendências estariam resolvidas.
O denunciante procurou a Polícia Federal inicialmente porque acreditou que seriam crimes eleitorais. Todos os citados ainda precisam ser ouvidos na investigação que por enquanto está com a Polícia Civil de Ourinhos.
Os envolvidos enviaram notas sobre as acusações, confira na íntegra:
A assessoria de imprensa da prefeitura de Ourinhos informou que “Lucas Pocay não tem vínculo nenhum com Ricardo Simões, que possui longo relacionamento com o grupo político de oposição a ele, tanto que seu sócio ocupou cargo de secretário em gestões passadas. Afirma ainda, que a denúncia possui apenas caráter eleitoreiro e visa atacar a imagem e bom trabalho de Lucas Pocay como prefeito de Ourinhos.”
Claury Alves da Silva, ex-prefeito de Ourinhos, ex-deputado estadual e pai do atual prefeito Lucas Pocay disse que “fui pego de surpresa. Um assunto que desconheço totalmente, que me parece muito uma atitude eleitoreira ou com o simples objetivo de atacar meu filho como prefeito”
Osvaldino Araújo, atual secretário de Finanças de Ourinhos, afirmou que "fui surpreendido com a notícia desta denúncia, que é absurda, infundada e desconexa. Acerca disso, só posso dizer que tenho duas convicções: que todo o referido processo foi feito de forma legal e segundo princípios da administração pública, e que ele vai responder na justiça por essa denunciação caluniosa."
Pedro Vinha Junior, advogado, ex-secretário de Assuntos Jurídicos de Ourinhos, disse "ainda não tive acesso integral ao teor das acusações. No entanto, em relação ao que foi publicado nos veículos de imprensa local, refuto veementemente as afirmações do autor da denúncia, uma vez que não têm qualquer relação com a verdade. Em sentido diametralmente oposto, consigno que no momento oportuno apresentarei todas as provas que afastam a fantasiosa denúncia formulada."
Lucas Cadamuro, ex-secretário adjunto de assuntos jurídicos de Ourinhos, informou que “ainda não tive acesso integral ao teor das acusações, no entanto, em relação ao que foi publicado nos veículos de imprensa local, refuto veementemente as afirmações do autor da denúncia, uma vez que não têm qualquer relação com a verdade."

Fonte: G1


Nenhum comentário:

Postar um comentário