segunda-feira, 12 de agosto de 2019

Direção da UPA de Garça nega relato de usuária em redes sociais

Um relato nas redes sociais causou polêmica em Garça. Segundo uma moradora da cidade, os dois médicos que estavam de plantão na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) durante a noite da última terça-feira, 06 de agosto, saíram para jantar ao mesmo tempo deixando os pacientes esperando. Uma criança que passava mal teria ficado sem atendimento durante o período.
De  acordo com a moradora, o filho dela foi até a UPA porque não se sentia bem. No local já estava um casal com a criança que aparentava ter três anos e estava vomitando. A mulher então teria perguntado aos pais da garota se eles já haviam passado pela triagem, sendo que a resposta foi positiva.
Indignada, a mulher foi então questionar como uma criança naquela situação ainda não tinha sido atendida. Ainda segundo a denúncia, um segurança do local pediu calma e para que todos aguardassem.
Inconformada, a mulher pediu que abrissem a porta do corredor, pois queria falar com alguém de dentro do atendimento. A denunciante não encontrou nenhum médico, só enfermeiros, pois os profissionais teriam ido jantar.
Ela contou isso aos pais da menina que foram checar o fato. Após confirmarem a situação, resolveram ir embora e procurar ajuda em outro lugar.
“A menina bem pálida e vomitando, fui questionar o porque não atender uma criança naquela situação. Conversei com o segurança, ele mal abriu a boca pra falar, disse que tinha que esperar, então pedi para que abrissem a porta, pois queria falar com alguém lá de dentro, ele questionou, mas acabou abrindo. Quando entrei no corredor dos médicos adivinham com o que me deparei? Com ninguém, apenas com os enfermeiros cuidando de quem já estava sendo medicado e esperando outras pessoas para atender. Quando perguntei dos médicos, fui informada que eles teriam ido jantar”, diz o relato.

UPA nega — A Associação Hospitalar Beneficente do Brasil (AHBB), gestora da UPA em Garça se manifestou sobre o relato. A AHBB afirmou ser falso o relato de que a UPA ficou sem médicos na noite do dia 6 porque os profissionais não são autorizados a tirar intervalos ao mesmo tempo.
“Informamos que são falsos os boatos de que a UPA ficou sem médicos na noite do dia 6 de Agosto. Os profissionais não são autorizados e não tiram intervalos ao mesmo tempo. Ocasionais demoras no atendimento podem ocorrer neste período de implantação do Prontuário Eletrônico, sistema que vai beneficiar todos os usuários da unidade de saúde, promovendo mais segurança aos pacientes e eficiência para os provedores de saúde. Pedimos a  compreensão de todos e temos certeza de que o processo será mais ágil em breve, justamente por conta dessa importante mudança”, diz o comunicado.
O documento é assinado pelo diretor administrativo do Hospital São Lucas de Garça, Rogério Miotello.

Fonte: Marília Notícia


Nenhum comentário:

Postar um comentário