quinta-feira, 16 de janeiro de 2020

Marília tem 99 suspeitas de dengue em ano sem larvicida; faça prevenção

A Secretaria Municipal da Saúde de Marília divulgou nesta quinta-feira um alerta para envolvimento da população na prevenção e controle da dengue. A cidade já acumula em 2020 cinco casos confirmados e 99 suspeitas em análise.
“Esse dado é importante para nós, porque significa que os profissionais estão atentos. Grande parte destas suspeitas, poderá ter resultado negativo, mas é fundamental que seja feita a apuração”, declarou a enfermeira Alessandra Arrigoni Mosquini, supervisora da Vigilância Epidemiológica.
Os alertas sobre proliferação do mosquito na cidade começaram em outubro deste ano e provocaram diversas discussões até na Câmara da cidade. Marília viveu uma epidemia da doença em 2019.
A Saúde anunciou uma série de treinamentos com as equipes de saúde e a revisão do chamado “Plano de Contingência”, que prevê medidas emergenciais que devem ser tomadas, em caso de transmissão e epidemia.
A enfermeira destacou que 80% dos criadouros estão dentro das residências, ou seja, em locais de domínio do próprio morador.
“Os agentes fazem as visitas, orientam, explicam a importância de retirar os criadouros, ensinam como fazer a prevenção de novos focos, mas se a pessoa permitir que o recipiente volte a reter água ou acumule novos criadouros na casa, o Poder Público não tem como impedir que o mosquito se reproduza. É uma questão de consciência”, disse.
Este será o primeiro ano em que não será utilizado o inseticida para eliminar mosquitos adultos (Malathion), antes recomendado e distribuído pelo Ministério da Saúde.
Também falta, em Marília e em outros municípios, o larvicida que até 2019 era utilizado para eliminar ovos e larvas. Outro complicador é a possibilidade de casos do sorotipo 2..
“Há uma preocupação muito grande com surtos do sorotipo dois, enquanto temos uma condição nova, que é o não-uso destes insumos (venenos). Isso está provocando uma mudança de procedimentos em todo o país. Temos que ficar ainda mais vigilantes e reforçar a eliminação dos criadouros, antes de o mosquito nascer”, alertou a enfermeira da Vigilância Epidemiológica.
Na próxima terça feira (21) a reunião periódica de Vigilância em Saúde será ampliada, com outros setores da pasta, para redefinir detalhes do Plano de Contingenciamento. O objetivo é que, em caso de emergência, o tempo entre o start e a execução seja o menor possível.
Já na próxima quinta-feira, dia 23, acontece na Secretaria Municipal da Saúde uma capacitação para 23 médicos e enfermeiras contratadas recentemente. As instruções serão ministradas pela médica infectologista Camila Aparecida Ribeiro, do SAE – Serviço de Atendimento Especializado.
Nos dias 05 e 06 de fevereiro haverá reunião técnica com todos os médicos e enfermeiros da rede de atenção primária e Vigilância Epidemiológica, para discussão sobre Manejo de Dengue.

Fonte: Giro Marília


Nenhum comentário:

Postar um comentário