quinta-feira, 12 de setembro de 2019

Secretaria de Agricultura divulga estimativa da produção animal em 2019

O rebanho bovino paulista é composto 10,33 milhões de cabeças, resultado 0,52% menor que o observado em 2018, informa a Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, com base nos dados obtidos no primeiro levantamento da produção animal, realizado junho de 2019, pelo Instituto de Economia Agrícola (IEA) e pela Coordenadoria do Desenvolvimento Rural Sustentável (CDRS).
Classificados por aptidão do rebanho, vemos que o número de bovinos de corte sofreu queda de 3,57%, somando 6,19 milhões de cabeças; os bovinos destinados à produção de leite, totalizam 1,08 milhão de cabeças, representando uma diminuição de 2,73%. Na categoria gado misto, nota-se um crescimento no plantel de 7,26% em relação a 2018, com registro de 3,05 milhões de cabeças, apontam Carlos Roberto Ferreira Bueno e Carlos Nabil Ghobril, pesquisadores do IEA.
Do rebanho bovino voltado à produção de carne, estima-se que 3,69 milhões de cabeças podem ser enviadas para abate em 2019; este número é 0,25% inferior ao verificado em 2018. Caso os animais aptos sejam efetivamente abatidos, espera-se uma oferta de 62,88 milhões de arrobas ou 943 mil toneladas de carne bovina para o Estado. A produção leiteira estimada para 2019 é de aproximadamente 1,78 bilhão de litros, com acréscimo de 5,36%, em relação a 2018. “Conforme fontes ligadas ao setor, o custo com a alimentação do rebanho deve pesar menos e favorecer a produção que deve aumentar”, ressaltam os pesquisadores.
O plantel paulista de aves para postura foi estimado em 56,49 milhões de cabeças e a produção de ovos deve totalizar 1,34 bilhão de dúzias, o que representa aumento de 9,38% em relação a 2018. O Estado de São Paulo é o maior produtor nacional de ovos, com 29,4% do total nacional. Os dados referentes à produção de aves para corte apontam o alojamento de 135,10 milhões de aves, no mês da pesquisa, e um abate de 690,96 milhões de cabeças estimado, equivalendo a uma oferta de 1,57 milhão de toneladas de frango em peso vivo, volume 17,41% superior ao produzido em 2018.
O efetivo de suínos no Estado foi estimado em 929,62 mil cabeças, o que significa um acréscimo de 3,96%. As previsões dos abates totalizaram 1,46 milhão de cabeças, resultando numa produção de 125,96 mil toneladas de carne, que pode significar um crescimento de 21,25% em relação ao ano anterior.
Os pesquisadores ressaltam que ainda não é possível cravar que as cadeias estejam em crescimento. “Na realidade, os aumentos no número de aves e suínos e na produção de leite indicam uma recomposição, pois no ano de 2018 os setores apontados sofreram com problemas relacionados à paralisação dos caminhoneiros”, explicam. O crescimento da produção paulista depende de vários fatores: melhores pastagens, animais mais produtivos, insumos disponíveis a preços adequados, boas condições climáticas e de estabilidade econômica que agregados determinam o bom desempenho esperado.

Redação do Garca.Jor


Nenhum comentário:

Postar um comentário