quinta-feira, 21 de novembro de 2019

Presidente Prudente registra caso de descriminação religiosa

Um caso de discriminação religiosa foi registrado na noite de quarta-feira, 20 de nvembro,, na Delegacia Participativa da Polícia Civil, em Presidente Prudente.
De acordo com as informações contidas no Boletim de Ocorrência, a vítima, de 35 anos, compareceu na delegacia com sua advogada e informou que possui um terreiro de candomblé, no Residencial Anita Tiezzi.
Nesta quarta-feira, enquanto a vítima terminava uma sessão, um vizinho com um pedaço de pau bateu no portão do local de culto por três vezes e disse que iria acabar com aquilo, conforme a ocorrência.
Segundo o relato da vítima, o vizinho ainda disse “vocês poderiam estar ouvindo sertanejo ao invés de fazer bagunça” e “esse local está cheio de homossexuais”.
O caso foi registrado com base no artigo 20 da lei federal 7.716 que dispõe sobre praticar, induzir ou incitar a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional.
A pena imposta é de um a três anos de reclusão e multa, segundo a lei.
A delegada seccional Ieda Maria Cavalli de Aguiar Filgueiras informou que o caso será investigado pela Central de Polícia Judiciária por meio de inquérito policial.

Fonte: OCNet


Nenhum comentário:

Postar um comentário