segunda-feira, 27 de janeiro de 2020

Praça de pedágio a ser instalada em Jafa vai ter cobrança de R$ 8

O governo do Estado já tem a ideia de preço para o diversos pedágios que serão instalados no interior do Estado, depois do processo de privatização recentemente ocorrido e que vai afetar diretamente Garça e região, já que algumas praças serão instaladas na SP 294, fazendo com que o garcense que queira se dirigir a Bauru ou a Marília tenha de colocar a mão no bolso.
Segundo os números apresentados pela Artesp (Agência de Transporte do Estado de São Paulo). No pedágio que será instalado na altura de Jafa, o valor da tarifa a ser arcada pelo motorista será de R$ 8,00 (na ida e na volta). Já no pedágio a ser implantado no limite entre Bauru e Piratininga a cobrança será da ordem de R$ 8,87, ao passo que a praça que vai ser erguida entre Oriente e Pompeia terá a cobrança de R$ 8,13. Ou seja, alguém que resida em Garça e queira ir até Marília de carro, em breve deverá ter obrigatoriamente R$ 16 na carteira apenas para poder ir e vir pela SP 294. Mais um fardo para o orçamento familiar...
A Artesp indicou que as praças de pedágio terão "redutores" de preço para usuários que efetuarem a aquisição de um sistema eletrônico de pagamento. Esse "redutor" vai tendo um percentual maior diante da frequência de uso por parte do motorista, entretanto, a validade de uso do sistema será mensal.
Para entender: no pedágio de Jafa, a tarifa a ser cobrada será de R$ 8,00. O motorista que usar a plataforma eletrônica pagará R$ 8,00 na primeira passagem e na segunda já terá o valor reduzido para R$ 7,60. Se passar pelo pedágio em 30 oportunidades ao longo do mês, a tarifa poderá cair para até R$ 1,49. Na virada do mês, novamente os preços voltam ao normal e a redução pode ter o "redutor", caso o motorista recarregue o sistema.
A privatização do lote Piracicaba-Panorama (chamado PiPa), que engloba a SP 294, ocorreu em dezembro e a proposta do Consórcio de Infraestrutura Brasil, liderado pelo Fundo Pátria Investimentos e o fundo soberano GIC, de Cingapura, foi declarada vencedora, atingindo R$ 1,1 bilhão, diante de valor mínimo inicial que era de apenas R$ 15 milhões. A concessão prevê 15 praças de pedágio em todo o Estado e sete na região; duas entre Marília e Bauru (sendo uma delas em Jafa) e cinco entre Marília e Panorama.
No total, a concessão tem previsão de investimentos da ordem de R$ 14 bilhões em 30 anos para o trecho entre a cidade de Piracicaba, na região de Campinas, e o município de Panorama, no extremo oeste do Estado, divisa com o Mato Grosso do Sul.
O projeto é a maior concessão rodoviária do país. Segundo dados da Agência Nacional de Transportes Terrestres, a quilometragem média das concessões no Brasil é de 482,6 quilômetros, contra 1.273 quilômetros do lote PiPa.

Fonte: Jornal Debate


Nenhum comentário:

Postar um comentário