sábado, 4 de abril de 2020

Câmara de Vera Cruz aprova cassação de Renata Devito por improbidade

A Câmara de Vera Cruz aprovou na tarde desta sexta-feira o relatório do vereador José Carlos Dotti (MDB) com parecer pela cassação do mandato da prefeita Renata Zompero Dias Devito (PSDB) por improbidade administrativa na contratação de serviços d seguro para veículos sem uso na cidade.
A cassação foi aprovada por seis votos contra três após duas horas e meia de sessão em que foram lidas partes do processo e apresentadas manifestações de vereadores.
Votaram a favor da cassação os vereadores Ari Bernardo (PSDB), Cristiane Tinetti (Patriotas), José Carlos Doti (MDB), Lorival Ailton dos Santos (PCdoB), Renato Domingues de Moraes (Patriotas) e Haroldo Bernardes (PCdoB). Votaram contra os vereadores governistas Cesar Alessandre Iatecola (PSDB), Júlio César da Silva (PSL) e Gisele Pelozo (Pros).
A prefeita poderia usar duas horas da sessão para apresentar sua defesa pessoalmente ou por meio de representante, mas abriu mão de sua manifestação. Pela manhã Renata Devito tentou barrar na Justiça a realização da sessão. Vereadores ouvidos pelo Giro acreditam que ele vá tentar novas medidas judiciais contra o processo.
Após a votação, o presidente da Câmara, Haroldo Bernardes, anunciou a declaração de cassação de voto e suspendeu a sessão para elaboração do decreto legislativo de perda do mandato.
A confirmação da medida pode implicar em outras medidas como o afastamento da prefeita de disputas eleitorais por até oito anos.
Renata Devito tem 50 anos, é filiada ao PSDB e esposa do ex-prefeito da cidade Rodolfo Devito. Foi eleita com 2.799 e cumpre seu segundo mandato – foi prefeita entre 2008 e 2012 – e antes da eleição atuou como secretária de Governo, Trabalho e Inclusão na Prefeitura de Marília na gestão do ex-prefeito Vinícius Camarinha, entre os anos de 2014 e 2015.
Vinícius, hoje deputado estadual, seu pai, ex-secretários que acompanharam Renata na assessoria em Marília e outros políticos com atuação em Marília estavam na lista de testemunhas de defesa da prefeita, que nem chegaram a ser ouvidos na comissão porque faltaram a todas as convocações.
A própria prefeita, que antes do pedido rejeitado nesta sexta já havia tentando outras medidas judiciais para barrar o processo, deixou de participar na apuração. Apresentou sua defesa prévia mas não compareceu às audiências convocadas para seu depoimento – pelo menos oito – nem apresentou alegações finais.
A denúncia que provocou a investigação e o parecer pela cassação foi apresentada pelo morador Marcos Garcia que acusou a prefeita de desperdício de recursos públicos com gastos com seguros de veículos fora de circulação, especificamente ônibus encontrados pela comissão sem peças, pneus, motores e outros danos.
Em sua defesa prévia, Renata Devito afirmou que não houve prejuízos aos cofres públicos, que os veículos não estavam na lista de inservíveis da cidade, que o seguro protegeria os equipamentos contra danos como roubos, incêndios ou outras formas de depreciação e que o Tribunal de Contas não fez qualquer apontamento contra os gastos.
Filha de Eduardo Dias Calvo, que foi vereador, presidente da Câmara e vice-prefeito da cidade, dono de uma das mais tradicionais farmácias de Vera Cruz, a prefeita é irmã do ex-vereador Eduardo Zompero Dias (PSDB), que também perdeu seu mandato em processo de cassação na atual Legislatura acusado de agredir um servidor público.

Fonte: Giro Marília


Nenhum comentário:

Postar um comentário