quarta-feira, 16 de outubro de 2019

Justiça realiza audiência com acusados da morte de Flávio Vieira

Foi realizada nesta quarta-feira, 16 de outubro, a primeira audiência do julgamento dos acusados de envolvimento na morte do dono de uma lotérica em Garça. O crime aconteceu no dia 11 de fevereiro deste ano. Flávio José Vieira, que tinha 56 anos, foi morto baleado durante um assalto em frente à agência da Caixa Econômica, no Centro de Garça.
Segundo as investigações, o empresário iria fazer um depósito em uma agência bancária quando foi abordado por um criminoso armado.
Ele foi atingido por dois tiros e chegou a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos. Dois suspeitos do crime foram presos e se tornaram réus por latrocínio, um terceiro acusado do crime está foragido. Essa primeira audiência realizada nesta tarde é a chamada audiência de instrução, quando são ouvidas todas as testemunhas de acusação e também de defesa e é feito o interrogatório dos réus. O objetivo é reunir provas orais, que servirão para dar continuidade ao processo.
Wilson Novaes Guerra, de 37 anos, é acusado de atirar em Flávio e foi preso em maio deste ano em Osasco. Ele foi identificado por meio de imagens do circuito de segurança, que flagraram o crime. O outro acusado preso é Filipe Vieira da Silva, de 25 anos, que também foi preso em maio, em Guarulhos. Ele estaria pilotando a moto usada na fuga dos criminosos.
O terceiro acusado, José Carlos Carrelas, de 50 anos, teria levado o atirador até as proximidades do local do crime e depois o resgatado assim que Filipe o levou de moto até a região do Lago Artificial de Garça.
O empresário Flávio José Vieira, de 56 anos, era dono de uma lotérica localizada no Centro de Garça. Flávio seguia para fazer um depósito em uma agência bancária quando foi abordado, roubado e assassinado pelo criminoso armado.
Imagens de circuito de segurança mostraram que o empresário tentou resistir em entregar o malote e lutou com o criminoso.
Segundo a PM, Flávio foi baleado no ombro e tinha pelo menos mais dois ferimentos. O empresário foi socorrido pelos bombeiros e encaminhado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Garça, mas perdeu muito sangue, sofreu diversas paradas cardiorrespiratórias e não resistiu aos ferimentos.

Fonte: G1


Nenhum comentário:

Postar um comentário