quinta-feira, 19 de dezembro de 2019

Prefeitura de Bauru anuncia extinção da Cohab após investigação

Em coletiva de imprensa realizada nesta quinta-feira, 19 de dezembro, a Prefeitura de Bauru anunciou que vai extinguir a Companhia de Habitação de Bauru (Cohab). A medida foi tomada após a operação do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) que apura desvios de verba na empresa pública.
Na quarta-feira (18) foi empossada uma nova diretoria da Cohab e essa equipe será responsável por fazer a liquidação da Cohab em um prazo de até 18 meses. A operação que recebeu nome de João de Barro investiga acordos feitos pela companhia com construtoras, que, segundo as investigações, eram bastante favoráveis às empresas.
Durante a operação deflagrada na terça-feira (17), foram apreendidos mais de R$ 1,6 milhão e grande quantidade de dinheiro em notas estrangeiras na casa do ex-presidente da companhia, Edson Gasparini Júnior, que pediu afastamento da função após a ação dos promotores, que contou com apoio das polícias Militar e Federal.
Após o afastamento de Gasparini Júnior, a prefeitura anunciou no fim da tarde desta quarta-feira (18) que o ex-vereador Arildo Lima Júnior será o novo presidente da Cohab. A decisão foi tomada após reunião a portas fechadas do Conselho de Administração realizada na sede da empresa de habitação.
Também ficou definido Marcos Roberto Costa Garcia, ex-secretário de Economia e Finanças da prefeitura de Bauru de 2006 a 2014, no cargo de diretor financeiro da companhia.
Os novos dirigentes ficarão responsáveis pelo processo de extinção da companhia, segundo o prefeito Clodoaldo Gazetta, que explicou como o processo deve funcionar.
“O prazo é de 12 a 18 meses que eu estipulei para essa nova equipe para que faça todo o movimento de venda dos ativos, desoneração, demissão voluntária e também a possibilidade da venda dos contratos atuais de mutuários para que a gente faça caixa para abater a maior parte das dívidas que a prefeitura e a companhia têm com FGTS e a Caixa Econômica. Estamos fazendo todo o possível para dar um tempo hábil para essa extinção da Cohab em um período curto. Então essa nova equipe tem essa missão de cumprir os prazos e de forma transparente para a sociedade”.
O prefeito também explicou que um projeto de lei para extinção da companhia será encaminhado para a Câmara de Vereadores e deve ser analisado no ano que vem, já que o legislativo está em recesso e só deve retomar os trabalhos em fevereiro.
O maior desafio dos novos dirigentes é resolver a dívida milionária da Cohab e a situação dos funcionários da companhia, muitos deles concursados. Segundo o novo presidente, um acordo será firmado com a Caixa Econômica Federal nos próximos dias em relação à dívida da empresa pública.
“Nós vamos assinar um acordo nesta sexta-feira ou no mais tardar na segunda-feira junta Caixa Econômica Federal sobre esse passivo que temos junto ao sistema financeiro de habitação. Esse acordo está desonerando os cofres da Caixa e consequentemente da prefeitura, que é responsável também por essa dívida que a Cohab tem de quase R$ 500 milhões. Com esse acordo teremos parcelas mensais pagas pela prefeitura a partir de agora, além daquilo que a Cohab terá capacidade financeira de contribuir para o pagamento desse acordo e diminuição dessa dívida”, explica Arildo Lima Júnior, presidente da Cohab.
O novo presidente informou que todo o processo será feito com muita transparência.
“Nós temos a missão de preparar a empresa para essa liquidação. Uma empresa que pertence à prefeitura municipal e que foi muito importante, mas agora gerou esse passivo milionário para a municipalidade e que agora não tem mais sentido de ser”.
Ainda segundo Arildo, será preparado um processo de demissão voluntária dos funcionários da companhia.
“Antes precisamos verificar o caixa da empresa para saber a capacidade disponível de recursos para colocar à disposição desse programa de demissão voluntária. Como a empresa vai ser extinta, todo quadro de funcionário também será.

Fonte: G1


Nenhum comentário:

Postar um comentário