terça-feira, 14 de janeiro de 2020

Metal mais precioso do mundo: ródio está muito mais caro que ouro

Utilizado principalmente na construção de catalisadores de automóveis e sendo cinco vezes mais caro que o ouro, o ródio teve seu preço subindo 31% neste mês, atingindo o valor mais alto desde 2008, informa Bloomberg.
Esse metal do grupo da platina se tornou 225% mais caro em um ano e seu preço se multiplicou em 12 vezes nos últimos quatro anos, ultrapassando o das principais matérias-primas, devido à crescente procura do setor automotivo e ao aperto das normas de emissão para automóveis.
No dia 10 de janeiro, o valor do ródio chegou a US$ 8 mil (R$ 33 mil) por onça, segundo a empresa química Johnson Matthey.
Na opinião de alguns especialistas, esse preço poderia chegar a US$ 10 mil (R$ 41 mil), um valor já registrado em 2008.
"O principal impulsionador [do aumento] no início de janeiro foi a demanda física da Ásia, que também poderia estar relacionada ao setor automotivo […] A compra desencadeou mais compra e em um mercado não regulamentado o efeito foi massivo, com uma dinâmica de preços que só é vista talvez a cada 10 anos", disse Andreas Daniel, um corretor da refinaria Heraeus Holding.
Investir em ródio é mais difícil do que investir em outros metais preciosos porque não é vendido nas bolsas. O mercado do ródio é considerado limitado e a maioria dos negócios é feita entre fornecedores e usuários industriais.
Produto da mineração de platina e níquel, o ródio é o metal mais caro do mundo e é caracterizado pelo seu elevado ponto de fusão e excelentes propriedades anticorrosivas. Suas propriedades refletivas são utilizadas em itens como espelhos, refletores e joias.
Os maiores produtores de ródio são a África do Sul, a Rússia e o Canadá. Preços mais elevados do ródio são boas notícias para os produtores sul-africanos, que representam mais de 80% da produção global.

Fonte: Sputnik


Nenhum comentário:

Postar um comentário