sexta-feira, 14 de fevereiro de 2020

Ervilha pode substituir a soja na alimentação animal

O Instituto de Ciências Agrícolas e Nutricionais da Universidade Martin Luther de Halle-Wittenberg (MLU) está investigando alternativas para determinar quais alimentos podem substituir a soja como ração animal e a ervilha é um deles. A soja é um alimento popular principalmente devido ao seu alto teor de proteínas, no entanto, seu cultivo tem sido criticado por várias razões.
Por um lado, a maioria da soja, cultivada principalmente na América do Sul, é geneticamente modificada, uma prática à qual cada vez mais os consumidores europeus se opõem. O cultivo da soja também destrói áreas ecológicas importantes, como florestas tropicais, e seu transporte por longas distâncias polui o meio ambiente, indicam os pesquisadores da universidade.
As ervilhas, em particular, contêm grandes quantidades de proteínas e amido. "Mas, neste momento, eles não estão com a soja, em parte porque contêm muitos dos chamados fatores antinutricionais", explica Zeyner.
“Estas são substâncias que impedem a absorção de nutrientes valiosos. No entanto, o problema é relativamente fácil de resolver, como a força-tarefa de Zeyner descobriu. Por um lado, os ingredientes anti-nutritivos são amplamente degradados pelas práticas normais de silagem agrícola. Outro método para aumentar as propriedades nutricionais das leguminosas, embora ainda não seja amplamente utilizado em combinação com a silagem, é a exposição ao calor. O tratamento térmico faz mais do que degradar ainda mais os fatores anti-nutritivos nas ervilhas”, completa.
Os pesquisadores conseguiram demonstrar que isso também impede que as proteínas se decomponham tão rapidamente por bactérias no rúmen de vacas e outros ruminantes. A decomposição que ocorre muito cedo é problemática por dois motivos: um, uma grande quantidade de nitrogênio é excretada pela matéria fecal e, portanto, pode entrar nas águas subterrâneas como nitrato ou no ar como óxido nitroso, um gás potente.

Fonte: Agrolink


Nenhum comentário:

Postar um comentário