segunda-feira, 2 de março de 2020

Presidente de direita do Uruguai defende democracia e se afasta de Bolsonaro

Luis Lacalle Pou afirmou que seu país tem uma das democracias mais plenas do mundo, construída, entre outros, pela imprensa, movimentos sociais e militares que mantêm estrito respeito ao poder civil.
Entre os convidados internacionais estavam Jair Bolsonaro, o chileno Sebastián Piñera, o colombiano Iván Duque e o paraguaio Mario Abdo Benítez. O presidente da Argentina, Alberto Fernández, não foi ao país vizinho, mas telefonou a Lacalle Pou e combinaram de se encontrar em algum momento. Os líderes da Venezuela, Nicolás Maduro, de Cuba, Miguel Díaz-Canel, e da Nicarágua, Daniel Ortega, não foram convidados.
"A democracia é construída pelos que votam cada cinco anos elegendo de forma livre e soberana. Também é construída pela imprensa, movimentos sociais, professores, intelectuais e agentes culturais. Pelos militares que cumprem suas funções em estrito respeito ao poder civil. Somos inquilinos do poder, inquilinos transitórios, somos empregados da cidadania", afirmou o novo presidente do Uruguai.
Na véspera, Lacalle Pou disse que “devemos deixar os aspectos ideológicos internos de cada país fora das relações para que a região possa avançar”.
Já durante a campanha, o novo presidente uruguaio dispensou o apoio Bolsonaro. Hoje, Lacalle Pou mantém uma posição cautelosa e até se incomoda quando é perguntado sobre a atual realidade brasileira: "Não me corresponde opinar sobre temas internos do Brasil". O que interessa ao novo governo uruguaio é a relação e a parceria comercial.

Fonte: Folha da Paraíba


Nenhum comentário:

Postar um comentário